Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Duo Eu e Ela lança Resistência: 'Usamos a música pra dizer olá, estamos aqui, e temos algo importante a dizer'

Duo Eu e Ela nasceu em Balneário Camboriú, há cerca de dois anos

Quinta, 17/10/2019 14:53.
Angélica Fotografia

Publicidade

As artistas recém lançaram um EP, que está à disposição no Spotfy, Deezer e no canal Rec n Play, idealizado por Guilherme Meneghelli e que apóia a música autoral e independente. Elas se apresentam nessa sexta-feira, 18, na Casa Kombicas, junto a outras artistas mulheres (veja o serviço no fim da matéria).

Duo Eu e Ela nasceu em Balneário Camboriú, há cerca de dois anos, quando as artistas vieram passar uma temporada na cidade e não voltaram mais para Curitiba, onde viviam antes.

Noemi, 24, começou a cantar na igreja, aos 3 anos de idade; Cris, 28, também toca percussão desde pequena. Ela conta que já eram namoradas, mas não conheciam a fundo as possibilidades musicais da parceria. "Nós começamos em Curitiba, nos apresentando com outros artistas, a Cris como percussionista e eu nos backing vocals... E quando viemos para BC chegamos fazendo arte de rua, apresentando releituras de outros artistas… Depois a vontade de expressar nossas experiências foi maior e começamos a pôr pra fora tudo que a gente vive, opressão, repressão, racismo, gordofobia, preconceito... deu certo, muitas pessoas se identificaram, e estamos aí cada dia mais evoluindo e vivendo da nossa arte. O amor também é político e uma grande arma contra todo essa onda de ódio que a gente vivencia hoje".

Noemi considera "um presente do universo esse encontro e tocarmos juntas" e vê a música como uma forma de expressão e contato com as pessoas. "Porque no 'normal' elas não vão nos escutar, é como cantando dissesse: olá, estamos aqui e queremos dizer algo importante pra você. É mais ou menos isso".

Resistência

O EP é chamado Resistência porque todas as faixas são compostas de temas que a exigem: a música "Gorda" fala da da gordofobia, "Seja o que é", para toda mulher ser o que quiser ser, a faixa "Resistência", que vai pra todo mundo que resiste numa sociedade enquanto minoria, a "Cicatriz", que é a superação de machucados internos e externos que a vida proporciona, e também "Coração Sem Dor", que é a música da Cris, que fala "se tá aqui tá, se não tá, tá bom", pra gente aprender a lidar com a vida do jeito simples, como ela se apresenta. As composições são de Noemi Carvalho e Cris Melo.


Primaveira da Resistência

Nessa sexta, 18 de outubro, a Casa Kombicas abre as portas para a "Primavera da Resistência", com apoio do movimento Mulheres do Litoral. A programação inicia às 17h com bazar, e segue com a música do Baque Mulher (maracatu de baque virado); Vai Felina acústico, Duo Eu e Ela, e Ataq Coletivo, todas com talentosas mulheres à frente.

Parte das vendas do chope será revertida para a Rede Feminina de Combate ao Câncer, em BC, em alusão à campanha Outubro Rosa. Ingressos antecipados a R$ 10,00 na Casa Kombicas (Rua 3250, 420), ou com as artistas. Na hora custa R$ 15,00.

Coração sem dor


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Angélica Fotografia

Duo Eu e Ela lança Resistência: 'Usamos a música pra dizer olá, estamos aqui, e temos algo importante a dizer'

Duo Eu e Ela nasceu em Balneário Camboriú, há cerca de dois anos

Publicidade

Quinta, 17/10/2019 14:53.

As artistas recém lançaram um EP, que está à disposição no Spotfy, Deezer e no canal Rec n Play, idealizado por Guilherme Meneghelli e que apóia a música autoral e independente. Elas se apresentam nessa sexta-feira, 18, na Casa Kombicas, junto a outras artistas mulheres (veja o serviço no fim da matéria).

Duo Eu e Ela nasceu em Balneário Camboriú, há cerca de dois anos, quando as artistas vieram passar uma temporada na cidade e não voltaram mais para Curitiba, onde viviam antes.

Noemi, 24, começou a cantar na igreja, aos 3 anos de idade; Cris, 28, também toca percussão desde pequena. Ela conta que já eram namoradas, mas não conheciam a fundo as possibilidades musicais da parceria. "Nós começamos em Curitiba, nos apresentando com outros artistas, a Cris como percussionista e eu nos backing vocals... E quando viemos para BC chegamos fazendo arte de rua, apresentando releituras de outros artistas… Depois a vontade de expressar nossas experiências foi maior e começamos a pôr pra fora tudo que a gente vive, opressão, repressão, racismo, gordofobia, preconceito... deu certo, muitas pessoas se identificaram, e estamos aí cada dia mais evoluindo e vivendo da nossa arte. O amor também é político e uma grande arma contra todo essa onda de ódio que a gente vivencia hoje".

Noemi considera "um presente do universo esse encontro e tocarmos juntas" e vê a música como uma forma de expressão e contato com as pessoas. "Porque no 'normal' elas não vão nos escutar, é como cantando dissesse: olá, estamos aqui e queremos dizer algo importante pra você. É mais ou menos isso".

Resistência

O EP é chamado Resistência porque todas as faixas são compostas de temas que a exigem: a música "Gorda" fala da da gordofobia, "Seja o que é", para toda mulher ser o que quiser ser, a faixa "Resistência", que vai pra todo mundo que resiste numa sociedade enquanto minoria, a "Cicatriz", que é a superação de machucados internos e externos que a vida proporciona, e também "Coração Sem Dor", que é a música da Cris, que fala "se tá aqui tá, se não tá, tá bom", pra gente aprender a lidar com a vida do jeito simples, como ela se apresenta. As composições são de Noemi Carvalho e Cris Melo.


Primaveira da Resistência

Nessa sexta, 18 de outubro, a Casa Kombicas abre as portas para a "Primavera da Resistência", com apoio do movimento Mulheres do Litoral. A programação inicia às 17h com bazar, e segue com a música do Baque Mulher (maracatu de baque virado); Vai Felina acústico, Duo Eu e Ela, e Ataq Coletivo, todas com talentosas mulheres à frente.

Parte das vendas do chope será revertida para a Rede Feminina de Combate ao Câncer, em BC, em alusão à campanha Outubro Rosa. Ingressos antecipados a R$ 10,00 na Casa Kombicas (Rua 3250, 420), ou com as artistas. Na hora custa R$ 15,00.

Coração sem dor


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade