Jornal Página 3

O crescimento do uso da bicicleta no Brasil

 
Foi publicado mês passado uma pesquisa sobre o crescimento no uso da bicicleta nas cidades brasileiras, realizada no mês janeiro 2015, por Douglas Oliveira que é um entusiasta e ativista do uso da bicicleta como meio de transporte.
 
Ele realizou a pesquisa com base em marketing digital, database marketing e pesquisa quantitativa. Para isso utilizou as redes sociais e o site www.pedalandonacidade.com.br.
 
Segundo Douglas, o objetivo da pesquisa foi entender "a nova relação da cidade com o ciclista" e mostrar menos números, mas, sobretudo conceitos sobre o futuro da bicicleta no Brasil. "Identificamos oportunidades de novos negócios e serviços envolvendo o público que já usa e também as pessoas que passarão a usar a bicicleta em seu cotidiano", explicou o publicitário.
 
A pesquisa mostra o panorama do uso da bike no país e aponta tendências e novas demandas por produtos e serviços voltados aos ciclistas.
 
O resultado chama a atenção para que as autoridades enxerguem a bicicleta e os ciclistas de uma forma diferente, e os empreendedores enxergarão um grande mercado a ser explorado.
 
Analisando a pesquisa é fácil constatar que a situação vivida no Brasil, é idêntica a existente em Balneário Camboriú, onde o número de ciclistas e o interesse por esta forma de meio de transporte cresceu muito nos últimos 2 (dois) anos.
 
A grande sacada da pesquisa foi utilizar muito bem as redes sociais para analisar como as pessoas mostram o seu interesse no dia a dia sobre o assunto. Chama a atenção também à forma como os resultados foram apresentados no relatório final, de uma maneira bem interessante, sem ser cansativa.
 
Alguns resultados chamam a atenção:
 
- 77% DAS PESSOAS QUE RESPONDERAM ANDAM DE BICICLETA.
 
- PORÉM, DO TOTAL, APENAS 32% UTILIZAM A BICICLETA COMO PRINCIPAL MEIO DE TRANSPORTE.
 
- 6 MILHÕES DE BRASILEIROS, RESIDENTES NO PAÍS, CURTEM ASSUNTOS RELACIONADOS À BICICLETA NO FACEBOOK. É PORQUE REALMENTE EXISTE UMA NOVA PERSPECTIVA SOBRE MOBILIDADE URBANA NAS CIDADES.
 
- 97% DOS ENTREVISTADOS ACREDITAM QUE AS CICLOVIAS ATRAIRÃO MAIS PESSOAS PARA ANDAR DE BICICLETA.
 
- IDENTIFICAMOS NO MONITORAMENTO RECLAMAÇÕES DE PESSOAS QUE TIVERAM A CÂMARA OU PNEU DE SUAS BICICLETAS ESTOURADO NO PERCURSO. E QUANDO ISSO ACONTECE NÃO EXISTEM LUGARES PARA ATENDIMENTO POR PERTO. 76% NOS CONTARAM QUE EM SEUS TRAJETOS NÃO EXISTE ATENDIMENTO.
 
- EXISTE O RECEIO EM DEIXAR A BICICLETA EM LOCAIS PÚBLICOS: 37% DAS PESSOAS NÃO COSTUMAM DEIXAR EM LOCAIS PÚBLICOS, POIS TEM MEDO DE FURTO. 35% PREFEREM DEIXAR EM LUGARES ONDE POSSAM VER A BICICLETA.
 
- 90% DAS PESSOAS FALARAM QUE O COMÉRCIO NÃO ESTÁ PREPARADO PARA AS BICICLETAS.
 
Vale à pena ler a pesquisa e analisar os resultados da para entender as mudanças que estão acontecendo.
 
Os empresários podem agregar valor a serviços que já oferecem, e os que forem empreendedores podem vislumbrar uma grande oportunidade de montar um negócio promissor.

A pesquisa completa está no site: http://www.mobilize.org.br/midias/pesquisas/pedalando-na-cidade.pdf

Escrito por , 17/04/2015 às 09h56 |



Assina a coluna Mobilidade Urbana BC

Administrador e cicloativista. Presidente da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú














Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3

O crescimento do uso da bicicleta no Brasil

 
Foi publicado mês passado uma pesquisa sobre o crescimento no uso da bicicleta nas cidades brasileiras, realizada no mês janeiro 2015, por Douglas Oliveira que é um entusiasta e ativista do uso da bicicleta como meio de transporte.
 
Ele realizou a pesquisa com base em marketing digital, database marketing e pesquisa quantitativa. Para isso utilizou as redes sociais e o site www.pedalandonacidade.com.br.
 
Segundo Douglas, o objetivo da pesquisa foi entender "a nova relação da cidade com o ciclista" e mostrar menos números, mas, sobretudo conceitos sobre o futuro da bicicleta no Brasil. "Identificamos oportunidades de novos negócios e serviços envolvendo o público que já usa e também as pessoas que passarão a usar a bicicleta em seu cotidiano", explicou o publicitário.
 
A pesquisa mostra o panorama do uso da bike no país e aponta tendências e novas demandas por produtos e serviços voltados aos ciclistas.
 
O resultado chama a atenção para que as autoridades enxerguem a bicicleta e os ciclistas de uma forma diferente, e os empreendedores enxergarão um grande mercado a ser explorado.
 
Analisando a pesquisa é fácil constatar que a situação vivida no Brasil, é idêntica a existente em Balneário Camboriú, onde o número de ciclistas e o interesse por esta forma de meio de transporte cresceu muito nos últimos 2 (dois) anos.
 
A grande sacada da pesquisa foi utilizar muito bem as redes sociais para analisar como as pessoas mostram o seu interesse no dia a dia sobre o assunto. Chama a atenção também à forma como os resultados foram apresentados no relatório final, de uma maneira bem interessante, sem ser cansativa.
 
Alguns resultados chamam a atenção:
 
- 77% DAS PESSOAS QUE RESPONDERAM ANDAM DE BICICLETA.
 
- PORÉM, DO TOTAL, APENAS 32% UTILIZAM A BICICLETA COMO PRINCIPAL MEIO DE TRANSPORTE.
 
- 6 MILHÕES DE BRASILEIROS, RESIDENTES NO PAÍS, CURTEM ASSUNTOS RELACIONADOS À BICICLETA NO FACEBOOK. É PORQUE REALMENTE EXISTE UMA NOVA PERSPECTIVA SOBRE MOBILIDADE URBANA NAS CIDADES.
 
- 97% DOS ENTREVISTADOS ACREDITAM QUE AS CICLOVIAS ATRAIRÃO MAIS PESSOAS PARA ANDAR DE BICICLETA.
 
- IDENTIFICAMOS NO MONITORAMENTO RECLAMAÇÕES DE PESSOAS QUE TIVERAM A CÂMARA OU PNEU DE SUAS BICICLETAS ESTOURADO NO PERCURSO. E QUANDO ISSO ACONTECE NÃO EXISTEM LUGARES PARA ATENDIMENTO POR PERTO. 76% NOS CONTARAM QUE EM SEUS TRAJETOS NÃO EXISTE ATENDIMENTO.
 
- EXISTE O RECEIO EM DEIXAR A BICICLETA EM LOCAIS PÚBLICOS: 37% DAS PESSOAS NÃO COSTUMAM DEIXAR EM LOCAIS PÚBLICOS, POIS TEM MEDO DE FURTO. 35% PREFEREM DEIXAR EM LUGARES ONDE POSSAM VER A BICICLETA.
 
- 90% DAS PESSOAS FALARAM QUE O COMÉRCIO NÃO ESTÁ PREPARADO PARA AS BICICLETAS.
 
Vale à pena ler a pesquisa e analisar os resultados da para entender as mudanças que estão acontecendo.
 
Os empresários podem agregar valor a serviços que já oferecem, e os que forem empreendedores podem vislumbrar uma grande oportunidade de montar um negócio promissor.

A pesquisa completa está no site: http://www.mobilize.org.br/midias/pesquisas/pedalando-na-cidade.pdf

Escrito por , 17/04/2015 às 09h56 |



Assina a coluna Mobilidade Urbana BC

Administrador e cicloativista. Presidente da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú