Jornal Página 3
Coluna
Viagens & Turismo
Por Marcos Vinicios Pagelkopf

Pré lançamento do Caminho de Santa Paulina

Olá meus amigos e leitores da coluna Viagens & Turismo.

Na última postagem comentei do caminho de Santa Paulina e do desejo de montar esse circuito. Foi um grande desafio que está dando resultados.
 
Depois de 45 dias de muitas ações e experiências junto com meus amigos, Isaque e Marco Badeco, conseguimos apresentar um roteiro onde tem belezas naturais, boas estruturas para acolher, gastronomia e qualidade no atendimento aos peregrinos fugindo sempre das rodovias, respeitando o caminho original da comitiva que percorreu essas trilhas na inauguração da igreja de Camboriú, em meados dos anos de 1899 a 1900.
 
 
Antes de apresentar como participar e o que tem no Caminho, quero deixar meus agradecimentos pelo apoio e presença no dia 05 (dia em que oficializamos o circuito turístico Caminho de Santa Paulina) em particular a irmã Anna Tomelini Diretora do Santuário de Nova Trento, aos secretários dos municípios onde passa o caminho, as empresas de turismo, aos guias da Aguitur, a imprensa que está colaborando para divulgação desses atrativos.
 
 
Meu muito obrigado também aos administradores da Fazenda Caetés, a meu amigo de infância e colaborador ativo para realização do evento de abertura, Patrick Machado, a diretora do turismo de Camboriú juntamente com os produtores rurais que apresentaram um show gastronômico, ao Dedi e sua equipe que nos proporcionou um almoço digno e saboroso na chegada dos primeiros 12Km e também ao novo empresário do turismo o senhor Pedro Paulo Laus, da Pousada modelo em Tijucas.
 
 
Existe atrás dos grandes montes de Camboriú um caminho em que a fé e a determinação levará você a sentir experiências marcantes e únicas.
 
Um caminho coberto pela mata atlântica que leva você de um santuário ecológico ao santuário religioso em Nova Trento. Esse circuito passa por Camboriú, Tijucas, Canelinha, São João Batista finalizando em Nova Trento.
 
Tem o lado cultural forte e vivo na leitura das construções, nas formas e cores, além do dialeto marcante juntamente com o carisma desses descendentes de imigrantes italianos, trentinos e também austríacos.
 
O circuito tem seu traçado por lugares bucólicos cheios de energia, onde a mata atlântica dá seu show com cheiros, sons e tons de verdes. O ambiente rural é apresentado em cada metro, o circuito está sendo programado com paradas estratégicas nos sítios que abrem as portas para atender os visitantes. São propriedades com pomares enormes, pousadas que antigamente eram estufas de fumicultores, restaurantes ao ar livre e o lado da fé que é o apelo principal desse Caminho.
 
 
Descobrimos no traçado do caminho os parentes da Madre Paulina, e ouvimos histórias de como era a vida da Santa na terra.
 
É quase impossível explicar e tentar passar as emoções e as experiências, é melhor você vir conhecer, viver e sentir o que temos de novo em nossa região.
 
Nesse caminho a fé supera os limites, você se encontra e sente os sabores da liberdade, da aventura segura e contagiosa.
 
 
Venha conhecer o Caminho oficial de Santa Paulina.
Venha viver essas emoções.
 
Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 09/05/2017 às 12h01 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Reconhecimento do Caminho de Santa Paulina

Na continuidade dos reconhecimentos dos atrativos turísticos do Caminho de Santa Paulina, encontramos atrações espetaculares na região do Oliveira em Tijucas, atrás dos grandes montes de Camboriú.

Essa região é formada pelos descendentes dos imigrantes italianos vindos da Europa para povoar esse pedaço do Sul do Brasil.

Pense num povo acolhedor e carismático, saímos dali com frutas, legumes e muitos amigos.

Para quem não está acompanhando os serviços, estamos catalogando e fazendo um diagnóstico dos atrativos que tem no circuito turístico entre Balneário Camboriú, Camboriú, Tijucas, Canelinha, São João Batista e Nova Trento via bairro Caetés em Camboriú.

Estamos montando um circuito turístico com roteiros variados para atender os peregrinos, cicloturistas e os adeptos a caminhadas e aventuras.

Em Tijucas, além da gastronomia caseira e italiana encontramos duas estruturas prontas para atender os turistas como pousadas, são estufas totalmente restauradas e com muito capricho remodeladas.

Uma delas com um diferencial, tem uma lagoa onde o proprietário convida a pescar e degustar o peixe ali mesmo da lagoa para mesa.

O que me chamou muito a atenção foram os pomares com suas árvores frutíferas carregadas com laranjas, tangerinas, maracujás e uma enorme quantidade de hortaliças.

No primeiro momento veio um letreiro a minha mente "Colha & Pague". Quando conheci os proprietários da enorme plantação de frutas e legumes, apresentei a ideia mostrando que essa prática de atividade turística já existe e está em alta no Brasil e no Mundo. Uma experiência única, você colher, comer e levar para sua casa frutas e verduras fresquinhas e sem agrotóxicos.

Wilson um os irmão sócios na lavoura falou "se essa moda pega só teremos que plantar, eles irão colher" rindo e concordando com a ideia.

Venha Conhecer os frutos dessa iniciativa turística e deliciar-se no Caminho que Santa Paulina caminhou, conforme relata o meu amigo idealizador desse projeto, historiador e museólogo Isaque Borba Correa.

Nessa investida, andamos mais e 15 km entre o último ponto que foi no final do roteiro Mata Atlântica no restaurante do Dédi em Campo Novo, Tijucas.

Para minha surpresa no caminho que denominamos "Dos Imigrantes" tem água potável na beira da estrada, vários armazéns e bares com estrutura de banheiros, alimentação e muitas frutas.

Tudo isso colabora para concretização do roteiro turístico Caminho de Santa Paulina, que para mim será um dos melhores atrativos turísticos da região da Costa Esmeralda, pois inclui Turismo Religioso, Ecológico, Rural, Gastronômico e Cultural.

Dia 05 é o pré-lançamento e no dia 06 a primeira caminhada.

Venha caminhar junto, venha conhecer o que temos de melhor atrás dos grandes montes de Camboriú.

As agências, as pousadas e os participantes apoiadores nessa ação turística, irei publicar no meu blog pessoal
www.euqueroirnessa.com

Mais informações pelo e-mail caminhodemadrepaulina.com

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 19/04/2017 às 11h08 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Visitar o Vale Europeu é uma maneira espetacular de sentir emoções

Nessa última visita apresentei o roteiro que envolve ecologia, gastronomia e adrenalina para a agência de viagens e turismo receptivos Centrotur de Balneário Camboriú e para alguns convidados.

A região escolhida foi entre Dr. Pedrinho e Rio dos Cedros.

As emoções iniciaram-se em Timbó na Thaphyoca e não foi diferente em Benedito Novo no Salto Donner. Apresentei a gastronomia e atrativos como uma legitima Taberna, uma cachoeira que servia de refúgio aos índios, sua cortina d'água fecha a frente de uma gruta que é acessada por trilhas e que completaram esse maravilhoso passeio...

A extraordinária gastronomia é feita com produtos totalmente orgânicos, que é marcante nos sabores das receitas feitas como magica no fogão a lenha da Oma, o escondidinho de aipim com frango caipira e os pratos servidos como a torta de cebola não tem explicação, só saboreando para saber, é simplesmente marcante.

Outra atração do Recanto da Oma são as trilhas e as cachoeiras que tem na propriedade. Além do divino café colonial e almoço, o recanto abre as portas, somente com reservas, atendendo com hospedagens e jantar.

Você é acolhido numa casa aconchegante com enxovais e utensílios, na cozinha tem uma vista maravilhosa das escarpas das floresta, pois o recanto está na divisa da floresta das Araucárias e no término das vegetações da mata Atlântica.

É um lugar que me surpreende a cada visita. Nessa, quando íamos em direção a cachoeira do Índio encontramos na estradinha coberta de pinheiros um cervo. Em todos as minhas aventuras em Santa Catarina foi a primeira vez que me deparei com um animal de tal formosura, a emoção em vê-lo deixou-me sem ação, como fotografá-lo, ficamos todos perplexos.

Depois desse contato, estávamos em meio a floresta tropical, que guarda um espetáculo a cada instante. O que muitos buscam como opção de lazer no exterior, temos aqui bem pertinho, belezas naturais invejáveis e experiências únicas e inesquecíveis.

A cachoeira do Índio é outra mostra do potencial turístico do Vale Europeu, além dessa maravilha feita por Deus, a propriedade tem uma legítima Taberna, que é hospedaria, restaurante e café colonial, bem ao meio de um lugar inóspito, sem vizinhos, rodeado de muita natureza, uma estrutura pronta para lhe atender e com internete.

Como já comentei em outra postagem apresentando o Vale aos Agenciadores da Bravatur e da Centrotur, que foi a empresa que nos levou nessa experiencia, é logo ali. Saímos de Balneário Camboriú as 8:00 hs da manhã e retornamos as 21h, foram 13 horas de muita diversão, experiências e sabores.

Venha conhecer. Tanto a Centrotur como a Bravatur levam você, seus amigos e familiares a sentir essas emoções.
Venha sentir nossa Santa Catarina.

 

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 07/04/2017 às 15h41 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Caminho de Santa Paulina via Caetés - Camboriú

Nesses últimos dias estou empenhado na realização do roteiro Caminho de Santa Paulina em Camboriú, participei de ações e convites feitos pela prefeitura de Camboriú e Balneário Camboriú. Ver a predisposição desses administradores públicos em querer realizar esse novo atrativo turístico, nos deu a mim e ao Isaque, um certo ânimo.

Fui mais uma vez ver de perto todas as estruturas e as comunidades onde passa o Caminho de Santa Paulina, mas dessa vez foi caminhando.

Convidei um dos diretores da Casa do Turista para acompanhar essa divertida caminhada juntamente com o Isaque de Borba Correia, o idealizador dessa espetacular odisseia, e meu filho como fotógrafo para registrar os melhores e piores momentos do percurso Mata Atlântica, que corresponde de Camboriú no bairro rural dos Caetés até Tijucas no bairro rural Campo Novo, onde a CentroTur agência de viagens e receptivos fez nosso resgate.

Foi aí que saborearmos uma deliciosa costelinha, no restaurante do Dedi. Um restaurante que serve como apoio e também serve uma deliciosa refeição no meio da região rural e mata atlântica, com wifi, bebidas geladas e um cardápio espetacular que ajudou a consagrar o roteiro do Circuito do Caminho de Santa Paulina.

Nossa empreitada iniciou-se na fazenda dos Caetés, as 8h da manhã. Caminhamos até o sitio do Joel, os primeiros 5 quilômetros foram de análise e de observação, pois estou oferecendo um atrativo que requer disposição e força de vontade para caminhar e chegar no destino.

Chegando ao sitio do Joel onde o visual começa a ficar mais pitoresco, tem mais ar de campo com rural e bom astral. Além do ótimo e caloroso atendimento familiar o lugar é base dos praticantes de off road, ora visto que no dia que estávamos lá mais de 80 Amarok iriam confraternizar e divertir-se nas pistas preparadas no sitio.

Quando falei na última postagem referente ao Caminho, eu errei em comentar dizendo que ele é um tesouro que temos que polir, na verdade é um tesouro que temos que mostrar e apresentar ao turismo, pois já está público e pronto para atender todos o tipo de clientes, de caminhantes ao cicloturismo, do religioso ao simples amante da natureza e suas belezas.

Continuando o relato sobre a nossa caminhada rumo a Nova Trento, saindo do sitio seguimos já em terras tijucanas, onde a mata é mais fechada e o esplendor da natureza se apresenta em todos os lados.

São córregos e pequenas cachoeiras nos dois lados da pequena estradinha e volta e meia encontrávamos um ou mais quadriciclos, 4x4 e alguns cicloturistas, isso porque nos fins de semana os amantes da natureza encontram-se nas vias rurais da nossa região. Eu aconselho a quem quer fazer o caminho que faça durante a semana, pois é praticamente sem ninguém nos 12 km entre Camboriú e Tijucas.

E a Centrotur e a Casa do Turista irão comercializar esse roteiro.

A outra etapa entre Tijucas e Nova Trento ficará para próxima postagem, outro lugar que guarda uma riqueza cultural, ecológica e gastronômica.

Estamos preparando um pré lançamento para que então as demais agências de viagens iniciem as vendas e os serviços de retorno.

Venha conhecer Santa Catarina.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 28/03/2017 às 17h36 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Caminho da Santa Paulina

Camboriú e Tijucas primeira etapa do Caminho.

Faz anos que o meu amigo escritor, historiador e museólogo me espicaça com a história de montar um caminho de peregrinação.

Essa ideia vem desde a época do lançamento do livro Caminho de São Tomé. Ele, Isaque de Borba Correa, vem com isso na cabeça de fazermos um circuito entre Camboriú e Nova Trento, com o nome de Caminho da Santa Paulina, gostei da ideia e iniciamos uma odisseia.

Ele me levou em Garuva na escada que foi usada pelos Jesuítas, rodamos Nova Trento em busca do acesso usado na época em que a Madre tinha seus hábitos aqui na terra, isso foi com apoio do Secretário de Turismo de Nova Trento. O Isaque foi a Iguapé, pesquisou sobre Compostela e fez muitas buscas e investimentos e nada de resultados, mas a semente estava sendo plantada.

Hoje depois de muitos traçados, mapas, trilhas e investidas na busca do melhor caminho e que tenha as características necessárias para atender uma demanda de peregrinos como também os turistas e cicloturistas, fomos conhecer o caminho que liga o bairro dos Caetés em Camboriú ao bairro rural Oliveira em Tijucas, que é a primeira etapa do circuito.

Descobrimos um tesouro turístico escondido em meio a mata atlântica, com cenário rural e nativo, com riachos, vales, montanhas e com uma infraestrutura básica. Mas para nossa surpresa encontramos três pontos de apoio espetaculares, num percurso de 48 km que liga Camboriú até Tijucas na zona rural.

O circuito inicia aqui em baixo no Califas e o check in é na Fazenda Pousada dos Caetés, com chalés, piscinas, quadras polivalentes, e muitos entretenimentos, a qualidade é perfeita em tudo na fazenda.

Mais adiante, o nosso guia e diretor da secretaria de obras de Camboriú, Esmael Rosa nos apresentou o Rancho do Joel que eu já conhecia de nome a vários anos, mas por estar localizado numa área totalmente isolada nunca tive a oportunidade de ir pessoalmente.

Me surpreendi com que encontramos lá, e sabe quando você sente que esse é literalmente o caminho? Então, a quilômetros do centro urbano encontramos um belo de um sítio com serviços de lanchonete e refeições básicas, cerveja gelada e a opção de locação de hospedagens, num local com trilhas para prática do off road e motocross, com um ar de sítio praiano que é bem destinto dos encontrados no Vale Europeu ou em outras regiões do estado, e está localizado bem na divisa dos dois municípios.

Após conhecer o local e saber que o administrador é amigo intimo do historiador, de Ismael e também já foi vereador em Balneário Camboriú, facilitou tudo. Seguindo nosso caminho o nosso condutor e conhecedor de todas as vias rurais e tifas de Camboriú falou 'agora vai iniciar as belezas".

E foi o que me impressionou, além das duas propriedades, o visual ecológico que você encontrará nesse caminho é surpreendente, entre as curvas dessa estrada o riacho corta e cruza em vários pontos fazendo um show que a natureza nos presenteia aqui bem pertinho da Capital do turismo.

No ponto em que eu menos esperava, ou melhor quando comecei a me preocupar, pois já tínhamos rodado da última parada uns 30 minutos, um rio corta nossa estrada, e do outro lado um restaurante com estrutura certa e necessária inclusive com wifi, para se conetar com a civilização. A partir desse ponto o trajeto é pela zona rural de Tijucas.

E o espetáculo continua, o cenário que tem nessa região do outro lado dos grandes morros de Camboriú é herança dos primeiros imigrantes do Vale do Tijucas.

As construções, as estufas de fumo hoje desativadas, feitas de tijolo maciço e telhados que nos remetem à Itália, as vinícolas, os alambiques, as atafonas que são encontrados a cada curva, como também um número impressionante de lavouras de maracujá, feijão, batatas, milhos, os belos arrozais, os ranchos de canela preta com telhados centenários são locais de trabalho dos agricultores, na sua grande maioria descendentes de italianos, completam assim juntamente com a gastronomia italiana um passeio único, exclusivo, cheio de emoções, experiências, superação, cultura e fé.

A estrada que cruza essa parte da mata entre esses dois municípios só dá pra fazer caminhando, de bicicletas, moto e carros 4x4.

E para termos um diagnóstico turístico de um profissional da área convidei para participar dessa ação a minha amiga Vera Lucia Rodrigues, guia de turismo registrada no Cadastur para avaliar o projeto, o roteiro e a infraestrutura.
Idealizador: Isaque de Borba Correa.

 

Diretor de Obras de Camboriú: Esmael Rosa

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 16/03/2017 às 13h16 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Santa Catarina que o turista não conhece

Outro dia apresentei o Turismo Rural de Camboriú e o Vale Europeu para um dos diretores da Casa do Turista e para a proprietária da Agência de Viagens Centrotur, e nessa semana foi a vez da BravaTur que é responsável pelos receptivos dos hermanos chilenos em Balneário Camboriú, a sugestão foi Camboriú Rural e o Vale Europeu região dos Lagos...

O roteiro no Turismo Rural de Camboriú é o Califas comida caseira como opção gastronômica, a reserva ecológica com cachoeiras, cascatas e muita mata Atlântica é no seu Garcia e o melhor café rural é no sitio Brilho Verde da dona Sizinha e do seu Henrique nas Congonhas que é a base de partida da trilha do Pico da Pedra.

Não parou por ali, com o olho no mercado regional a Bravatur contratou meus serviços para apresentar os melhores atrativos turístico do Vale Europeu e também alimentar com informações turísticas o site oficial da agência e o blog de viagens 'Santa Catarina que você não conhece".

Como primeiros atrativos em minha consultoria para Bravatur apresentei os roteiros do Turismo Rural de Camboriú e o da região dos Lagos, incluindo Blumenau, Timbó, Rio dos Cedros e Pomerode. 

Esse roteiro tem cultura, gastronomia, ecologia, esportes radicais e de aventura com muita diversão e segurança.

Em Rio dos Cedros a cultura italiana é quem reina, em Pomerode Timbó e Blumenau são os alemães que ditam as regras, as belezas ecológicas, e urbanas desse pedaço de Santa Catarina junto com a carisma e a receptividade dos responsáveis pelas atividades turísticas garantiram a aceitação pelos agentes de viagens como um produto de qualidade e com potencial.

Marcos Cimelio Pereira, um dos proprietários da Bravatur, profissional do turismo com reconhecimento nacional e internacional pelo seu trabalho, atua no turismo catarinense desde a década de 90, é agenciador e regeu a presidência da Santur com grande exito, completou seu parecer com essa visão, dizendo: esses novos atrativos serão a bola da vez no turismo regional, chegou a hora de mostrar os sabores de Santa Catarina que o turista não conhece.

Esses roteiros entraram no leque da Bravatur e da Centrotur como produtos a serem vendidos nas lojas físicas e virtuais e também diretamente aos clientes que hospedam-se em Balneário Camboriú e queiram conhecer mais a região.

Esse pequeno mas grande passo amplia as opções aos nossos turistas e aos visitantes regionais, pois o cardápio de passeios oferecidos por mais de 99% da agências de viagens de Balneário Camboriú são da década de 90 e sempre no mesmo circulo vicioso, tanto comercial como operacional.

A regionalização ficou estagnada durante anos, mostrando sempre o mesmo cenário aos turistas que visitam Balneário Camboriú, que é conhecer Bombinhas, Florianópolis, Blumenau, Brusque e um pouco de Joinville. Chegou a hora de mostrar a Santa Catrina que o turista não conhece.

Essas minhas investidas na regionalização dos atrativos está sendo referência a várias agências, muitos turistas individuais e também as associações como a HOG a elite dos motociclista de Florianópolis e recentemente a AFUVI associação dos funcionários da Universidade do Vale do Itajai Univali, estão prestigiando as dicas e sugestões de lazer e atrativos que apresento nas minhas redes sociais e aqui na coluna Viagens & Turismo do portal do Pagina3.

Resumindo, três meses de apresentações com sucesso, o ano de 2017 promete e muito.

Venha você também conhecer o que temos de bom na Santa Catarina que o turista não conhece.

Venha sentir essas emoções e esse sabores.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 09/03/2017 às 12h36 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade





publicidade



1 2 3 4 5 6 7 8

Marcos Vinicios Pagelkopf

Assina a coluna Viagens & Turismo

Trabalho com turismo desde 1985, já fui agente de viagens, promotor de vendas de atrativos turísticos, professor de curso de recepção municipal e de guia de turismo da Univali, consultor, palestrante e idealizador de ações como a primeira comemoração do Dia Mundial do Turismo no Brasil.
















Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br