Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Teatro Municipal de Balneário Camboriú em obras: espetáculos voltam no fim de março

Bruno Nitz está em obras.A agenda de espetáculos retorna no dia 25 de março. A obra foi licitada através de um pregão e custou R$ 150 mil.

Quinta, 27/2/2020 17:18.
Celso Peixoto
Todo o cabeamento do teatro foi trocado

Publicidade

O Página 3 esteve no local na quarta-feira (26) para conversar com a nova diretora, Kiki Pereira, e com a presidente da Fundação Cultural, Bia Mattar, que explicaram a necessidade das obras de manutenção.

Bia Mattar e a nova diretora do teatro Kiki

A diretora Kiki, que assumiu o cargo em dezembro, porque a atriz Potyra Najara pediu exoneração, é formada em Artes, mas nos últimos 10 anos trabalhou na área da assistência social.

“Estou gostando e aprendendo muito, é totalmente diferente da área em que eu trabalhava. A cultura traz alegria, o teatro e a arte alimentam a alma”, analisa.

Ela conta que o teatro está passando por uma reforma na caixa cênica, que engloba a parte de automação, os cabos de aço e varas do palco. Há equipamentos que pesam cerca de uma tonelada e que receberam manutenção, já que é algo muito caro para ser trocado.

“A manutenção era realmente necessária e nunca havia sido feita. Também estamos fazendo a pintura interna e externa, vendo tudo o que precisa ser arrumado, como troca de lâmpadas, mutirão de limpeza. Reutilizamos materiais que já tínhamos, para não precisar comprar, já que não temos verba para isso”, diz.

Kiki salienta que as atividades do Bruno Nitz retornam no dia 25 de março, e que era ‘inviável’ deixar o espaço aberto enquanto as manutenções aconteciam.

“Estamos construindo também o edital de ocupação, que deverá ser lançado nos próximos dias. Teremos datas disponíveis a partir de maio”, acrescenta.

A diretora diz que o público está mais participativo quanto à frequência ao teatro, mas reconhece que muitas pessoas não sabem sobre a existência, e por isso investem em divulgação.

“Temos sempre espetáculos gratuitos, focando em quem não pode pagar, como também locamos o teatro para produtores de fora. Quando é produção independente, o produtor coloca o preço que ele quer, mas há uma comissão de pauta que analisa data do evento e preços”, afirma.

Termo de referência para reforma total está sendo elaborado

Em paralelo a essa reforma, a presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Bia Mattar, conta que está sendo elaborado um termo de referência para reforma do CIC (Centro Integrado de Cultura), que engloba o teatro, a Fundação e o boulevard.

“O teto precisa passar por manutenção. Temos hoje problemas de goteiras, que afeta principalmente a Galeria Municipal de Arte, mas o teto não vai cair. Precisamos cuidar do nosso prédio, ele precisa de manutenção. Nesse momento estamos dedicando nossa atenção para a estrutura”, comenta.

Porém, Bia pontua que o processo para conseguirem realizar as obras é longo – o da caixa cênica levou três anos para sair do papel, mas ela elogia o prefeito Fabrício Oliveira, que ‘sempre ofereceu todas as condições para as reformas necessárias’.

“É algo burocrático, precisa ser bem elaborado. Nossa visão não é só sobre a LIC e artistas. Temos que cuidar do prédio, e o prefeito tem nos apoiado. Os recursos federais, a Lei Rouanet, não chega até nós. Há um processo estadual, mas que ainda não deu certo. A cultura é a mais afetada por isso”, diz.

Bilheteria será terceirizada

Outra novidade é a terceirização da bilheteria do Teatro Bruno Nitz. Bia salienta que por ser algo público é errado os funcionários ‘mexerem com valores’, e que a terceirização era algo que queriam há bastante tempo, a exemplo do Teatro Municipal de Itajaí. Foi realizado um pregão e a empresa vencedora foi a ME Gestão de Eventos LTDA (minhaentrada.com.br), de Tubarão. Eles devem fazer uma prova de conceito até esta sexta-feira (28), para confirmar o contrato.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Celso Peixoto
Todo o cabeamento do teatro foi trocado
Todo o cabeamento do teatro foi trocado

Teatro Municipal de Balneário Camboriú em obras: espetáculos voltam no fim de março

Bruno Nitz está em obras.A agenda de espetáculos retorna no dia 25 de março. A obra foi licitada através de um pregão e custou R$ 150 mil.

Publicidade

Quinta, 27/2/2020 17:18.

O Página 3 esteve no local na quarta-feira (26) para conversar com a nova diretora, Kiki Pereira, e com a presidente da Fundação Cultural, Bia Mattar, que explicaram a necessidade das obras de manutenção.

Bia Mattar e a nova diretora do teatro Kiki

A diretora Kiki, que assumiu o cargo em dezembro, porque a atriz Potyra Najara pediu exoneração, é formada em Artes, mas nos últimos 10 anos trabalhou na área da assistência social.

“Estou gostando e aprendendo muito, é totalmente diferente da área em que eu trabalhava. A cultura traz alegria, o teatro e a arte alimentam a alma”, analisa.

Ela conta que o teatro está passando por uma reforma na caixa cênica, que engloba a parte de automação, os cabos de aço e varas do palco. Há equipamentos que pesam cerca de uma tonelada e que receberam manutenção, já que é algo muito caro para ser trocado.

“A manutenção era realmente necessária e nunca havia sido feita. Também estamos fazendo a pintura interna e externa, vendo tudo o que precisa ser arrumado, como troca de lâmpadas, mutirão de limpeza. Reutilizamos materiais que já tínhamos, para não precisar comprar, já que não temos verba para isso”, diz.

Kiki salienta que as atividades do Bruno Nitz retornam no dia 25 de março, e que era ‘inviável’ deixar o espaço aberto enquanto as manutenções aconteciam.

“Estamos construindo também o edital de ocupação, que deverá ser lançado nos próximos dias. Teremos datas disponíveis a partir de maio”, acrescenta.

A diretora diz que o público está mais participativo quanto à frequência ao teatro, mas reconhece que muitas pessoas não sabem sobre a existência, e por isso investem em divulgação.

“Temos sempre espetáculos gratuitos, focando em quem não pode pagar, como também locamos o teatro para produtores de fora. Quando é produção independente, o produtor coloca o preço que ele quer, mas há uma comissão de pauta que analisa data do evento e preços”, afirma.

Termo de referência para reforma total está sendo elaborado

Em paralelo a essa reforma, a presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Bia Mattar, conta que está sendo elaborado um termo de referência para reforma do CIC (Centro Integrado de Cultura), que engloba o teatro, a Fundação e o boulevard.

“O teto precisa passar por manutenção. Temos hoje problemas de goteiras, que afeta principalmente a Galeria Municipal de Arte, mas o teto não vai cair. Precisamos cuidar do nosso prédio, ele precisa de manutenção. Nesse momento estamos dedicando nossa atenção para a estrutura”, comenta.

Porém, Bia pontua que o processo para conseguirem realizar as obras é longo – o da caixa cênica levou três anos para sair do papel, mas ela elogia o prefeito Fabrício Oliveira, que ‘sempre ofereceu todas as condições para as reformas necessárias’.

“É algo burocrático, precisa ser bem elaborado. Nossa visão não é só sobre a LIC e artistas. Temos que cuidar do prédio, e o prefeito tem nos apoiado. Os recursos federais, a Lei Rouanet, não chega até nós. Há um processo estadual, mas que ainda não deu certo. A cultura é a mais afetada por isso”, diz.

Bilheteria será terceirizada

Outra novidade é a terceirização da bilheteria do Teatro Bruno Nitz. Bia salienta que por ser algo público é errado os funcionários ‘mexerem com valores’, e que a terceirização era algo que queriam há bastante tempo, a exemplo do Teatro Municipal de Itajaí. Foi realizado um pregão e a empresa vencedora foi a ME Gestão de Eventos LTDA (minhaentrada.com.br), de Tubarão. Eles devem fazer uma prova de conceito até esta sexta-feira (28), para confirmar o contrato.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade