Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Artista visual Lilian Barbon abre exposição ‘Memórias’  

Quinta, 24/10/2019 9:49.

Publicidade

A exposição ‘Memórias’ da artista visual Lilian Barbon traz uma reflexão sobre a fotografia e sua relação com o tempo. Na contramão das técnicas de impressões convencionais e do imediatismo do mundo digital, a artista utiliza processos históricos de impressão fotográfica para apresentar o caráter fugidio das imagens, principalmente àquelas que habitam os álbuns familiares, convidando o espectador a uma reflexão sobre o movimento de desaparição, a efemeridade do tempo e a fugacidade da memória.

A escolha da técnica chamada ‘Marrom Van Dyke’ – técnica surgida no final do século XIX - se dá pela possibilidade da mesma potencializar as questões trazidas em cada obra. Trata-se de um dos mais antigos processos de impressão fotográfica, em que a imagem é impressa manualmente, sem a necessidade de processos mecânicos. Por ser um processo fotoquímico, o tempo de exposição para impressão das mesmas é regido pela luz. As imagens serão montadas em formato de uma instalação luminosa que aos poucos, dia após dia, durante todo o período da exposição, escurecerão lentamente sob ação da luz, de forma a perder sua legibilidade.

Exposição MEMÓRIAS

Casa da Cultura Dide Brandão - Itajaí

Data: 23/10 a 23/11

Abertura: 23/10

Horário: 19h


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Artista visual Lilian Barbon abre exposição ‘Memórias’  

Publicidade

Quinta, 24/10/2019 9:49.

A exposição ‘Memórias’ da artista visual Lilian Barbon traz uma reflexão sobre a fotografia e sua relação com o tempo. Na contramão das técnicas de impressões convencionais e do imediatismo do mundo digital, a artista utiliza processos históricos de impressão fotográfica para apresentar o caráter fugidio das imagens, principalmente àquelas que habitam os álbuns familiares, convidando o espectador a uma reflexão sobre o movimento de desaparição, a efemeridade do tempo e a fugacidade da memória.

A escolha da técnica chamada ‘Marrom Van Dyke’ – técnica surgida no final do século XIX - se dá pela possibilidade da mesma potencializar as questões trazidas em cada obra. Trata-se de um dos mais antigos processos de impressão fotográfica, em que a imagem é impressa manualmente, sem a necessidade de processos mecânicos. Por ser um processo fotoquímico, o tempo de exposição para impressão das mesmas é regido pela luz. As imagens serão montadas em formato de uma instalação luminosa que aos poucos, dia após dia, durante todo o período da exposição, escurecerão lentamente sob ação da luz, de forma a perder sua legibilidade.

Exposição MEMÓRIAS

Casa da Cultura Dide Brandão - Itajaí

Data: 23/10 a 23/11

Abertura: 23/10

Horário: 19h


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade