Jornal Página 3
Coluna
Mobilidade Urbana BC
Por Henrique da Silva Wendhausen

Porque escolhi a modal bicicleta para sair por ai?

 

Neste mês de julho do ano de 2015, está completando dois anos que optei por transitar por ai só de bicicleta. Não me interessa mais ser proprietário do modal automóvel na minha vida e por que fiz esta escolha maravilhosa.

 
Vou começar dizendo que pedalar é tudo de bom para um indivíduo como eu, que preserva ter qualidade de vida começando pela saúde, depois pela facilidade nos meus deslocamentos pela cidade, o contato direto que tenho com as pessoas, os caminhos diversos que posso escolher saindo da rotina nos meus trajetos do dia a dia e para simplificar, desde de que me conheço por gente sou apaixonado por Ela, a bicicleta. Ainda bem que Ela possui uma denominação feminina, por que seria terrível ter que dizer que sou apaixonado pelo ‘’bicicloto ou bicicleto’’.
 
Mas voltando a realidade o que dizer de ruim de um simples equipamento movido a propulsão humana, que mudou os hábitos de um país como a Holanda, que só soma na minha saúde, que não polui nem o ar e nem os nossos ouvidos, que é de fácil manuseio e que só nos pede um pouco de manutenção para nos oferecer tudo de bom que já citei e muito mais. Este modal que é denominado de bicicleta desde 1870 teve uma evolução maravilhosa e ao chegar aos dias de hoje, podemos usufruir, desde equipamentos muitos simples para o nosso dia a dia a preços acessíveis, até os mais modernos que geralmente podemos ver em competições mundo a fora.
 
Estamos vivendo numa era em que começamos a pensar e a levar em consideração não só a qualidade da nossa saúde, mas também a qualidade do ambiente em que vivemos e como devemos viver neste mesmo ambiente.
 
Pensando desta maneira a modal bicicleta se encaixa perfeitamente neste meio, sabemos todos que esta só soma para as referências que citei e observando estas mesmas referências é que cheguei à conclusão que estava totalmente certo na minha escolha. Para me adaptar tive só que acertar um pouco os meus horários para sair de casa de bicicleta e ir a algum compromisso ou ao trabalho.
 
Também fazem parte da minha vida, usar o modal ônibus ou caminhar, duas maneiras também muito simples de se locomover por uma cidade ou entre elas. Balneário Camboriú é propicia para estas maneiras simples de deslocamento, por ser praticamente plana não oferece obstáculo algum para irmos e virmos sem muito esforço.
 
Faço a observação que esta cidade não possui o melhor meio de transporte urbano da qual já fui usuário, por que os ônibus que por aqui circulam, além de não oferecerem muito conforto, possuem itinerários confusos e não há integração nenhuma com as cidades adjacentes.
 
Na minha opinião, só servem para quebrar um galho, como já diz o dito popular. Desta maneira cabe a nós cobrarmos dos poderes públicos não só por um melhor meio de transporte urbano para todos, mas também uma estrutura de calçadas condizente com a qualidade de vida que queremos.
 
Para encerrar, faço votos para que você que tenha lido este texto, pelo menos tente fazer um teste, mudando um pouco os seus hábitos e descubra por que  foi maravilhoso e apaixonante a minha escolha pelo modal bicicleta.
Escrito por Henrique da Silva Wendhausen, 24/07/2015 às 14h12 | h.s.wendhausen@gmail.com



Henrique da Silva Wendhausen

Assina a coluna Mobilidade Urbana BC

Administrador e cicloativista. Presidente da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br

Página 3
Mobilidade Urbana BC
Por Henrique da Silva Wendhausen

Porque escolhi a modal bicicleta para sair por ai?

 

Neste mês de julho do ano de 2015, está completando dois anos que optei por transitar por ai só de bicicleta. Não me interessa mais ser proprietário do modal automóvel na minha vida e por que fiz esta escolha maravilhosa.

 
Vou começar dizendo que pedalar é tudo de bom para um indivíduo como eu, que preserva ter qualidade de vida começando pela saúde, depois pela facilidade nos meus deslocamentos pela cidade, o contato direto que tenho com as pessoas, os caminhos diversos que posso escolher saindo da rotina nos meus trajetos do dia a dia e para simplificar, desde de que me conheço por gente sou apaixonado por Ela, a bicicleta. Ainda bem que Ela possui uma denominação feminina, por que seria terrível ter que dizer que sou apaixonado pelo ‘’bicicloto ou bicicleto’’.
 
Mas voltando a realidade o que dizer de ruim de um simples equipamento movido a propulsão humana, que mudou os hábitos de um país como a Holanda, que só soma na minha saúde, que não polui nem o ar e nem os nossos ouvidos, que é de fácil manuseio e que só nos pede um pouco de manutenção para nos oferecer tudo de bom que já citei e muito mais. Este modal que é denominado de bicicleta desde 1870 teve uma evolução maravilhosa e ao chegar aos dias de hoje, podemos usufruir, desde equipamentos muitos simples para o nosso dia a dia a preços acessíveis, até os mais modernos que geralmente podemos ver em competições mundo a fora.
 
Estamos vivendo numa era em que começamos a pensar e a levar em consideração não só a qualidade da nossa saúde, mas também a qualidade do ambiente em que vivemos e como devemos viver neste mesmo ambiente.
 
Pensando desta maneira a modal bicicleta se encaixa perfeitamente neste meio, sabemos todos que esta só soma para as referências que citei e observando estas mesmas referências é que cheguei à conclusão que estava totalmente certo na minha escolha. Para me adaptar tive só que acertar um pouco os meus horários para sair de casa de bicicleta e ir a algum compromisso ou ao trabalho.
 
Também fazem parte da minha vida, usar o modal ônibus ou caminhar, duas maneiras também muito simples de se locomover por uma cidade ou entre elas. Balneário Camboriú é propicia para estas maneiras simples de deslocamento, por ser praticamente plana não oferece obstáculo algum para irmos e virmos sem muito esforço.
 
Faço a observação que esta cidade não possui o melhor meio de transporte urbano da qual já fui usuário, por que os ônibus que por aqui circulam, além de não oferecerem muito conforto, possuem itinerários confusos e não há integração nenhuma com as cidades adjacentes.
 
Na minha opinião, só servem para quebrar um galho, como já diz o dito popular. Desta maneira cabe a nós cobrarmos dos poderes públicos não só por um melhor meio de transporte urbano para todos, mas também uma estrutura de calçadas condizente com a qualidade de vida que queremos.
 
Para encerrar, faço votos para que você que tenha lido este texto, pelo menos tente fazer um teste, mudando um pouco os seus hábitos e descubra por que  foi maravilhoso e apaixonante a minha escolha pelo modal bicicleta.
Escrito por Henrique da Silva Wendhausen, 24/07/2015 às 14h12 | h.s.wendhausen@gmail.com



Henrique da Silva Wendhausen

Assina a coluna Mobilidade Urbana BC

Administrador e cicloativista. Presidente da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade