Jornal Página 3
Coluna
Drone
Por Hélvion Ribeiro

FRANKFURT x B. CAMBORIÚ

Frankfurt, com seus 700 mil habitantes e 2 milhões na área metropolitana é uma das cidades mais ricas e importantes da Alemanha.

Centro financeiro do país, com 380 bancos e é sede do Banco Central Europeu, tem a maior feira de livros do mundo. Também é uma das sedes da Biblioteca Nacional da Alemanha.

Com 60 museus, 50 galerias e 30 teatros trata a cultura e a arte como coisa muito séria.

Dedica um espaço em suas praças para obras de Arte de grandes dimensões e qualidade.

É uma mistura de Blumenau e B. Camboriú. Blumenau pela força da arquitetura germânica e B. Camboriú pelo arrojo de seus novos edifícios.

Só que tem muito mais história, melhor preservação e muito... muito mais qualidade...

Mictório masculino na rua, com 4 vagas em Frankfurt - Alemanha.

Por outro lado é chamada Mainhattan (similar ao famoso bairro de NY) porque tem um complexo de edifícios que misturam alumínio, aço, mármore e blindex espelhados altíssimos e com formas muito diferentes. Não são aqueles caixotes. Aqui os arquitetos têm coragem de inovar e privilegiar o espaço e a luz natural. Existem edifícios muito altos modernos, e outros baixos, mais antigos mas muito bem conservador.

Gente de 168 países formam a sua população e a influência asiática chama a atenção. A africana não.

O comércio é espetacular com uma variedade e qualidade que ainda não existe no Brasil.

A moda é fina e sofisticada, mas existe um grupo grande de garotas descoladas, que não tão nem aí.

As pessoas são gentis e educadas, apesar do estrupício do alemão. Todo mundo fala um bit de inglês- língua universal.

O pessoal aqui gosta muito de uma BMW. Visitamos a casa de Goethe - é uma puta casa de 5 andares.

Quase tudo aqui foi destruído e reconstruído na segunda guerra mundial. Mas não se esconde nada.

Muitos, muitos restaurantes. Turistas nem tanto. Bastante americanos e asiáticos.

É um povo tranquilo, faz as coisas bem feito para não fazer de novo.

As construções são maciças, mas leves. Tudo é organizado, mas tem sim, alguns mendigos dormindo na rua.

Os shoppings são espetaculares e o chopp também, mas não tem mar!

 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 24/08/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Drone
Por Hélvion Ribeiro

FRANKFURT x B. CAMBORIÚ

Frankfurt, com seus 700 mil habitantes e 2 milhões na área metropolitana é uma das cidades mais ricas e importantes da Alemanha.

Centro financeiro do país, com 380 bancos e é sede do Banco Central Europeu, tem a maior feira de livros do mundo. Também é uma das sedes da Biblioteca Nacional da Alemanha.

Com 60 museus, 50 galerias e 30 teatros trata a cultura e a arte como coisa muito séria.

Dedica um espaço em suas praças para obras de Arte de grandes dimensões e qualidade.

É uma mistura de Blumenau e B. Camboriú. Blumenau pela força da arquitetura germânica e B. Camboriú pelo arrojo de seus novos edifícios.

Só que tem muito mais história, melhor preservação e muito... muito mais qualidade...

Mictório masculino na rua, com 4 vagas em Frankfurt - Alemanha.

Por outro lado é chamada Mainhattan (similar ao famoso bairro de NY) porque tem um complexo de edifícios que misturam alumínio, aço, mármore e blindex espelhados altíssimos e com formas muito diferentes. Não são aqueles caixotes. Aqui os arquitetos têm coragem de inovar e privilegiar o espaço e a luz natural. Existem edifícios muito altos modernos, e outros baixos, mais antigos mas muito bem conservador.

Gente de 168 países formam a sua população e a influência asiática chama a atenção. A africana não.

O comércio é espetacular com uma variedade e qualidade que ainda não existe no Brasil.

A moda é fina e sofisticada, mas existe um grupo grande de garotas descoladas, que não tão nem aí.

As pessoas são gentis e educadas, apesar do estrupício do alemão. Todo mundo fala um bit de inglês- língua universal.

O pessoal aqui gosta muito de uma BMW. Visitamos a casa de Goethe - é uma puta casa de 5 andares.

Quase tudo aqui foi destruído e reconstruído na segunda guerra mundial. Mas não se esconde nada.

Muitos, muitos restaurantes. Turistas nem tanto. Bastante americanos e asiáticos.

É um povo tranquilo, faz as coisas bem feito para não fazer de novo.

As construções são maciças, mas leves. Tudo é organizado, mas tem sim, alguns mendigos dormindo na rua.

Os shoppings são espetaculares e o chopp também, mas não tem mar!

 

Escrito por Hélvion Ribeiro, 24/08/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade