Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Designer catarinense que mora na Itália lança livro bilíngue em Balneário Camboriú

Segunda, 23/12/2019 11:10.
Renata Rutes
Lilian e Liliane, na Biblioteca de Balneário

Publicidade

A catarinense de Ibirama, Liliane Laemmle, que morou anos em Balneário Camboriú antes de se mudar em 2003, para a Itália, acaba de lançar na cidade o seu livro ‘A vida da abelhinha Linda’.

Liliane com seus desenhos para o livro

O livro é uma homenagem à sua filha, Emma, nascida em Balneário e criada entre a Itália e o Brasil. A obra trata da imigração, usando a abelha como uma forma de representar a pequena, que hoje tem seis anos. Há dois exemplares, um em italiano e outro em português na Biblioteca Pública da cidade na Terceira Avenida.

Liliane vestida de abelha

Liliane contou ao Página3 que em 2003, recém-formada em Desenho Industrial, decidiu se mudar para a Itália, com 25 anos (hoje tem 41). Ela queria viver a experiência na área, trabalhando em outro país. Por aqui ela trabalhava em uma empresa de Tijucas, e quando se mudou para a Europa seguiu na mesma área (trabalhando com cerâmica).

Na Itália conheceu o marido, Gabriele Trapella, e em 2010 decidiram voltar para o Brasil. A filha do casal, Emma, nasceu em Balneário, em 2013, e um ano depois eles regressaram para a Itália, onde moraram em uma região montanhosa que tinha pouco mais de 100 habitantes. Atualmente Liliane mora em Reggio Emilia.

A autora com a filha Emma

Quando morou pela primeira vez na Itália, Liliane conheceu Iolanda Monacelli, a outra autora do livro e que já escrevia livros infantis. Juntas, elas tiveram a ideia de desenvolver uma história – Liliane desenhando e Iolanda escrevendo. Foi aí que a brasileira desenhou a abelha (todo o processo é feito a mão) e começou a escrever a história dela, para conseguir desenvolver os desenhos. O inseto foi escolhido por ser comunitário, trabalhador e não ter medo.

“Escrevemos em rimas, esse processo levou um ano. Tínhamos contato com editoras pequenas e, ainda em 2017, assinamos o contrato com uma delas, mas só lançamos o livro em janeiro deste ano. Nosso livro trata de imigração, preconceito e a importância de aceitarmos as diferenças”, explica. A obra já é conhecida na Itália e é vendida em algumas livrarias e também pela internet. As autoras recebem, cada uma, 4% do valor das vendas.

Emma acompanha a mãe nas viagens de divulgação do livro, onde ela conta a história para as crianças – inclusive vestida de abelha. A pequena interage com o público.

“Insisti muito para traduzirmos para o português, porque o Brasil é também a casa da Emma e é representado no livro, além de eu querer trazer pra cá”, salienta.

Liliane interagindo com crianças na Itália

A obra ainda não está à venda por aqui. Para que isso aconteça, as autoras precisam que alguma editora brasileira compre os direitos do livro, para assim comercializá-lo no país.Um segundo livro, a continuação desse está em desenvolvimento e ele será lançado em 2020.

“É uma obra muito bacana para as crianças aprenderem sobre imigração. Elas são muito curiosas sobre a viagem entre a Itália e o Brasil. A Fundação Cultural e a prefeitura nos apoiaram muito. Sou amiga de anos do prefeito Fabrício Oliveira e da Lilian, da Fundação, e essa ajuda deles foi essencial”, afirma.

A diretora de artes da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Lilian Martins, é amiga de Liliane há mais de 30 anos – as duas estudaram juntas. Ela conta que está muito feliz em poder apoiar a amiga e salienta que são ótimos exemplares para a biblioteca de Balneário.

“Balneário tem muitos imigrantes argentinos, chilenos, haitianos. Precisamos trabalhar essas diferenças com as crianças e com esse livro é uma ótima opção”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Renata Rutes
Lilian e Liliane, na Biblioteca de Balneário
Lilian e Liliane, na Biblioteca de Balneário

Designer catarinense que mora na Itália lança livro bilíngue em Balneário Camboriú

Publicidade

Segunda, 23/12/2019 11:10.

A catarinense de Ibirama, Liliane Laemmle, que morou anos em Balneário Camboriú antes de se mudar em 2003, para a Itália, acaba de lançar na cidade o seu livro ‘A vida da abelhinha Linda’.

Liliane com seus desenhos para o livro

O livro é uma homenagem à sua filha, Emma, nascida em Balneário e criada entre a Itália e o Brasil. A obra trata da imigração, usando a abelha como uma forma de representar a pequena, que hoje tem seis anos. Há dois exemplares, um em italiano e outro em português na Biblioteca Pública da cidade na Terceira Avenida.

Liliane vestida de abelha

Liliane contou ao Página3 que em 2003, recém-formada em Desenho Industrial, decidiu se mudar para a Itália, com 25 anos (hoje tem 41). Ela queria viver a experiência na área, trabalhando em outro país. Por aqui ela trabalhava em uma empresa de Tijucas, e quando se mudou para a Europa seguiu na mesma área (trabalhando com cerâmica).

Na Itália conheceu o marido, Gabriele Trapella, e em 2010 decidiram voltar para o Brasil. A filha do casal, Emma, nasceu em Balneário, em 2013, e um ano depois eles regressaram para a Itália, onde moraram em uma região montanhosa que tinha pouco mais de 100 habitantes. Atualmente Liliane mora em Reggio Emilia.

A autora com a filha Emma

Quando morou pela primeira vez na Itália, Liliane conheceu Iolanda Monacelli, a outra autora do livro e que já escrevia livros infantis. Juntas, elas tiveram a ideia de desenvolver uma história – Liliane desenhando e Iolanda escrevendo. Foi aí que a brasileira desenhou a abelha (todo o processo é feito a mão) e começou a escrever a história dela, para conseguir desenvolver os desenhos. O inseto foi escolhido por ser comunitário, trabalhador e não ter medo.

“Escrevemos em rimas, esse processo levou um ano. Tínhamos contato com editoras pequenas e, ainda em 2017, assinamos o contrato com uma delas, mas só lançamos o livro em janeiro deste ano. Nosso livro trata de imigração, preconceito e a importância de aceitarmos as diferenças”, explica. A obra já é conhecida na Itália e é vendida em algumas livrarias e também pela internet. As autoras recebem, cada uma, 4% do valor das vendas.

Emma acompanha a mãe nas viagens de divulgação do livro, onde ela conta a história para as crianças – inclusive vestida de abelha. A pequena interage com o público.

“Insisti muito para traduzirmos para o português, porque o Brasil é também a casa da Emma e é representado no livro, além de eu querer trazer pra cá”, salienta.

Liliane interagindo com crianças na Itália

A obra ainda não está à venda por aqui. Para que isso aconteça, as autoras precisam que alguma editora brasileira compre os direitos do livro, para assim comercializá-lo no país.Um segundo livro, a continuação desse está em desenvolvimento e ele será lançado em 2020.

“É uma obra muito bacana para as crianças aprenderem sobre imigração. Elas são muito curiosas sobre a viagem entre a Itália e o Brasil. A Fundação Cultural e a prefeitura nos apoiaram muito. Sou amiga de anos do prefeito Fabrício Oliveira e da Lilian, da Fundação, e essa ajuda deles foi essencial”, afirma.

A diretora de artes da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Lilian Martins, é amiga de Liliane há mais de 30 anos – as duas estudaram juntas. Ela conta que está muito feliz em poder apoiar a amiga e salienta que são ótimos exemplares para a biblioteca de Balneário.

“Balneário tem muitos imigrantes argentinos, chilenos, haitianos. Precisamos trabalhar essas diferenças com as crianças e com esse livro é uma ótima opção”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade