Jornal Página 3
Coluna
Mundo ao Contrário
Por Larissa Andrade

Uma curiosa viagem ao passado

Pedra da Roseta atrai milhares de visitantes ao Museu BritânicoPedra da Roseta atrai milhares de visitantes ao Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

Aplausos para a pedra que contribuiu com a história da humanidade e com as escritas! Esta pedra, ou melhor, o que restou dela, é a autêntica "Pedra da Roseta", um marco histórico e um dos objetos mais apreciados no incrível British Museum, o Museu Britânico, em Londres. Não é para menos, já que ela carrega as inscrições, em diferentes línguas, que ajudaram a decifrar os hieróglifos do antigo Egito. É o único fragmento que resta no mundo, registrado em 196 DC.

Para quem for à capital da Inglaterra, no Reino Unido, e gosta de atrações culturais, a visita ao British Museum, na minha opinião, é parada obrigatória. Ao todo, são mais de 7 milhões de itens que fazem parte do acervo e parte dele está em exposição (porque tudo não cabe). São distribuídos em salas e mais salas em uma área superior a 90 mil m2. Fácil, fácil, perder a noção do tempo dentro de tanta história e informações.

É interessante reservar pelo menos um dia para conhecer parte do museu com calma (lembrando: com calma, só parte dele). Ahh, e usar um sapato confortável também é fundamental para a caminhada e a exploração.

Belíssimo hall do Museu Britânico.Belíssimo hall do Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

Super interessante é conhecer de perto as antiguidades egípcias com impressionantes peças autênticas, esculturas, obras e pedras com escrituras datadas de mais de 3 mil anos AC.

Tábua de preces de Spair, exposta no museu. Foto arquivo pessoal

É o caso do objeto da foto. Trata-se de uma tábua com inscrições, ou melhor, com as preces de Spair - que era administrador de navegadores da frota real do Egito. Ele construiu uma capela aonde o objeto foi exposto e é datado de aproximadamente 1400 anos AC. No topo das orações está o desenho que representa o deus egípcio Osiris. Na outra cena, Spair aparece com a sua esposa recebendo oferendas para o além da vida. O filho mais velho, que veste uma roupa de leopardo de um padre, derrama libações. O texto no rodapé é uma prece que invoca bênçãos, incluindo oferendas apresentadas nos altares dos deuses locais.

As múmias e o processo de mumificação são mais curiosidades no Museu Britânico, há mais de uma centena lá. Sarcófagos detalhadamente decorados e alguns pintados, múmias humanas muito bem conservadas e, inclusive, algumas descobertas, impressionam.

Múmias e sarcófagos autênticos no Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

É para lá de interessante e curioso ver de perto trabalhos tão impecáveis, incluindo estátuas grandiosas entalhadas de uma forma perfeita em pedras, e feitas milhares de anos Antes de Cristo.

Museu britânico reserva inúmeras esculturas do antigo Egito. Foto arquivo pessoal

Arquitetura e cultura grega. Foto arquivo pessoal

Outros exemplos são os grandes exemplares da arquitetura grega e importantes monumentos culturais do mundo antigo. Eles também têm espaço reservado no Museu Britânico. É o caso das famosas esculturas remanescentes do Partenon, o templo da deusa grega Atena. Belíssimas.

É muito para se ver... Tesouros, livros dos mortos, bichos de duas cabeças, corpos, esfinges, jogos de tabuleiros e objetos raros que marcaram períodos políticos e civilizações.

Uma viagem ao passado e às impressionantes obras que marcaram épocas e mais épocas. São coleções e importantes documentos que vão do belo ao impressionante dos diversos continentes.

E a entrada é gratuita! Mas, claro, quem quiser é possível comprar pacotes de visitas ou experiências guiadas. Há constantes exposições temporárias, essas também são pagas. O local promove inúmeras atrações culturais para as diversas faixas etárias.

Ali se encontram cafeterias e casa de chá, lanchonetes, restaurante e várias lojas com coleções culturais para compra de lembranças e livraria.

Abre diariamente das 10h às 17h 30, exceto nas sextas que funciona até às 20h 30.

Quer saber mais? Acesse: www.britishmuseum.org

Todas as informações deste canal são baseadas em experiências e opiniões do autor.
 

Escrito por Larissa Andrade, 23/10/2019 às 15h59 | larissa.rotas@gmail.com



Larissa Andrade

Assina a coluna Mundo ao Contrário

É jornalista, empresária e tem mais de 20 anos de experiência em comunicação. É apaixonada por compartilhar a "arte da expressão" em suas diversas formas. Sua vida mudou e agora concilia as suas atividades no Brasil (Balneário Camboriú, SC) e no Reino Unido (Poole, Inglaterra). Traz curiosidades, hábitos e estilo de vida das "Terras da Rainha".














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: [email protected]

Página 3
Mundo ao Contrário
Por Larissa Andrade

Uma curiosa viagem ao passado

Pedra da Roseta atrai milhares de visitantes ao Museu BritânicoPedra da Roseta atrai milhares de visitantes ao Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

Aplausos para a pedra que contribuiu com a história da humanidade e com as escritas! Esta pedra, ou melhor, o que restou dela, é a autêntica "Pedra da Roseta", um marco histórico e um dos objetos mais apreciados no incrível British Museum, o Museu Britânico, em Londres. Não é para menos, já que ela carrega as inscrições, em diferentes línguas, que ajudaram a decifrar os hieróglifos do antigo Egito. É o único fragmento que resta no mundo, registrado em 196 DC.

Para quem for à capital da Inglaterra, no Reino Unido, e gosta de atrações culturais, a visita ao British Museum, na minha opinião, é parada obrigatória. Ao todo, são mais de 7 milhões de itens que fazem parte do acervo e parte dele está em exposição (porque tudo não cabe). São distribuídos em salas e mais salas em uma área superior a 90 mil m2. Fácil, fácil, perder a noção do tempo dentro de tanta história e informações.

É interessante reservar pelo menos um dia para conhecer parte do museu com calma (lembrando: com calma, só parte dele). Ahh, e usar um sapato confortável também é fundamental para a caminhada e a exploração.

Belíssimo hall do Museu Britânico.Belíssimo hall do Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

Super interessante é conhecer de perto as antiguidades egípcias com impressionantes peças autênticas, esculturas, obras e pedras com escrituras datadas de mais de 3 mil anos AC.

Tábua de preces de Spair, exposta no museu. Foto arquivo pessoal

É o caso do objeto da foto. Trata-se de uma tábua com inscrições, ou melhor, com as preces de Spair - que era administrador de navegadores da frota real do Egito. Ele construiu uma capela aonde o objeto foi exposto e é datado de aproximadamente 1400 anos AC. No topo das orações está o desenho que representa o deus egípcio Osiris. Na outra cena, Spair aparece com a sua esposa recebendo oferendas para o além da vida. O filho mais velho, que veste uma roupa de leopardo de um padre, derrama libações. O texto no rodapé é uma prece que invoca bênçãos, incluindo oferendas apresentadas nos altares dos deuses locais.

As múmias e o processo de mumificação são mais curiosidades no Museu Britânico, há mais de uma centena lá. Sarcófagos detalhadamente decorados e alguns pintados, múmias humanas muito bem conservadas e, inclusive, algumas descobertas, impressionam.

Múmias e sarcófagos autênticos no Museu Britânico. Foto arquivo pessoal

É para lá de interessante e curioso ver de perto trabalhos tão impecáveis, incluindo estátuas grandiosas entalhadas de uma forma perfeita em pedras, e feitas milhares de anos Antes de Cristo.

Museu britânico reserva inúmeras esculturas do antigo Egito. Foto arquivo pessoal

Arquitetura e cultura grega. Foto arquivo pessoal

Outros exemplos são os grandes exemplares da arquitetura grega e importantes monumentos culturais do mundo antigo. Eles também têm espaço reservado no Museu Britânico. É o caso das famosas esculturas remanescentes do Partenon, o templo da deusa grega Atena. Belíssimas.

É muito para se ver... Tesouros, livros dos mortos, bichos de duas cabeças, corpos, esfinges, jogos de tabuleiros e objetos raros que marcaram períodos políticos e civilizações.

Uma viagem ao passado e às impressionantes obras que marcaram épocas e mais épocas. São coleções e importantes documentos que vão do belo ao impressionante dos diversos continentes.

E a entrada é gratuita! Mas, claro, quem quiser é possível comprar pacotes de visitas ou experiências guiadas. Há constantes exposições temporárias, essas também são pagas. O local promove inúmeras atrações culturais para as diversas faixas etárias.

Ali se encontram cafeterias e casa de chá, lanchonetes, restaurante e várias lojas com coleções culturais para compra de lembranças e livraria.

Abre diariamente das 10h às 17h 30, exceto nas sextas que funciona até às 20h 30.

Quer saber mais? Acesse: www.britishmuseum.org

Todas as informações deste canal são baseadas em experiências e opiniões do autor.
 

Escrito por Larissa Andrade, 23/10/2019 às 15h59 | larissa.rotas@gmail.com



Larissa Andrade

Assina a coluna Mundo ao Contrário

É jornalista, empresária e tem mais de 20 anos de experiência em comunicação. É apaixonada por compartilhar a "arte da expressão" em suas diversas formas. Sua vida mudou e agora concilia as suas atividades no Brasil (Balneário Camboriú, SC) e no Reino Unido (Poole, Inglaterra). Traz curiosidades, hábitos e estilo de vida das "Terras da Rainha".