Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Público lota teatro na estreia de Tereza - Além da cocada

Curta conta a história dela que foi mãe social e lutou muito para criar filhos biológicos e adotivos

Quarta, 19/7/2017 8:56.

Publicidade

A estreia do Documentário “Tereza - Além da cocada” lotou o Teatro Municipal Bruno Nitz, em Balneário Camboriú, nesta segunda-feira (17). O público se emocionou e aplaudiu a história de Tereza Maria da Silva, 68 anos, vendedora ambulante, que trabalhou como “Mãe Social” acolhendo crianças e adolescentes abandonados, na cidade de Araucária, no Paraná.

Em Balneário Camboriú, Tereza é conhecida por seu famoso bordão: “olha a cocaaada!” Muitas pessoas compram os doces da simpática senhora que anda pelo centro da cidade puxando um carrinho e levando uma bandeja na cabeça. Mas, poucas conhecem a história da mulher simples e trabalhadora, que se dedicou por 14 anos a garantir um ambiente familiar para menores desassistidos, incluindo acesso à saúde, escola, lazer e profissionalização.

Tereza adotou 13 dentre as dezenas de crianças e adolescentes acolhidos em sua casa. Segundo um dos filhos adotivos, ela sempre buscou dar a oportunidade de uma vida correta e digna, e nunca fez distinção entre os seus dois filhos biológicos e os filhos adotados.

O curta-metragem, de Emilio Padisil e Márcio Gonçalves, foi desenvolvido como trabalho de conclusão do curso de Tecnologia em Produção Audiovisual da Universidade do Vale do Itajaí/UNIVALI. Um dos objetivos da obra audiovisual é despertar a reflexão sobre a importância do programa de guarda subsidiada e inspirar outros ao trabalho social.

Tereza – Além da Cocada, foi eleito como melhor documentário pelo júri popular, efoi indicado nas categorias de melhor direção e roteiro, na 6ª edição do Festival de Cinema Universitário Tainha Dourada, realizado em julho deste ano na UNIVALI. Emílio e Márcio pretendem gravar o documentário em DVD para distribuição em acervos de universidades, bibliotecas e TVs públicas, e também participar com o curta em outros festivais.

Tereza e os diretores: Emílio e Márcio

Ficha técnica

Direção: Márcio Gonçalves
Direção de Fotografia: Emílio Padisil
Som Direto: Emílio Padisil e Kauê Santos
Edição e Montagem: Márcio Gonçalves
Coordenação do projeto: Giovani Canan
Apoio: Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Texto: Débora Gascho


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Público lota teatro na estreia de Tereza - Além da cocada

Curta conta a história dela que foi mãe social e lutou muito para criar filhos biológicos e adotivos

Publicidade

Quarta, 19/7/2017 8:56.

A estreia do Documentário “Tereza - Além da cocada” lotou o Teatro Municipal Bruno Nitz, em Balneário Camboriú, nesta segunda-feira (17). O público se emocionou e aplaudiu a história de Tereza Maria da Silva, 68 anos, vendedora ambulante, que trabalhou como “Mãe Social” acolhendo crianças e adolescentes abandonados, na cidade de Araucária, no Paraná.

Em Balneário Camboriú, Tereza é conhecida por seu famoso bordão: “olha a cocaaada!” Muitas pessoas compram os doces da simpática senhora que anda pelo centro da cidade puxando um carrinho e levando uma bandeja na cabeça. Mas, poucas conhecem a história da mulher simples e trabalhadora, que se dedicou por 14 anos a garantir um ambiente familiar para menores desassistidos, incluindo acesso à saúde, escola, lazer e profissionalização.

Tereza adotou 13 dentre as dezenas de crianças e adolescentes acolhidos em sua casa. Segundo um dos filhos adotivos, ela sempre buscou dar a oportunidade de uma vida correta e digna, e nunca fez distinção entre os seus dois filhos biológicos e os filhos adotados.

O curta-metragem, de Emilio Padisil e Márcio Gonçalves, foi desenvolvido como trabalho de conclusão do curso de Tecnologia em Produção Audiovisual da Universidade do Vale do Itajaí/UNIVALI. Um dos objetivos da obra audiovisual é despertar a reflexão sobre a importância do programa de guarda subsidiada e inspirar outros ao trabalho social.

Tereza – Além da Cocada, foi eleito como melhor documentário pelo júri popular, efoi indicado nas categorias de melhor direção e roteiro, na 6ª edição do Festival de Cinema Universitário Tainha Dourada, realizado em julho deste ano na UNIVALI. Emílio e Márcio pretendem gravar o documentário em DVD para distribuição em acervos de universidades, bibliotecas e TVs públicas, e também participar com o curta em outros festivais.

Tereza e os diretores: Emílio e Márcio

Ficha técnica

Direção: Márcio Gonçalves
Direção de Fotografia: Emílio Padisil
Som Direto: Emílio Padisil e Kauê Santos
Edição e Montagem: Márcio Gonçalves
Coordenação do projeto: Giovani Canan
Apoio: Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Texto: Débora Gascho


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade