Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Valorização imobiliária
Itapema ocupa o primeiro lugar no ranking de imóveis com maior valorização na região. A informação é do Anuário do Cenário Imobiliário em 2018, que acaba de ser concluído pelo Sindicato da Habitação (Secovi). Os imóveis alcançaram aumento em média de 8,9% no m2 dos apartamentos, o dobro do índice atingido em 2017. Os apartamentos de quatro dormitórios, de maior valor de venda, foram os que tiveram maior valorização: o índice alcançou 10,2% entre janeiro e dezembro do ano passado.

Feira de oportunidades
A Pazmatex estará participando da 30ª edição da Feira de Oportunidades, dias 12, 13 e 14 de julho, no Pavilhão de Fenarreco, em Brusque. A entrada é gratuita e os visitantes poderão observar a máquina de bordar da marca SWF, bem como uma nova máquina reta original da marca Sunstar, com motor Direc Drive. O evento é uma realização da Viacredi.

Novidades em refeições
O restaurante do Hotel Estação 101 (ex-Brusque Palace Hotel), defronte a Havan, está com muitas novidades. Agora, um prato a cada dia, como carro-chefe: segunda-feira frango ao vinho (Coq au vin); terça: paella; quarta: marreco recheado; quinta: rabada com polenta; sexta: eisbein e salsicha alemã; sábado: feijoada; domingo: carne assada. Além do prato do dia, acontece o buffet completo de quentes e frios. Bom estacionamento. O Hotel mantém disponível dois locais para eventos de sua empresa. Um com capacidade para 50 pessoas e outros para 80 pessoas, praticamente no Centro de Brusque.

Região farta
Em Brusque e região, há empresários mais ricos que o dono da Havan, que agora se mostra o todo poderoso com um super avião de R$ 250 milhões recém adquirido. Ali, o sinal exterior riqueza da maioria é uma prosaica lancha, que só desce dos estaleiros das marinas de Porto Belo, Bombinhas ou Balneário Camboriú no verão. Alguns até preferem guardá-las em suas casas de veraneio. Tudo uma questão de vaidade, segurança ou discrição. Cada um tem seu modo de agir para mostrar-se que é ou quem não é.

Faturamento da indústria
O faturamento da indústria catarinense acumula alta de 6,3% no ano, de acordo com dados divulgados pela Fiesc. As maiores altas estão em produtos de metal (+20,8%), em informática e eletrônicos (+19,3%) e em veículos, reboques e carrocerias (+13,6%). Em comparação com maio do ano anterior, há um crescimento de 26%, o que se deve ao efeito negativo da greve dos caminhoneiros em 2018. Das 14 atividades pesquisadas, todas tiveram acréscimo.

Presidência da Acibr
Rita Conti, sócia proprietária da Mensageiro dos Sonhos, poderá ser a primeira presidente da Associação Empresarial de Brusque, substituindo o empresário Halisson Habitzreuter. Natural de Canoas (RS), Rita chegou a Brusque na década de 90, atraída pelo polo têxtil da cidade. Hoje é uma próspera empresária do ramo de confecções.

Negócio da China
A prefeitura de Camboriú está preparando documentação sobre duas áreas que interessaram aos empresários chineses que visitaram a cidade recentemente. A proposta é viabilizar a abertura de um condomínio industrial, em troca de investimentos em infraestrutura e geração de empregos. Com IDH e PIB abaixo da média estadual, Camboriú está enquadrada em benefícios extras. Os chineses têm interesse em estreitar as relações comerciais com o Estado. Camboriú está em posição logística estratégica. Um dos possíveis investimentos é no setor automobilístico. Um dos empresários que participou da missão em Camboriú tem interesse em trazer uma montadora a SC. A cidade também é cotada para servir de base para o projeto de transporte público elétrico do InovAmfri, projeto que vai interligar os 11 municípios da região. A proposta encheu os olhos dos chineses.

Confiança dos empresários
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) de Santa Catarina passou de 57,1 pontos em maio para 58,6 pontos em junho, mostra pesquisa da Federação das Indústrias de SC. O resultado foi influenciado, conforme a Fiesc, pelo aumento das expectativas dos empresários em relação à economia. Os indicadores do ICEI variam de 0 a 100 pontos. Quando acima dos 50 pontos, indicam empresários confiantes. Abaixo disso, indicam o contrário.

Placas devem permanecer
A Justiça proibiu a empresa D2 Distribuidora, de Itajaí, de retirar qualquer tipo de placas públicas fixadas no perímetro urbano de Brusque até que uma nova concessionária assuma a prestação do serviço. A decisão foi proferida a partir de ação movida pela Prefeitura contra a empresa. O caso está relacionado às placas que vinham sendo removidas em diversas ruas da cidade, as quais constam a identificação da via e publicidade. A D2 era quem executava a instalação das referidas placas e alegava que estava apenas recolhendo o que era seu, após o término do contrato para explorar o serviço.

Empresas noteiras
Um release da Secretaria Estadual da Fazenda revela que não sabia existir “empresas noteiras”. São assim chamadas as empresas fraudulentas constituídas e registradas, mas que de fato não exercem suas atividades. Entre os diversos crimes cometidos nesta modalidade e que serão alvo de uma ação nos próximos dias, até com prisões, destaca-se a retirada de recursos do Estado com geração de créditos inexistentes.

Inflação
O Plano Real acaba de completar 25 anos em 1º de julho. Foi a tábua de salvação de uma sociedade que sobrevivia, aos trancos e barrancos, em meio a um processo inflacionário e de crescimento ilusório de riqueza. Ao gerar a possibilidade de estabilização da economia deu alguma previsibilidade a investimentos e negócios. Mas um dado chama atenção nestes 25 anos: a inflação do pãozinho é de 1.127%.

Queijo artesanal
Finalmente, no caso catarinense, o popular queijo serrano pode ampliar seu mercado. O Senado acaba de aprovar novas regras para a produção e venda de queijos artesanais. A matéria tramitava em regime de urgência e segue para sanção do presidente. O texto considera artesanal o queijo elaborado a partir de métodos tradicionais e com leite da própria fazenda. Deve preservar a cultura regional na sua elaboração, empregar técnicas tradicionais e observar um protocolo específico para cada tipo e variedade.

Justiça fiscal
Itajaí ainda está em silêncio, talvez porque é difícil discordar, diante do decreto estadual que mudou a distribuição de ICMS das exportações do Estado. Determina que 90% dos tributos retornem para os municípios sede das empresas que vendem para o exterior e 10% para as cidades onde estão instalados os portos, como Itajaí. Nada mais que justo.

Karsten renegocia dívida
A Karsten anunciou que chegou a um acordo para pagamento de uma dívida milionária, que chega a R$ 521 milhões. A quantia está relacionada a debêntures (títulos de dívidas) emitidos no início de 2012. Na prática, é como se a empresa têxtil tivesse feito uma espécie de empréstimo junto a cinco bancos (os debenturistas, neste caso) e deixado de pagar juros, o que levou a um acúmulo de débitos. A renegociação dessa dívida, herdada da gestão anterior, era crucial para o futuro da Karsten e considerada uma das grandes prioridades dos novos sócios. As garantias para a renegociação incluem concessões de administradores e acionistas, além de imóveis da própria empresa.

Placa Mercosul adiada
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estendeu novamente o prazo para que todos os Estados adotem o novo modelo de placas para automóveis, no padrão Mercosul. O limite para o início da implantação dos novos modelos terminava em 30 de junho, mas foi adiado por mais seis meses.

Grande Hotel
Já está aprovado e deve ser publicado nos próximos dias, o edital do pregão do imóvel que pertencia ao antigo Grande Hotel, na Alameda Rio Branco, no Centro de Blumenau. O ato foi marcado para o dia 15 de agosto, às 13h. A oferta mínima pela estrutura deverá ser de R$ 14 milhões.

Bilionários
Algumas das pessoas mais ricas dos Estados Unidos defenderam, em carta aberta, um imposto federal sobre grandes fortunas, para ajudar a diminuir a desigualdade de renda e financiar investimentos para enfrentar os efeitos da mudança climática e os problemas de saúde pública. No Brasil, teríamos bilionários com esta atitude?

Leilão suspenso
A primeira Câmara de Direito Comercial do TJ-SC suspendeu o leilão da marca Sulfabril agendado para semana passada. A decisão atendeu a um agravo de instrumento protocolado pelo ex-presidente da empresa e pela massa falida. Eles questionam o valor da avaliação das grifes que pertenciam ao grupo, apontado em laudo em R$ 3,3 milhões. Ao recorrer da decisão de primeiro grau que determinou o leilão por este valor mínimo, os agravantes apresentaram ouro laudo, de 2012, que apurava que, naquela época, as marcas estavam avaliadas em R$ 40 milhões. A depreciação prejudicaria a massa falida e os credores da empresa.

Comemoração
Em nota oficial, a Federação das Indústrias de SC comemorou o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, assinado recentemente, depois de 20 anos de negociações. Mas tudo indica que haverá muita choradeira logo adiante, com o zeramento de taxas de importação. Produtos vindos de países da Europa, ficarão mais baratos que os gerados aqui. Muitos casos devido à ganância pelo lucro fácil de boa parte de nossa classe produtiva, aquela mesma que odeia concorrência.

Moda em destaque
A Coltex Têxtil, de Joinville, participou da maior feira de moda do mundo, a Première Vision Paris, onde lançou o tecido New Age, desenvolvido com um fio de garrafas pet recicladas. A Coltex está completando 30 anos de atividades e se consolidou como fabricante relevante em seu segmento. Produz 100 mil quilos por mês e emprega 98 funcionários.

Aurora investe
A Aurora Alimentos vai ampliar a produção em Guatambu e Chapecó com investimentos totais de R$ 200 milhões nos frigoríficos. A unidade de Chapecó, a que mais abate suínos/dia, vai ampliar de 5 mil/dia para 10 mil/dia. Será o maior frigorífico da América Latina. Os investimentos no município de Guatambu serão para o abate de aves, que registra hoje produção de 1 milhão/dia em todas as unidades da cooperativa. As 11 cooperativas que formam o grupo, faturaram, juntas, R$ 20,8 bilhões no ano passado.

Vara do crime
Surpreende saber que só agora, motivado pela expansão do poder do tráfico de drogas e das milícias, o Judiciário do Rio de Janeiro decidiu criar uma vara especializada no combate ao crime organizado e à lavagem de dinheiro. O Judiciário de SC já tem a sua, há tempos, e muito operosa.

Vinhos
Pela primeira vez, a vinícola catarinense Pericó será a fornecedora oficial de vinhos e espumantes do festival Balneário Saboroso. Os rótulos são comemorativos aos 10 anos do festival gastronômico.

Contra
A exemplo do Rio Grande do Sul, os produtores de vinho de SC estão muito preocupados com o Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e a União Europeia. Além da concorrência dos argentinos e chilenos, os gaúchos e catarinenses enfrentarão a produção de portugueses, espanhóis, franceses e italianos. É preciso destacar que cada garrafa aqui produzida paga absurdos 44% de impostos.

Acordos na Justiça
De 1º de abril a 28 de junho deste ano, o Tribunal de Justiça de SC mediou 457 acordos entre investidores e instituições financeiras, registrando o valor de R$ 5,9 milhões em negociação nos processos de expurgos inflacionários nas contas de poupança praticados por bancos no passado. Só na comarca de Joinville foram fechados 264 acordos, que juntos, somara R$ 3 milhões.

Finanças
A XP Investimentos lança sua nova plataforma de conteúdo sem custo e sem a obrigatoriedade de cadastro para acessar. Vai informar sobre 250 ativos e também terá análises econômicas e dados do mercado financeiro em tempo real.

WEG no Oriente Médio
A WEG fechou dois importantes contratos e vai fornecer motores elétricos e inversores de frequência para uma refinaria em construção no Sultanato de Omã, no Oriente Médio. A refinaria ficará pronta em 2023. Terá capacidade para 230 mil barris/dia, mais do que o dobro da de Pasadena. O negócio é joint venture entre a Oman Oil Company e a Kuwait Petroleum International.

Top of Mind
A 25ª edição do prêmio Top of Mind, que é o reconhecimento das marcas mais lembradas pelos catarinenses em 2019, apontadas por pesquisa do Instituto Mapa ocorreu em 4 de julho, na sede da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), em Florianópolis. A premiação reconheceu a Havan como a mais lembrada nas categorias “Loja de Departamentos” e “Grande empresa catarinense do comércio”.

Análise
Os grandes investimentos de longo prazo só devem sair da gaveta após a aprovação da reforma da Previdência, segundo o responsável pelo relacionamento com investidores da ARX, em palestra recente realizada em Blumenau.

Onde jogar?
Muitos podem perguntar onde o Metropolitano jogará caso dispute a Copa SC. Indaial? Jaraguá do Sul? Brusque? Não. As partidas serão disputadas no Estádio do Sesi. Isso porque o anúncio de que o complexo esportivo não alugará mais a estrutura para o clube vale apenas para 2020. Quanto a proposta de cessão do Metropolitano a um grupo gestor está nas mãos dos advogados de ambas as partes, para acertos quanto a minuta do contrato. A ideia é de que até o fim de julho haja uma definição do texto para que o Conselho possa votar.

Aviões da FAB
Caiu pela metade o número de viagens com aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) requisitadas por autoridades federais nos primeiros meses do ano. De janeiro a maio, a FAB fez 513 voos transportando ministros de Estado, os presidentes de poderes e a cúpula das Forças Armadas. No mesmo período de 2018, durante o governo Temer, foram registrados 1.042 voos. A marca de redução atende a uma recomendação feita pelo presidente Bolsonaro aos seus auxiliares ainda durante a formulação das primeiras medidas de governo. O objetivo é evitar regalias. O presidente da Câmara dos Deputados foi o que mais usou: 93 vezes no período de cinco meses.

Imóveis públicos em SC
A Secretaria de Patrimônio da União pediu que a superintendência do órgão em SC se manifeste sobre a possibilidade de venda de uma lista de imóveis que pertencem ao governo federal em todo o Estado. Recentemente, a unidade finalizou um levantamento feito a pedido de Brasília, sobre os imóveis com possibilidade de serem liquidados para fazer girar o caixa do governo federal. O Ministério da Economia está fazendo um levantamento e uma vistoria dos imóveis federais que estão desocupados não apenas em SC, mas em todos os Estados. O governo determinou redução de gastos com aluguéis e a venda de ativos com valor de mercado. A União tem hoje mil imóveis catalogados em Santa Catarina. Na lista de imóveis que pertencem à União em SC há uma série de terrenos desconhecidos que fazem parte do patrimônio da antiga Rede Ferroviária Federal e estão espalhados por todo o Estado. Há muitas áreas ocupadas ao longo do caminho, que demandam regularização.

Recall: novas regras
Apenas 48% dos consumidores atendem aos chamados de recall de automóveis. No caso de caminhões, este percentual cai para 39% e de autopeças, para 14,7%. Diante desses dados, o Ministério da Justiça e Segurança Pública anunciou novas regras para dar mais eficiência aos recalls, de forma a evitar ainda mais riscos para o consumidor. Os recalls são feitos quando as empresas identificam, em seus produtos, defeitos de fábrica, que precisam ser ajustados por implicar em riscos à segurança dos consumidores. Duas novas portarias que atualizam a regulamentação das empresas.

Remédio na conta certa (1)
Autorizada em 2006 pelo governo, a venda de remédios de forma fracionada tem o objetivo de permitir que os consumidores paguem apenas pelo número de doses receitadas pelo médico. Assim, eles podem terminar seu tratamento sem que haja sobras. Treze anos depois, porém, os brasileiros ainda são obrigados a comprar medicamentos em embalagens com quantidades determinadas pelos fabricantes. O hábito forçado de manter restos dessas substâncias em casa deveria ser motivo de preocupação de toda a sociedade, para começar, devido às intoxicações de crianças e adolescentes. Dados publicados pela Sociedade Brasileira de Pediatria em 2018 apontaram uma média diária de 37 casos desse tipo. Comprimidos na gaveta também incentivam à automedicação, com riscos de efeitos colaterais e produtos vencidos ou armazenados de forma inadequada.

Remédio na conta certa (2)
Quem descarta os remédios fora do prazo de validade ainda tem o trabalho de buscar locais adequados. Jogar no lixo ou no vaso sanitário pode contaminar o ambiente e a água. Mas o principal benefício da venda fracionada é mesmo a proteção aos consumidores, muitos dos quais destinam boa parte de sua grana aos gastos com a saúde. A indústria farmacêutica e as drogarias são contra a medida, que certamente reduziria vendas. Alegam perigos como os de subdosagem (quando o paciente, sem recursos, compra menos que o necessário para seu tratamento) e de menor segurança dos produtos. Os problemas existem, mas dá para resolvê-los com orientação médica e exigência de procedimentos rigorosos. As vantagens com a redução de custos e transtornos são claramente maiores.

SC à margem da União
O Estado de Santa Catarina contribuiu em 2018 com R$ 58,8 bilhões em impostos para o governo federal. A corrente do comércio exterior totalizou R$ 94,2 bilhões. As exportações catarinenses foram de R$ 34,3 bilhões também no ano passado. E quanto o Estado recebeu de retorno em obras e serviços de infraestrutura, saúde, educação e serviços básicos? Apenas R$ 7,7 bilhões. Os dados foram revelados na reunião do sistema Fiesc pelo secretário da Câmara de Transporte e Logística. SC tem um dos melhores sistemas portuários da América Latina. Os mais movimentados não contam com ligação ferroviária, o que é absolutamente inédito no comparativo com todos os portos do resto do mundo. SC está excluída da proposta do Governo Federal de corredores logísticos, que beneficia todas as demais regiões do Brasil. Existe uma letargia do governo estadual em relação a esta discriminação.

Entroncamento com a BR-101
O governo do Estado de SC não deve executar a interseção da rodovia Antônio Heil (SC-486) com a BR-101, em Itajaí, como estava previsto. O secretário de Estado de Infraestrutura informou que o governo avalia que não é justo com a população que SC sozinha pague por uma obra que envolve uma rodovia federal. Para Brusque é uma situação preocupante que pode demorar muito ou até não acontecer. Do governo federal pode se esperar de tudo. Muito papel e pouca realização.

Área industrial
A Prefeitura de Brusque publicou projeto de lei que institui Área Industrial de Limeira. O assunto causa estranheza à primeira vista, já que a existência de um distrito industrial às empresas é de conhecimento de todos. O projeto oficializa de novo a área industrial. Trata-se de uma medida para regularizar a área e não afeta as empresas já existentes no local. Segundo a Prefeitura, o pente-fino nas concessões de terrenos continua. As empresas ali instaladas precisam de regularização. O governo municipal precisa melhorar a infraestrutura do bairro. Empresas de grande porte deixaram de se instalar no local pela falta desses serviços por parte do governo. Perdemos excelentes oportunidades.

Prejuízo incalculável
Com a falta de sintonia na transição de um governo para outro, Brusque perdeu grandes investimentos que poderiam trazer novos enfoques no que diz respeito com o retorno de impostos, sobretudo do ICMS. Deixamos, na oportunidade, de abrir milhares de novos empregos. Alguns dos investimentos que deixaram de abrir em Brusque: Cervejaria Colônia, All Star, Liderplastic, Mabel Alimentos, entre muitas outras que estavam praticamente acertadas.

Villa Têxtil
Os 30 anos da Villa Têxtil marcam uma passagem de bastão no comando da empresa, agora liderada pelos filhos do casal Renata e Ademir Fantoni, que fundaram o negócio em 1989. Hoje já são 300 funcionários e uma produção mensal de 300 mil peças, que deve subir para 450 mil com novos investimentos. A empresa tem sede em Blumenau e é especializada em private label (produção de marcas de terceiros, com foco em camisetas polos). A empresa projeta uma filial para Pomerode.

Personagens da história
O Coronel Guilherme Krieger foi um dos mais prósperos empreendedores da região de Brusque. Entre os anos 1890 a 1915, disputou a liderança política com o Cônsul Carlos Renaux. Nesse tempo, possuía grande e movimentada casa comercial, exportava produtos agrícolas para os mais importantes centros comerciais do país e importava, em regular escala, as mais variadas mercadorias da Alemanha. No Centro de Brusque, possuía o local onde funcionou por anos a Lojas Renaux e atualmente está localizada a Casas Bahia.

Geração de empregos
Em maio, Brusque gerou 163 novos empregos, foi o terceiro município que mais empregou no mês. No acumulado do ano, são 2.754 novas vagas abertas. Foram admitidas 12.612 pessoas e demitidas 9.858. O saldo positivo de Brusque está entre os melhores do Estado.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 09/07/2019 às 11h27 | acdiegoli@gmail.com



Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Valorização imobiliária
Itapema ocupa o primeiro lugar no ranking de imóveis com maior valorização na região. A informação é do Anuário do Cenário Imobiliário em 2018, que acaba de ser concluído pelo Sindicato da Habitação (Secovi). Os imóveis alcançaram aumento em média de 8,9% no m2 dos apartamentos, o dobro do índice atingido em 2017. Os apartamentos de quatro dormitórios, de maior valor de venda, foram os que tiveram maior valorização: o índice alcançou 10,2% entre janeiro e dezembro do ano passado.

Feira de oportunidades
A Pazmatex estará participando da 30ª edição da Feira de Oportunidades, dias 12, 13 e 14 de julho, no Pavilhão de Fenarreco, em Brusque. A entrada é gratuita e os visitantes poderão observar a máquina de bordar da marca SWF, bem como uma nova máquina reta original da marca Sunstar, com motor Direc Drive. O evento é uma realização da Viacredi.

Novidades em refeições
O restaurante do Hotel Estação 101 (ex-Brusque Palace Hotel), defronte a Havan, está com muitas novidades. Agora, um prato a cada dia, como carro-chefe: segunda-feira frango ao vinho (Coq au vin); terça: paella; quarta: marreco recheado; quinta: rabada com polenta; sexta: eisbein e salsicha alemã; sábado: feijoada; domingo: carne assada. Além do prato do dia, acontece o buffet completo de quentes e frios. Bom estacionamento. O Hotel mantém disponível dois locais para eventos de sua empresa. Um com capacidade para 50 pessoas e outros para 80 pessoas, praticamente no Centro de Brusque.

Região farta
Em Brusque e região, há empresários mais ricos que o dono da Havan, que agora se mostra o todo poderoso com um super avião de R$ 250 milhões recém adquirido. Ali, o sinal exterior riqueza da maioria é uma prosaica lancha, que só desce dos estaleiros das marinas de Porto Belo, Bombinhas ou Balneário Camboriú no verão. Alguns até preferem guardá-las em suas casas de veraneio. Tudo uma questão de vaidade, segurança ou discrição. Cada um tem seu modo de agir para mostrar-se que é ou quem não é.

Faturamento da indústria
O faturamento da indústria catarinense acumula alta de 6,3% no ano, de acordo com dados divulgados pela Fiesc. As maiores altas estão em produtos de metal (+20,8%), em informática e eletrônicos (+19,3%) e em veículos, reboques e carrocerias (+13,6%). Em comparação com maio do ano anterior, há um crescimento de 26%, o que se deve ao efeito negativo da greve dos caminhoneiros em 2018. Das 14 atividades pesquisadas, todas tiveram acréscimo.

Presidência da Acibr
Rita Conti, sócia proprietária da Mensageiro dos Sonhos, poderá ser a primeira presidente da Associação Empresarial de Brusque, substituindo o empresário Halisson Habitzreuter. Natural de Canoas (RS), Rita chegou a Brusque na década de 90, atraída pelo polo têxtil da cidade. Hoje é uma próspera empresária do ramo de confecções.

Negócio da China
A prefeitura de Camboriú está preparando documentação sobre duas áreas que interessaram aos empresários chineses que visitaram a cidade recentemente. A proposta é viabilizar a abertura de um condomínio industrial, em troca de investimentos em infraestrutura e geração de empregos. Com IDH e PIB abaixo da média estadual, Camboriú está enquadrada em benefícios extras. Os chineses têm interesse em estreitar as relações comerciais com o Estado. Camboriú está em posição logística estratégica. Um dos possíveis investimentos é no setor automobilístico. Um dos empresários que participou da missão em Camboriú tem interesse em trazer uma montadora a SC. A cidade também é cotada para servir de base para o projeto de transporte público elétrico do InovAmfri, projeto que vai interligar os 11 municípios da região. A proposta encheu os olhos dos chineses.

Confiança dos empresários
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) de Santa Catarina passou de 57,1 pontos em maio para 58,6 pontos em junho, mostra pesquisa da Federação das Indústrias de SC. O resultado foi influenciado, conforme a Fiesc, pelo aumento das expectativas dos empresários em relação à economia. Os indicadores do ICEI variam de 0 a 100 pontos. Quando acima dos 50 pontos, indicam empresários confiantes. Abaixo disso, indicam o contrário.

Placas devem permanecer
A Justiça proibiu a empresa D2 Distribuidora, de Itajaí, de retirar qualquer tipo de placas públicas fixadas no perímetro urbano de Brusque até que uma nova concessionária assuma a prestação do serviço. A decisão foi proferida a partir de ação movida pela Prefeitura contra a empresa. O caso está relacionado às placas que vinham sendo removidas em diversas ruas da cidade, as quais constam a identificação da via e publicidade. A D2 era quem executava a instalação das referidas placas e alegava que estava apenas recolhendo o que era seu, após o término do contrato para explorar o serviço.

Empresas noteiras
Um release da Secretaria Estadual da Fazenda revela que não sabia existir “empresas noteiras”. São assim chamadas as empresas fraudulentas constituídas e registradas, mas que de fato não exercem suas atividades. Entre os diversos crimes cometidos nesta modalidade e que serão alvo de uma ação nos próximos dias, até com prisões, destaca-se a retirada de recursos do Estado com geração de créditos inexistentes.

Inflação
O Plano Real acaba de completar 25 anos em 1º de julho. Foi a tábua de salvação de uma sociedade que sobrevivia, aos trancos e barrancos, em meio a um processo inflacionário e de crescimento ilusório de riqueza. Ao gerar a possibilidade de estabilização da economia deu alguma previsibilidade a investimentos e negócios. Mas um dado chama atenção nestes 25 anos: a inflação do pãozinho é de 1.127%.

Queijo artesanal
Finalmente, no caso catarinense, o popular queijo serrano pode ampliar seu mercado. O Senado acaba de aprovar novas regras para a produção e venda de queijos artesanais. A matéria tramitava em regime de urgência e segue para sanção do presidente. O texto considera artesanal o queijo elaborado a partir de métodos tradicionais e com leite da própria fazenda. Deve preservar a cultura regional na sua elaboração, empregar técnicas tradicionais e observar um protocolo específico para cada tipo e variedade.

Justiça fiscal
Itajaí ainda está em silêncio, talvez porque é difícil discordar, diante do decreto estadual que mudou a distribuição de ICMS das exportações do Estado. Determina que 90% dos tributos retornem para os municípios sede das empresas que vendem para o exterior e 10% para as cidades onde estão instalados os portos, como Itajaí. Nada mais que justo.

Karsten renegocia dívida
A Karsten anunciou que chegou a um acordo para pagamento de uma dívida milionária, que chega a R$ 521 milhões. A quantia está relacionada a debêntures (títulos de dívidas) emitidos no início de 2012. Na prática, é como se a empresa têxtil tivesse feito uma espécie de empréstimo junto a cinco bancos (os debenturistas, neste caso) e deixado de pagar juros, o que levou a um acúmulo de débitos. A renegociação dessa dívida, herdada da gestão anterior, era crucial para o futuro da Karsten e considerada uma das grandes prioridades dos novos sócios. As garantias para a renegociação incluem concessões de administradores e acionistas, além de imóveis da própria empresa.

Placa Mercosul adiada
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estendeu novamente o prazo para que todos os Estados adotem o novo modelo de placas para automóveis, no padrão Mercosul. O limite para o início da implantação dos novos modelos terminava em 30 de junho, mas foi adiado por mais seis meses.

Grande Hotel
Já está aprovado e deve ser publicado nos próximos dias, o edital do pregão do imóvel que pertencia ao antigo Grande Hotel, na Alameda Rio Branco, no Centro de Blumenau. O ato foi marcado para o dia 15 de agosto, às 13h. A oferta mínima pela estrutura deverá ser de R$ 14 milhões.

Bilionários
Algumas das pessoas mais ricas dos Estados Unidos defenderam, em carta aberta, um imposto federal sobre grandes fortunas, para ajudar a diminuir a desigualdade de renda e financiar investimentos para enfrentar os efeitos da mudança climática e os problemas de saúde pública. No Brasil, teríamos bilionários com esta atitude?

Leilão suspenso
A primeira Câmara de Direito Comercial do TJ-SC suspendeu o leilão da marca Sulfabril agendado para semana passada. A decisão atendeu a um agravo de instrumento protocolado pelo ex-presidente da empresa e pela massa falida. Eles questionam o valor da avaliação das grifes que pertenciam ao grupo, apontado em laudo em R$ 3,3 milhões. Ao recorrer da decisão de primeiro grau que determinou o leilão por este valor mínimo, os agravantes apresentaram ouro laudo, de 2012, que apurava que, naquela época, as marcas estavam avaliadas em R$ 40 milhões. A depreciação prejudicaria a massa falida e os credores da empresa.

Comemoração
Em nota oficial, a Federação das Indústrias de SC comemorou o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, assinado recentemente, depois de 20 anos de negociações. Mas tudo indica que haverá muita choradeira logo adiante, com o zeramento de taxas de importação. Produtos vindos de países da Europa, ficarão mais baratos que os gerados aqui. Muitos casos devido à ganância pelo lucro fácil de boa parte de nossa classe produtiva, aquela mesma que odeia concorrência.

Moda em destaque
A Coltex Têxtil, de Joinville, participou da maior feira de moda do mundo, a Première Vision Paris, onde lançou o tecido New Age, desenvolvido com um fio de garrafas pet recicladas. A Coltex está completando 30 anos de atividades e se consolidou como fabricante relevante em seu segmento. Produz 100 mil quilos por mês e emprega 98 funcionários.

Aurora investe
A Aurora Alimentos vai ampliar a produção em Guatambu e Chapecó com investimentos totais de R$ 200 milhões nos frigoríficos. A unidade de Chapecó, a que mais abate suínos/dia, vai ampliar de 5 mil/dia para 10 mil/dia. Será o maior frigorífico da América Latina. Os investimentos no município de Guatambu serão para o abate de aves, que registra hoje produção de 1 milhão/dia em todas as unidades da cooperativa. As 11 cooperativas que formam o grupo, faturaram, juntas, R$ 20,8 bilhões no ano passado.

Vara do crime
Surpreende saber que só agora, motivado pela expansão do poder do tráfico de drogas e das milícias, o Judiciário do Rio de Janeiro decidiu criar uma vara especializada no combate ao crime organizado e à lavagem de dinheiro. O Judiciário de SC já tem a sua, há tempos, e muito operosa.

Vinhos
Pela primeira vez, a vinícola catarinense Pericó será a fornecedora oficial de vinhos e espumantes do festival Balneário Saboroso. Os rótulos são comemorativos aos 10 anos do festival gastronômico.

Contra
A exemplo do Rio Grande do Sul, os produtores de vinho de SC estão muito preocupados com o Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e a União Europeia. Além da concorrência dos argentinos e chilenos, os gaúchos e catarinenses enfrentarão a produção de portugueses, espanhóis, franceses e italianos. É preciso destacar que cada garrafa aqui produzida paga absurdos 44% de impostos.

Acordos na Justiça
De 1º de abril a 28 de junho deste ano, o Tribunal de Justiça de SC mediou 457 acordos entre investidores e instituições financeiras, registrando o valor de R$ 5,9 milhões em negociação nos processos de expurgos inflacionários nas contas de poupança praticados por bancos no passado. Só na comarca de Joinville foram fechados 264 acordos, que juntos, somara R$ 3 milhões.

Finanças
A XP Investimentos lança sua nova plataforma de conteúdo sem custo e sem a obrigatoriedade de cadastro para acessar. Vai informar sobre 250 ativos e também terá análises econômicas e dados do mercado financeiro em tempo real.

WEG no Oriente Médio
A WEG fechou dois importantes contratos e vai fornecer motores elétricos e inversores de frequência para uma refinaria em construção no Sultanato de Omã, no Oriente Médio. A refinaria ficará pronta em 2023. Terá capacidade para 230 mil barris/dia, mais do que o dobro da de Pasadena. O negócio é joint venture entre a Oman Oil Company e a Kuwait Petroleum International.

Top of Mind
A 25ª edição do prêmio Top of Mind, que é o reconhecimento das marcas mais lembradas pelos catarinenses em 2019, apontadas por pesquisa do Instituto Mapa ocorreu em 4 de julho, na sede da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), em Florianópolis. A premiação reconheceu a Havan como a mais lembrada nas categorias “Loja de Departamentos” e “Grande empresa catarinense do comércio”.

Análise
Os grandes investimentos de longo prazo só devem sair da gaveta após a aprovação da reforma da Previdência, segundo o responsável pelo relacionamento com investidores da ARX, em palestra recente realizada em Blumenau.

Onde jogar?
Muitos podem perguntar onde o Metropolitano jogará caso dispute a Copa SC. Indaial? Jaraguá do Sul? Brusque? Não. As partidas serão disputadas no Estádio do Sesi. Isso porque o anúncio de que o complexo esportivo não alugará mais a estrutura para o clube vale apenas para 2020. Quanto a proposta de cessão do Metropolitano a um grupo gestor está nas mãos dos advogados de ambas as partes, para acertos quanto a minuta do contrato. A ideia é de que até o fim de julho haja uma definição do texto para que o Conselho possa votar.

Aviões da FAB
Caiu pela metade o número de viagens com aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) requisitadas por autoridades federais nos primeiros meses do ano. De janeiro a maio, a FAB fez 513 voos transportando ministros de Estado, os presidentes de poderes e a cúpula das Forças Armadas. No mesmo período de 2018, durante o governo Temer, foram registrados 1.042 voos. A marca de redução atende a uma recomendação feita pelo presidente Bolsonaro aos seus auxiliares ainda durante a formulação das primeiras medidas de governo. O objetivo é evitar regalias. O presidente da Câmara dos Deputados foi o que mais usou: 93 vezes no período de cinco meses.

Imóveis públicos em SC
A Secretaria de Patrimônio da União pediu que a superintendência do órgão em SC se manifeste sobre a possibilidade de venda de uma lista de imóveis que pertencem ao governo federal em todo o Estado. Recentemente, a unidade finalizou um levantamento feito a pedido de Brasília, sobre os imóveis com possibilidade de serem liquidados para fazer girar o caixa do governo federal. O Ministério da Economia está fazendo um levantamento e uma vistoria dos imóveis federais que estão desocupados não apenas em SC, mas em todos os Estados. O governo determinou redução de gastos com aluguéis e a venda de ativos com valor de mercado. A União tem hoje mil imóveis catalogados em Santa Catarina. Na lista de imóveis que pertencem à União em SC há uma série de terrenos desconhecidos que fazem parte do patrimônio da antiga Rede Ferroviária Federal e estão espalhados por todo o Estado. Há muitas áreas ocupadas ao longo do caminho, que demandam regularização.

Recall: novas regras
Apenas 48% dos consumidores atendem aos chamados de recall de automóveis. No caso de caminhões, este percentual cai para 39% e de autopeças, para 14,7%. Diante desses dados, o Ministério da Justiça e Segurança Pública anunciou novas regras para dar mais eficiência aos recalls, de forma a evitar ainda mais riscos para o consumidor. Os recalls são feitos quando as empresas identificam, em seus produtos, defeitos de fábrica, que precisam ser ajustados por implicar em riscos à segurança dos consumidores. Duas novas portarias que atualizam a regulamentação das empresas.

Remédio na conta certa (1)
Autorizada em 2006 pelo governo, a venda de remédios de forma fracionada tem o objetivo de permitir que os consumidores paguem apenas pelo número de doses receitadas pelo médico. Assim, eles podem terminar seu tratamento sem que haja sobras. Treze anos depois, porém, os brasileiros ainda são obrigados a comprar medicamentos em embalagens com quantidades determinadas pelos fabricantes. O hábito forçado de manter restos dessas substâncias em casa deveria ser motivo de preocupação de toda a sociedade, para começar, devido às intoxicações de crianças e adolescentes. Dados publicados pela Sociedade Brasileira de Pediatria em 2018 apontaram uma média diária de 37 casos desse tipo. Comprimidos na gaveta também incentivam à automedicação, com riscos de efeitos colaterais e produtos vencidos ou armazenados de forma inadequada.

Remédio na conta certa (2)
Quem descarta os remédios fora do prazo de validade ainda tem o trabalho de buscar locais adequados. Jogar no lixo ou no vaso sanitário pode contaminar o ambiente e a água. Mas o principal benefício da venda fracionada é mesmo a proteção aos consumidores, muitos dos quais destinam boa parte de sua grana aos gastos com a saúde. A indústria farmacêutica e as drogarias são contra a medida, que certamente reduziria vendas. Alegam perigos como os de subdosagem (quando o paciente, sem recursos, compra menos que o necessário para seu tratamento) e de menor segurança dos produtos. Os problemas existem, mas dá para resolvê-los com orientação médica e exigência de procedimentos rigorosos. As vantagens com a redução de custos e transtornos são claramente maiores.

SC à margem da União
O Estado de Santa Catarina contribuiu em 2018 com R$ 58,8 bilhões em impostos para o governo federal. A corrente do comércio exterior totalizou R$ 94,2 bilhões. As exportações catarinenses foram de R$ 34,3 bilhões também no ano passado. E quanto o Estado recebeu de retorno em obras e serviços de infraestrutura, saúde, educação e serviços básicos? Apenas R$ 7,7 bilhões. Os dados foram revelados na reunião do sistema Fiesc pelo secretário da Câmara de Transporte e Logística. SC tem um dos melhores sistemas portuários da América Latina. Os mais movimentados não contam com ligação ferroviária, o que é absolutamente inédito no comparativo com todos os portos do resto do mundo. SC está excluída da proposta do Governo Federal de corredores logísticos, que beneficia todas as demais regiões do Brasil. Existe uma letargia do governo estadual em relação a esta discriminação.

Entroncamento com a BR-101
O governo do Estado de SC não deve executar a interseção da rodovia Antônio Heil (SC-486) com a BR-101, em Itajaí, como estava previsto. O secretário de Estado de Infraestrutura informou que o governo avalia que não é justo com a população que SC sozinha pague por uma obra que envolve uma rodovia federal. Para Brusque é uma situação preocupante que pode demorar muito ou até não acontecer. Do governo federal pode se esperar de tudo. Muito papel e pouca realização.

Área industrial
A Prefeitura de Brusque publicou projeto de lei que institui Área Industrial de Limeira. O assunto causa estranheza à primeira vista, já que a existência de um distrito industrial às empresas é de conhecimento de todos. O projeto oficializa de novo a área industrial. Trata-se de uma medida para regularizar a área e não afeta as empresas já existentes no local. Segundo a Prefeitura, o pente-fino nas concessões de terrenos continua. As empresas ali instaladas precisam de regularização. O governo municipal precisa melhorar a infraestrutura do bairro. Empresas de grande porte deixaram de se instalar no local pela falta desses serviços por parte do governo. Perdemos excelentes oportunidades.

Prejuízo incalculável
Com a falta de sintonia na transição de um governo para outro, Brusque perdeu grandes investimentos que poderiam trazer novos enfoques no que diz respeito com o retorno de impostos, sobretudo do ICMS. Deixamos, na oportunidade, de abrir milhares de novos empregos. Alguns dos investimentos que deixaram de abrir em Brusque: Cervejaria Colônia, All Star, Liderplastic, Mabel Alimentos, entre muitas outras que estavam praticamente acertadas.

Villa Têxtil
Os 30 anos da Villa Têxtil marcam uma passagem de bastão no comando da empresa, agora liderada pelos filhos do casal Renata e Ademir Fantoni, que fundaram o negócio em 1989. Hoje já são 300 funcionários e uma produção mensal de 300 mil peças, que deve subir para 450 mil com novos investimentos. A empresa tem sede em Blumenau e é especializada em private label (produção de marcas de terceiros, com foco em camisetas polos). A empresa projeta uma filial para Pomerode.

Personagens da história
O Coronel Guilherme Krieger foi um dos mais prósperos empreendedores da região de Brusque. Entre os anos 1890 a 1915, disputou a liderança política com o Cônsul Carlos Renaux. Nesse tempo, possuía grande e movimentada casa comercial, exportava produtos agrícolas para os mais importantes centros comerciais do país e importava, em regular escala, as mais variadas mercadorias da Alemanha. No Centro de Brusque, possuía o local onde funcionou por anos a Lojas Renaux e atualmente está localizada a Casas Bahia.

Geração de empregos
Em maio, Brusque gerou 163 novos empregos, foi o terceiro município que mais empregou no mês. No acumulado do ano, são 2.754 novas vagas abertas. Foram admitidas 12.612 pessoas e demitidas 9.858. O saldo positivo de Brusque está entre os melhores do Estado.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 09/07/2019 às 11h27 | acdiegoli@gmail.com



Augusto Cesar Diegoli

Assina a coluna Economia & Negócios

Contabilista aposentado, graduado em Direito pela Univali (ex-Fepevi), pós graduado em Direito tributário e Finanças Empresariais pela Furb, árbitro/mediador e diretor da Câmara de Mediação e Arbitragrem de Brusque e diretor da Facema - Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem.


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade