Jornal Página 3
Coluna
Ex pressão
Por Caroline Cezar

Criança salvando mundo?


Obra do Banksy em Veneza (pelo menos dizem que é :))

É sério que tão jogando o salvamento do mundo na mão das criança?

Fico sempre desconfiada quando escuto que "eles são nossos mestres", cristais e outras preciosidades de termos. Criança tem uma função nesse mundo: ser criança. Pode ser mestre de si mesmo, mas está construindo-se.

Muito tem a ganhar o adulto que observa mais e interfere menos: crianças tem realmente uma lógica incrível, a construção do pensamento limpa, a facilidade de demonstrar emoções, acessar o corpo, inventar os próprios brinquedos, se por a experimentar etc etc… E em relação muitas vezes sinalizam onde a gente precisa melhorar (serve para todos relacionamentos, principalmente os mais próximos). Mas criança não nasce pronta, SE FAZ baseada no adulto e nas referências que tem por perto.

Cuidar da criança e ensinar a criança é muito mais ensinar-se a si mesmo, reeducar-se, perceber-se, do que ficar atrás do infante ditando regra o tempo inteiro. Isso satura uma pessoa! E agora, ainda por cima, querem passar a batata quente pra eles?

Por favor, adultos, recuperem-se!
Transferindo responsabilidade de novo? É hora de apoiar-se nas próprias pernas. Deu de ser aquele que bate a cabeça na mesa e diz: "mesa feia"! O mundo é isso aí mesmo, não dá pra pular essa parte, e você né, tá fazendo sua parte, mesmo que não perceba. É muito comovente, adolescentes discursando e os adultos fazendo ode que "chegou a salvação". Vão da indignação à euforia dependendo do clique, queimadas, presidente, rock n rio, tanto faz… baita novela mexicana… acorda pra vida né gente!

Tem uma porção de criança em volta buscando referências. Percebendo como você se relaciona com o seu entorno. Com seu tempo. Com suas emoções. Com seus ciclos. O quanto você é conectado com os ciclos naturais. Com o que você consome. Não é questão de decorar cartilha waldorf ou qualquer outra, pode ver tevê, não pode, tem que plantar plantinha e dizer bom dia, é questão de RELACIONAR-SE com esse mundo tal qual está, e não como deveria. Vamos lidar com as questões mais difíceis? Vamos lidar com o que não deu certo, com o caldo entornando, com as pessoas insuportáveis, ops, diferentes, com aquele mala no trânsito, com as porcarias que temos no mercado, com regras sociais estúpidas, coisas que já dataram mas ainda ninguém percebeu? Vamos lidar com nossa própria raiva? Com nosso não saber? Vamos nos enxergar completamente? Como? O que fazemos pra conVIVER, com os outros, com nós mesmos, nossa luz e sombra? Como contribuímos? Dá pra ver que as questões não são isoladas e que temos muito a fazer? A gente tem que se salvar todo dia. Não dá pra esperar que alguém faça isso por nós. Temos um monte de crenças pra desconstruir, mas pra isso adquirimos tempo de vida, repertório, experiências, ferramentas, maturidade.

Toda criança é uma esperança. Toda criança é divina. E a gente segue com esse divino em nós pra sempre. A gente não faz filhos pra que cuidem de nós na velhice, quem dirá pra salvar o planeta. Filhos recebem a nossa passagem pra esse mundo, a missão deles é única, singular, ninguém sabe, se manifestará se as condições permitirem. Você sabe a sua? Como você se desenvolve? Que ferramentas utiliza? No que aplica suas potencialidades? Dizer o que o outro tem pra fazer é se distrair. Sejamos mestres de nós mesmos, seguimos em construção (e não existe caso perdido). <3

Escrito por Caroline Cezar, 02/10/2019 às 10h54 | carol.jp3@gmail.com



Caroline Cezar

Assina a coluna Ex pressão

É curiosa e encantada com manifestações da natureza, incluindo a humana. Tem resistência a currículos e títulos. Tenta exercitar a entrega cotidiana. Discorda da própria opinião. É apaixonada. Não sabe, nem quer, separar nada de coisa alguma.














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Ex pressão
Por Caroline Cezar

Criança salvando mundo?


Obra do Banksy em Veneza (pelo menos dizem que é :))

É sério que tão jogando o salvamento do mundo na mão das criança?

Fico sempre desconfiada quando escuto que "eles são nossos mestres", cristais e outras preciosidades de termos. Criança tem uma função nesse mundo: ser criança. Pode ser mestre de si mesmo, mas está construindo-se.

Muito tem a ganhar o adulto que observa mais e interfere menos: crianças tem realmente uma lógica incrível, a construção do pensamento limpa, a facilidade de demonstrar emoções, acessar o corpo, inventar os próprios brinquedos, se por a experimentar etc etc… E em relação muitas vezes sinalizam onde a gente precisa melhorar (serve para todos relacionamentos, principalmente os mais próximos). Mas criança não nasce pronta, SE FAZ baseada no adulto e nas referências que tem por perto.

Cuidar da criança e ensinar a criança é muito mais ensinar-se a si mesmo, reeducar-se, perceber-se, do que ficar atrás do infante ditando regra o tempo inteiro. Isso satura uma pessoa! E agora, ainda por cima, querem passar a batata quente pra eles?

Por favor, adultos, recuperem-se!
Transferindo responsabilidade de novo? É hora de apoiar-se nas próprias pernas. Deu de ser aquele que bate a cabeça na mesa e diz: "mesa feia"! O mundo é isso aí mesmo, não dá pra pular essa parte, e você né, tá fazendo sua parte, mesmo que não perceba. É muito comovente, adolescentes discursando e os adultos fazendo ode que "chegou a salvação". Vão da indignação à euforia dependendo do clique, queimadas, presidente, rock n rio, tanto faz… baita novela mexicana… acorda pra vida né gente!

Tem uma porção de criança em volta buscando referências. Percebendo como você se relaciona com o seu entorno. Com seu tempo. Com suas emoções. Com seus ciclos. O quanto você é conectado com os ciclos naturais. Com o que você consome. Não é questão de decorar cartilha waldorf ou qualquer outra, pode ver tevê, não pode, tem que plantar plantinha e dizer bom dia, é questão de RELACIONAR-SE com esse mundo tal qual está, e não como deveria. Vamos lidar com as questões mais difíceis? Vamos lidar com o que não deu certo, com o caldo entornando, com as pessoas insuportáveis, ops, diferentes, com aquele mala no trânsito, com as porcarias que temos no mercado, com regras sociais estúpidas, coisas que já dataram mas ainda ninguém percebeu? Vamos lidar com nossa própria raiva? Com nosso não saber? Vamos nos enxergar completamente? Como? O que fazemos pra conVIVER, com os outros, com nós mesmos, nossa luz e sombra? Como contribuímos? Dá pra ver que as questões não são isoladas e que temos muito a fazer? A gente tem que se salvar todo dia. Não dá pra esperar que alguém faça isso por nós. Temos um monte de crenças pra desconstruir, mas pra isso adquirimos tempo de vida, repertório, experiências, ferramentas, maturidade.

Toda criança é uma esperança. Toda criança é divina. E a gente segue com esse divino em nós pra sempre. A gente não faz filhos pra que cuidem de nós na velhice, quem dirá pra salvar o planeta. Filhos recebem a nossa passagem pra esse mundo, a missão deles é única, singular, ninguém sabe, se manifestará se as condições permitirem. Você sabe a sua? Como você se desenvolve? Que ferramentas utiliza? No que aplica suas potencialidades? Dizer o que o outro tem pra fazer é se distrair. Sejamos mestres de nós mesmos, seguimos em construção (e não existe caso perdido). <3

Escrito por Caroline Cezar, 02/10/2019 às 10h54 | carol.jp3@gmail.com



Caroline Cezar

Assina a coluna Ex pressão

É curiosa e encantada com manifestações da natureza, incluindo a humana. Tem resistência a currículos e títulos. Tenta exercitar a entrega cotidiana. Discorda da própria opinião. É apaixonada. Não sabe, nem quer, separar nada de coisa alguma.