Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Ciranda de Ioiô e Iaiá comemora um ano com muito samba neste sábado, na Brava

Ingressos custam R$ 10

Sexta, 12/5/2017 16:39.
Versatix

Publicidade

“Não deixe o samba morrer, não deixe o samba acabar...”, quem nunca ouviu este pedido, dos sambistas mais antigos, até a mais nova geração do samba? E é neste misto de tradição, com o melhor da atualidade, que a Roda de Samba CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ se reúne uma vez ao mês para celebrar a Cultura Popular do Samba.

A próxima CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ acontece neste sábado (13), às 21h, na Casa Vôo Livre, Rua Albatroz, n°27, Praia Brava, anexo ao restaurante Voo Livre.

O valor da entrada é R$10,00 (por pessoa).

Neste mês de maio, o encontro dos chamados “Cirandeiros” será especial, em comemoração ao primeiro ano de sucesso do projeto, que vem embalando amantes do samba na região.

Em Maio de 2016, a Ciranda de Ioiô e Iaiá iniciou suas rodas de Samba em Balneário Camboriú, no Tato Bar, a partir de setembro de 2016 a roda migra para o Mercado Público de Itajaí, e agora, após um ano de sucesso, a Ciranda passará a acontecer na Casa Voo Livre, na Praia Brava.

No comando da Roda de Samba estão Cacá do Cavaco (Ioiô) e Bruna Pierami (Iaiá) que agitam a Ciranda puxando desde Sambas Clássicos e Tradicionais como Cartola, Noel Rosa e Adoniran Barbosa, até os mais recentes sambas já consagrados nas vozes de Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Beth Carvalho, Alcione e outros.

O nome “CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ”, vem do propósito de o encontro ser uma grande “brincadeira de roda cantada”, assim como uma Ciranda, e “Ioiô e Iaiá” eram como tratavam-se carinhosamente os negros vindo da África, nos tempos da escravidão, onde também tradicionalmente faziam rodas para celebrar suas crenças e culturas. Estes termos também são lembrados nas letras de vários sambas.

Iaiá Bruna Pierami é dona de uma voz singular, suave e encantadora, enquanto Ioiô Cacá acompanha cada canção nas cordas de seu cavaco, seguido de músicos que agregam a Ciranda, com muita batucada que não pode faltar.

“Em tempos sombrios e de crise em que estamos vivendo na nação brasileira, voltar as raízes e cultivar nossas tradições é vital para nossa identidade cultural. A arte tem muito a contribuir em uma sociedade doentia”, comenta Monique Neves, produtora cultural e organizadora do evento juntamente com Aline Costa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Versatix

Ciranda de Ioiô e Iaiá comemora um ano com muito samba neste sábado, na Brava

Ingressos custam R$ 10

Publicidade

Sexta, 12/5/2017 16:39.

“Não deixe o samba morrer, não deixe o samba acabar...”, quem nunca ouviu este pedido, dos sambistas mais antigos, até a mais nova geração do samba? E é neste misto de tradição, com o melhor da atualidade, que a Roda de Samba CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ se reúne uma vez ao mês para celebrar a Cultura Popular do Samba.

A próxima CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ acontece neste sábado (13), às 21h, na Casa Vôo Livre, Rua Albatroz, n°27, Praia Brava, anexo ao restaurante Voo Livre.

O valor da entrada é R$10,00 (por pessoa).

Neste mês de maio, o encontro dos chamados “Cirandeiros” será especial, em comemoração ao primeiro ano de sucesso do projeto, que vem embalando amantes do samba na região.

Em Maio de 2016, a Ciranda de Ioiô e Iaiá iniciou suas rodas de Samba em Balneário Camboriú, no Tato Bar, a partir de setembro de 2016 a roda migra para o Mercado Público de Itajaí, e agora, após um ano de sucesso, a Ciranda passará a acontecer na Casa Voo Livre, na Praia Brava.

No comando da Roda de Samba estão Cacá do Cavaco (Ioiô) e Bruna Pierami (Iaiá) que agitam a Ciranda puxando desde Sambas Clássicos e Tradicionais como Cartola, Noel Rosa e Adoniran Barbosa, até os mais recentes sambas já consagrados nas vozes de Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Beth Carvalho, Alcione e outros.

O nome “CIRANDA DE IOIÔ E IAIÁ”, vem do propósito de o encontro ser uma grande “brincadeira de roda cantada”, assim como uma Ciranda, e “Ioiô e Iaiá” eram como tratavam-se carinhosamente os negros vindo da África, nos tempos da escravidão, onde também tradicionalmente faziam rodas para celebrar suas crenças e culturas. Estes termos também são lembrados nas letras de vários sambas.

Iaiá Bruna Pierami é dona de uma voz singular, suave e encantadora, enquanto Ioiô Cacá acompanha cada canção nas cordas de seu cavaco, seguido de músicos que agregam a Ciranda, com muita batucada que não pode faltar.

“Em tempos sombrios e de crise em que estamos vivendo na nação brasileira, voltar as raízes e cultivar nossas tradições é vital para nossa identidade cultural. A arte tem muito a contribuir em uma sociedade doentia”, comenta Monique Neves, produtora cultural e organizadora do evento juntamente com Aline Costa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade