Jornal Página 3
Coluna
J. Júnior
Por Jonas Ramos Júnior

MALA DIRETA

TEMPERATURA NAS ALTURAS

Enquanto o mundo passa por mais uma crise com as economias da maioria dos países crescendo abaixo do esperado, no Brasil os políticos se engalfinham pra mostrar quem tem mais força, numa guerra descabida que só tem um lado perdedor, ou seja, a população em geral. Sem as reformas anunciadas e aprovadas pela população nas últimas eleições não vamos sair desse marasmo, com crescimento pífio em retomada do crescimento e geração de empregos. Será que ninguém nesse país quer entrar pra história como um estadista?


FEMINICÍDIO

O último caso de feminicídio ocorrido na cidade na última quinta-feira (28) e que se estendeu até a quarta-feira (03), revela a face cruel da vida de dezenas de mulheres país afora. O criminoso dessa vez, um advogado, esfaqueou a companheira também advogada e deu fim a todos os sonhos dela. Sabe-se lá o motivo, e isso até pouco importa, até porque não há o que justifique tamanha agressão e covardia. Mobilizou polícias, bombeiros, agentes de trânsito, negociadores e levou a loucura os curiosos de plantão. A sociedade sedenta por vingança pedia aos gritos que ele pulasse da sacada, como forma de punição rápida e também cruel. Até quando?


 VITRINE 

  • A Rua 3100, entre Av. Brasil e Terceira Avenida, é um belo exemplo do descaso do poder público com a coisa pública. Artéria importante da cidade, totalmente esburacada e quase sem condições de uso. Uma vergonha. Chama o síndico.
  • Diretoria atual da OAB presidida pelo Dr. Shames, tem pego logo de início da gestão uma série de desafios, entre eles a rebelião na Canhanduba e agora o assassinato de uma advogada pelo seu companheiro também advogado. Tem que junto à sua diretoria e conselheiros dar uma resposta positiva a sociedade. No caso específico da advogada assassinada a diretoria por meio da CAASC, presidida pelo Dr. Ramon Maçaneiro, prestou todo o apoio necessário a família. É a OAB protagonista e sem ideologia.
  • Reclamaram que o Bolsonaro tava comemorando o golpe militar de 64 (ou seja lá o nome que queiram dar). Não entendi, afinal ele falou abertamente sobre isso durante toda a campanha. Esperavam o que dele? Não fugiu uma linha do seu discurso. Os próximos quatro anos serão assim.

Dia 9 de abril de 1994 eu tive o privilégio de receber um “SIM” da Bem Casada numa cerimônia no Hotel Vila do Mar, e 25 anos depois não encontro uma palavra melhor pra dizer a ela que não seja “gratidão”. Gratidão Por tudo que passamos juntos de mãos dadas, olho no olho, e na certeza que estávamos no caminho certo. Superamos os momentos ruins e comemoramos os bons por meio de um amor que não encontra similaridade. É forte como um diamante e doce como um bombom (suíço). Que venha muito mais. Amor eterno. Amo muito.


Manuela e Jonas (esse colunista), e os filhos Cris, Gustavo, Nicolas e Carol. Frutos no nosso amor.


ESSE ANO FAÇA CERTO. DIGA NÃO A VIOLENCIA. FAÇA A SUA PARTE.

Escrito por Jonas Ramos Júnior, 05/04/2019 às 15h20 | jonasramos3011@hotmail.com



Jonas Ramos Júnior

Assina a coluna J. Júnior

Advogado pós graduado em direito ambiental, reside em BC desde dez/1981. Escreve no JP3 desde 1992, porque tem interesse na cidade e no seu desenvolvimento.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
J. Júnior
Por Jonas Ramos Júnior

MALA DIRETA

TEMPERATURA NAS ALTURAS

Enquanto o mundo passa por mais uma crise com as economias da maioria dos países crescendo abaixo do esperado, no Brasil os políticos se engalfinham pra mostrar quem tem mais força, numa guerra descabida que só tem um lado perdedor, ou seja, a população em geral. Sem as reformas anunciadas e aprovadas pela população nas últimas eleições não vamos sair desse marasmo, com crescimento pífio em retomada do crescimento e geração de empregos. Será que ninguém nesse país quer entrar pra história como um estadista?


FEMINICÍDIO

O último caso de feminicídio ocorrido na cidade na última quinta-feira (28) e que se estendeu até a quarta-feira (03), revela a face cruel da vida de dezenas de mulheres país afora. O criminoso dessa vez, um advogado, esfaqueou a companheira também advogada e deu fim a todos os sonhos dela. Sabe-se lá o motivo, e isso até pouco importa, até porque não há o que justifique tamanha agressão e covardia. Mobilizou polícias, bombeiros, agentes de trânsito, negociadores e levou a loucura os curiosos de plantão. A sociedade sedenta por vingança pedia aos gritos que ele pulasse da sacada, como forma de punição rápida e também cruel. Até quando?


 VITRINE 

  • A Rua 3100, entre Av. Brasil e Terceira Avenida, é um belo exemplo do descaso do poder público com a coisa pública. Artéria importante da cidade, totalmente esburacada e quase sem condições de uso. Uma vergonha. Chama o síndico.
  • Diretoria atual da OAB presidida pelo Dr. Shames, tem pego logo de início da gestão uma série de desafios, entre eles a rebelião na Canhanduba e agora o assassinato de uma advogada pelo seu companheiro também advogado. Tem que junto à sua diretoria e conselheiros dar uma resposta positiva a sociedade. No caso específico da advogada assassinada a diretoria por meio da CAASC, presidida pelo Dr. Ramon Maçaneiro, prestou todo o apoio necessário a família. É a OAB protagonista e sem ideologia.
  • Reclamaram que o Bolsonaro tava comemorando o golpe militar de 64 (ou seja lá o nome que queiram dar). Não entendi, afinal ele falou abertamente sobre isso durante toda a campanha. Esperavam o que dele? Não fugiu uma linha do seu discurso. Os próximos quatro anos serão assim.

Dia 9 de abril de 1994 eu tive o privilégio de receber um “SIM” da Bem Casada numa cerimônia no Hotel Vila do Mar, e 25 anos depois não encontro uma palavra melhor pra dizer a ela que não seja “gratidão”. Gratidão Por tudo que passamos juntos de mãos dadas, olho no olho, e na certeza que estávamos no caminho certo. Superamos os momentos ruins e comemoramos os bons por meio de um amor que não encontra similaridade. É forte como um diamante e doce como um bombom (suíço). Que venha muito mais. Amor eterno. Amo muito.


Manuela e Jonas (esse colunista), e os filhos Cris, Gustavo, Nicolas e Carol. Frutos no nosso amor.


ESSE ANO FAÇA CERTO. DIGA NÃO A VIOLENCIA. FAÇA A SUA PARTE.

Escrito por Jonas Ramos Júnior, 05/04/2019 às 15h20 | jonasramos3011@hotmail.com



Jonas Ramos Júnior

Assina a coluna J. Júnior

Advogado pós graduado em direito ambiental, reside em BC desde dez/1981. Escreve no JP3 desde 1992, porque tem interesse na cidade e no seu desenvolvimento.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade