Jornal Página 3

Roteiro Turístico Cultural em construção em Balneário Camboriú
Sítio Histórico da Barra (igrejinha, Casa Linhares, praça e colônia dos pescadores) será ponto de referência cultural
Sítio Histórico da Barra (igrejinha, Casa Linhares, praça e colônia dos pescadores) será ponto de referência cultural

Segunda, 18/9/2017 11:03.

Uma equipe da Associação dos Municipios da Região da Foz do Rio Itajaí (Amfri) junto com funcionários da secretaria de Turismo (Sectur) e da Fundação Cultural de Balneário Camboriú visitou semana passada alguns pontos com obras culturais que poderão ser inseridas no Roteiro Turístico Cultural em elaboração.

Também participaram do encontro o presidente do Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon), Nelson Nitz e o secretário de Turismo, Miro Teixeira.

Estes atrativos culturais começaram a ser visitados no início do mês, com o objetivo de reintegrar Balneário Camboriú ao Roteiro Cultural do Consórcio Intermunicipal de Turismo Costa Verde e Mar. A reintegração é porque Balneário Camboriú voltou a fazer parte da Amfri desde o começo deste governo.

A diretora de Artes da Fundação Cultural Lilian Martins Camargo disse que no momento o trabalho é de inventariar e diagnosticar os pontos da cultura local que podem ser um atrativo turístico.

“É um trabalho delicado, porque precisamos avaliar o que é patrimônio cultural identitário e se está pronto para receber visitantes. É preciso prever a capacidade de carga, avaliar os riscos de descaracterização”, detalhou.

Uma comissão de turismólogos do Colegiado da Amfri e das cidades que fazem parte avaliam para integrar o Roteiro e sua divulgação no aplicativo da Amfri.

“Nós participamos do inventário e acompanhamos tudo. Um dos roteiros que apresentamos foi o das obras de arte, onde num primeiro momento, partimos do levantamento do livro Artes Urbanas (Sinduscon/Bola Teixeira, George Varela/ curadoria Reiner Wolf). Mas não é só dali, porque já temos um levantamento de 46 obras de arte em espaço público e mais de 100 em jardins e fachadas de prédios”, explicou Lilian.

Mais opções

As edificações religiosas, que marcam o tempo histórico da cidade, também entrarão no Roteiro em elaboração.

“Do início do povoamento, a singela Capela de Santo Amaro. A Capela Luterana da Rua 2300, outro bem tombado, é a marca dos nossos veranistas do Alto Vale”, apontou a diretora da Fundação. Como símbolo do modernismo tem as igrejas matriz Santa Inês e a luterana Martin Luther e outras em análise, tem o Cristo Luz, que já é um atrativo turístico consagrado.

Segundo Lilian, o Roteiro ainda inclui um Rancho de Pescador, de Taquaras, o Sítio Histórico da Barra (praça, igreja, casa Linhares, colônia de pescadores) e possivelmente outros ranchos de pesca, cultivo de mariscos, engenho de farinha, comunidade quilombola.

“Tem ainda o Roteiro dos equipamentos culturais, do qual poderão participar Biblioteca, Arquivo Histórico, Teatro, Galeria de Arte, Parque Cyro Gevaerd e ainda o Roteiro Ambiental com o Parque Ecológico que também pode ser enquadrado no Roteiro Cultural, porque agora tem um Parque das Esculturas”, seguiu Lilian.

Cada bem aprovado pelo Comitê vai receber uma placa de sinalização turística padrão, na cor marrom com a respectiva identificação.
Segundo ela, os bens que não entram nesse primeiro momento, receberão atenção para entrar na próxima visita ano que vem.


Publicidade


Colunistas
por Fernando Baumann
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
por Augusto Cesar Diegoli
por Marcos Vinicios Pagelkopf
por Enéas Athanázio
Guia Legal BC

Banda se apresenta no dia 5 de janeiro


Geral

Consórcio pode ser o fato mais relevante desde que as duas cidades se separaram 53 anos atrás 


Publicidade