Jornal Página 3
Coluna
Drone
Por Hélvion Ribeiro

A história das três galinhas "caipiras"

Para mim não existe amor e dor maior do que no ser humano, com o devido respeito a cães e gatos.

Mas, as vezes acontece coisas tão estranhas, que a gente vacila.

Há muitos anos atrás aqui no meu sítio, em Balneário Camboriú, eu tinha 92 galinhas entre angola e caipira. Numa tarde de domingo, dois cachorros mataram 80. Só mataram, não comeram. Um cão - me disseram - pit bull.

Bem, mas bem antes, eu colocava ovos no chôco para ter pintinhos.

Uma vez, coloquei 3 galinhas para chocar.

Em tempo, um do meus filhos médicos, foi visitar um professor que tinha um aviário, e ele disse que pra matar os frangos de granja bastava bater palmas bem forte, que eles caiam mortos por ataque do coração. Ainda preciso saber se isto é verdade mesmo.

Eu prefiro tanto no sabor, como na criação, a galinha caipira.

Bem, tô alí com três galinhas chocando. A primeira veio com oito pintinhos, a segunda veio com cinco, e terceira com 4 pintos.

Resolvi colocar todos os pintinhos em uma galinha choca só e a escolhida foi a primeira galinha, que tinha mais filhos e mais velhos. Coloquei todos os 17 pintinhos e a galinha em um ambiente no galinheiro, separado.

Quando tinha sol coloca todo mundo na rua.

Então um dia de sol, vi que a galinha da qual tirei os cinco estava brigando ferozmente com a outra que tinha ficado com os cinco dela.

Achei estranho.

Depois de um tempo notei que a terceira galinha - a dos quatro pintinhos - se meteu em baixo do galinheiro onde estavam os pintos e não saía de jeito nenhum, nem para comer.

Várias vezes tocamos de lá mas ela voltava.

Um dia quando cheguei, ela estava morta, em baixo do galinheiro! Deu ruim.

Sei lá, dizem que os bichos não tem memória... Sei não...

Em tempo, esta imagem acima é de outra galinha. Ela está sem penas nas costas. O motivo disto daí é que agora eu tenho 2 galos e 10 galinhas. É muito galo, deveria ter 20 galinhas. Então eles judiam delas, assediam elas. A solução foi encaminhar um galo para a panela.

Um abraço.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 21/11/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Drone
Por Hélvion Ribeiro

A história das três galinhas "caipiras"

Para mim não existe amor e dor maior do que no ser humano, com o devido respeito a cães e gatos.

Mas, as vezes acontece coisas tão estranhas, que a gente vacila.

Há muitos anos atrás aqui no meu sítio, em Balneário Camboriú, eu tinha 92 galinhas entre angola e caipira. Numa tarde de domingo, dois cachorros mataram 80. Só mataram, não comeram. Um cão - me disseram - pit bull.

Bem, mas bem antes, eu colocava ovos no chôco para ter pintinhos.

Uma vez, coloquei 3 galinhas para chocar.

Em tempo, um do meus filhos médicos, foi visitar um professor que tinha um aviário, e ele disse que pra matar os frangos de granja bastava bater palmas bem forte, que eles caiam mortos por ataque do coração. Ainda preciso saber se isto é verdade mesmo.

Eu prefiro tanto no sabor, como na criação, a galinha caipira.

Bem, tô alí com três galinhas chocando. A primeira veio com oito pintinhos, a segunda veio com cinco, e terceira com 4 pintos.

Resolvi colocar todos os pintinhos em uma galinha choca só e a escolhida foi a primeira galinha, que tinha mais filhos e mais velhos. Coloquei todos os 17 pintinhos e a galinha em um ambiente no galinheiro, separado.

Quando tinha sol coloca todo mundo na rua.

Então um dia de sol, vi que a galinha da qual tirei os cinco estava brigando ferozmente com a outra que tinha ficado com os cinco dela.

Achei estranho.

Depois de um tempo notei que a terceira galinha - a dos quatro pintinhos - se meteu em baixo do galinheiro onde estavam os pintos e não saía de jeito nenhum, nem para comer.

Várias vezes tocamos de lá mas ela voltava.

Um dia quando cheguei, ela estava morta, em baixo do galinheiro! Deu ruim.

Sei lá, dizem que os bichos não tem memória... Sei não...

Em tempo, esta imagem acima é de outra galinha. Ela está sem penas nas costas. O motivo disto daí é que agora eu tenho 2 galos e 10 galinhas. É muito galo, deveria ter 20 galinhas. Então eles judiam delas, assediam elas. A solução foi encaminhar um galo para a panela.

Um abraço.

Escrito por Hélvion Ribeiro, 21/11/2018 às 18h48 | helvionr@yahoo.com.br



Hélvion Ribeiro

Assina a coluna Drone

Hélvion A. Ribeiro, 69. Atuou como Dentista em Lages, Urubici, Fpolis, RJ, Camboriú, Itajaí, Blumenau e BC. Seu trabalho mais importante é contribuir como voluntário, especialmente pela Universidade Gratuita. Pai de 3 médicos, tem 5 netos, faz academia rural no sítio em B. Camboriú onde tem a felicidade de viver há 20 anos.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade