Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Morre aos 73 o guitarrista Larry Coryell, pioneiro do fusion

Terça, 21/2/2017 6:09.
Divulgação.

Publicidade

(FOLHAPRESS) - O guitarrista norte-americano Larry Coryell morreu no domingo (19), em um hotel em Nova York, aos 73 anos.

Com mais de 50 anos de carreira, Coryell despontou na cena jazzística durante a década de 60, ao gravar com o baterista Chico Hamilton.

À frente da Free Spirits, foi um dos pioneiros no estilo híbrido que ficou conhecido como jazz-rock, que mais tarde seria chamado de fusion.

Na década seguinte, alavancou uma frutífera carreira com a banda The Eleventh House, mas sua popularidade foi esnobada por muitos críticos.

"Talvez eu tenha sido um pouco discriminado, mas isso não é tão importante. Acredito que há espaço para todos", afirmou o guitarrista em entrevista em 2008.

"Sempre gostei de tocar jazz e isso é o que conta. De certo modo, a fusion nasceu porque alguns músicos jovens, como eu, queriam contribuir com algo de novo para a música de nossa geração. Mas tudo o que fizemos e criamos tinha o jazz como base".

Apreciador da música brasileira, Coryell lançou em 1992 o álbum "Live from Bahia" (Rhino), gravado em Salvador, em 1992, com participações dos violonistas Dori Caymmi e Romero Lubambo, do tecladista Luiz Avellar e do baixista Nico Assumpção, entre outros instrumentistas locais.

No Brasil, o músico se apresentou em diversas ocasiões desde sua primeira vinda, em 1978.

Ele gravou e participou de mais de cem discos e pretendia lançar um novo álbum em junho deste ano.

Sua derradeira apresentação ocorreu na sexta, no Iridium, clube nova-iorquino dedicado ao jazz.

Coryell deixa sua mulher, Tracey, quatro filhos e seis netos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação.

Morre aos 73 o guitarrista Larry Coryell, pioneiro do fusion

Publicidade

Terça, 21/2/2017 6:09.

(FOLHAPRESS) - O guitarrista norte-americano Larry Coryell morreu no domingo (19), em um hotel em Nova York, aos 73 anos.

Com mais de 50 anos de carreira, Coryell despontou na cena jazzística durante a década de 60, ao gravar com o baterista Chico Hamilton.

À frente da Free Spirits, foi um dos pioneiros no estilo híbrido que ficou conhecido como jazz-rock, que mais tarde seria chamado de fusion.

Na década seguinte, alavancou uma frutífera carreira com a banda The Eleventh House, mas sua popularidade foi esnobada por muitos críticos.

"Talvez eu tenha sido um pouco discriminado, mas isso não é tão importante. Acredito que há espaço para todos", afirmou o guitarrista em entrevista em 2008.

"Sempre gostei de tocar jazz e isso é o que conta. De certo modo, a fusion nasceu porque alguns músicos jovens, como eu, queriam contribuir com algo de novo para a música de nossa geração. Mas tudo o que fizemos e criamos tinha o jazz como base".

Apreciador da música brasileira, Coryell lançou em 1992 o álbum "Live from Bahia" (Rhino), gravado em Salvador, em 1992, com participações dos violonistas Dori Caymmi e Romero Lubambo, do tecladista Luiz Avellar e do baixista Nico Assumpção, entre outros instrumentistas locais.

No Brasil, o músico se apresentou em diversas ocasiões desde sua primeira vinda, em 1978.

Ele gravou e participou de mais de cem discos e pretendia lançar um novo álbum em junho deste ano.

Sua derradeira apresentação ocorreu na sexta, no Iridium, clube nova-iorquino dedicado ao jazz.

Coryell deixa sua mulher, Tracey, quatro filhos e seis netos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade