Jornal Página 3
Coluna
Mente Mestra
Por Jamil Albuquerque

DIREITA ESQUERDA VOLVER!

Estamos nos aproximando das eleições, quando as urnas ungirão o novo rei e os novos príncipes de seus Estados. O risco é o de sempre. O de entregarmos o poder para aqueles que farão um governo populista. Governos populistas administram a pobreza. Governos consistentes superam a pobreza. No Parlamentarismo, a maioria faz o governo. No Presidencialismo, que é o nosso caso, o governo faz a maioria. Não existe partidos, existem cartórios que viabilizam as candidaturas que vão ajudar a governar depois. A que custo? Só Deus e os presidentes de partidos é que sabem. Uma das maneiras clássicas de esconder a verdade é divulgar só parte dela. Como diziam os Sufistas, uma mentira é uma verdade que se esqueceu de acontecer.

Liderança Política

Nessa brecha surge o líder político. Quando de oposição, consegue transformar indignação em votos. E assim chegar ao poder. E o poder revela o homem. Machiavel dizia que no poder o homem não é confiável. John Dalberg dizia que o poder corrompe; e o poder total, corrompe totalmente. A ciência da liderança postula que, o poder não corrompe, o poder revela o homem. Falo isso baseado na minha experiência. Fiquei quatro anos como Secretário da Casa Civil de Ribeirão Preto – SP, uma cidade com mais de um milhão de habitantes, e entrei com a camisa limpa e sai com a camisa limpa. Ou seja, é possível sim governar sem exacerbar. A corrupção é o mais injusto dos impostos. O Brasil tem evoluído no campo social, mas tem retrocedido nos valores republicanos.

Minha ansiedade é que a corrupção se torne endêmica. Ou seja, que a governabilidade só se torne possível com a existência dela. Como ocorre nos chamados 'Narco Estados'. A corrupção para muitos não está mais sendo chamado de corrupção, mas de moeda de troca e de governabilidade. Essa semente pode ser um ovo de serpente. Embora estejamos distantes de nos transformarmos em um Narco Estado. Ou será que o Rio de Janeiro, que já não é considerado um caso simples de segurança, mas um caso típico de segurança nacional, não é a ponta de um iceberg? Isso seria caótico em todos os sentidos.

O Antídoto

O antídoto chama- se Democracia. Ou acreditamos nela ou não. Ou aceita-se o resultado dela ou se vai para a desobediência civil. Outro caos. Anarquia nunca produziu coisa boa. A ditadura é: Lex durus, sed Lex! A lei é dura, mas é lei! Para mim, a pior democracia é melhor que, a mais perfeita ditadura.

Diz-se que o povo costuma perdoar aquele que é parecido com ele. Pelo sim e pelo não, temos nas mãos, a possibilidade de alinhar as coisas dentro de poucos dias.

Covas dizia que o povo só vota errado se não é bem informado.

E você? Como vens se informando?

Escrito por Jamil Albuquerque, 14/09/2018 às 11h17 | jamil@mastermindbr.com



Jamil Albuquerque

Assina a coluna Mente Mestra

Escritor, Presidente do MASTERMIND para a América do Sul, membro do conselho mundial da Napoleon Hill Foundation, autor do clássico "A arte de lidar com PESSOAS".


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br