Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cultura
Está nascendo uma obra de arte na Passarela da Barra em Balneário Camboriú

O novo equipamento turístico e cultural ficará pronto em quatro meses

Sexta, 10/1/2020 17:41.
Divulgação/FCBC

Publicidade

O artista Tom Veiga começou a pintar a Passarela da Barra e os primeiros sinais da sua arte já estão chamando muita atenção de quem passa pelo local. O projeto é pintar as quatro colunas, formando um ‘painel de arte a céu aberto’ retratando Balneário Camboriú e o cotidiano do Bairro da Barra. A previsão é de que o trabalho seja finalizado em quatro meses. Tom e mais quatro pessoas trabalham no local, e farão ainda um documentário com moradores da localidade retratando as suas histórias. O investimento total foi de R$ 200 mil.

“Vamos pintar os quatro lados e a lateral dela. Na arte estamos trabalhando em cima do projeto ‘Janelas da Memória’, com o objetivo de restaurar a memória e a lembrança do Bairro da Barra, com a sua cultura da pesca e de praia. Fizemos uma pesquisa bem legal e a gente refletiu isso em artes que estamos criando para a pintura das torres”, diz o artista.

Ele explica que o projeto vai muito além do muralismo e o embelezamento do equipamento turístico e cultural. Diz que a experiência tem sido ótima e que o objetivo principal é revitalizar a Passarela por meio da arte.

Segundo Tom, a pintura em si ‘vai durar algumas semanas’, porque é um projeto grande. Ele conta que tem vivido ‘dias incríveis’, principalmente pela interação com as pessoas, que param, tiram fotos e elogiam.

“As pessoas falam o quanto a Passarela precisava de uma revitalização. A gente está no início da pintura ainda, quando estivermos com ela concretizada vai ser um presente para Balneário Camboriú, que merece o melhor. Estamos nos dedicando para entregarmos uma obra de arte linda para a cidade”, afirma.

Degustação do processo artístico

A presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Bia Mattar, conta que a parceria com Tom já é antiga: foi ele que pintou o Teatro Municipal Bruno Nitz, quando a Fundação ainda era comandada por George Varela.

“O Varela teve a ideia de não só pintar o Teatro de branco e sim fazer uma arte nele. A parceria foi fértil e o Tom também pintou a sala da direção no Bruno Nitz. A nossa expectativa com a Passarela agora é a melhor, ela precisa ganhar cor; as pessoas falavam muito que o tempo a desgastou, que a pintura estava corroída, e partimos da ideia da Passarela retratar a identidade de Balneário Camboriú e do Bairro da Barra”, salienta.

Em duas das quatro colunas serão representados pescadores e nas outras duas detalhes da cidade, a exemplo da primeira que está sendo pintada, onde aparecem palmeiras, sol e mar. “Tudo custará R$ 200 mil. Para finalizarmos depende do tempo, os dias chuvosos atrasam muito. A previsão para que todos os acabamentos sejam finalizados é de quatro meses. Ontem (9) foi um dia de sol e o Tom já conseguiu adiantar bastante. Nesse primeiro mês será possível ver toda a ação dele, acaba sendo uma atração turística. As pessoas podem ver o processo do artista, que está utilizando andaimes. Temos que aproveitar esse momento também, é a degustação do processo artístico, é uma parte muito bacana”, diz.

Arte com a cultura local

Em paralelo à pintura, está sendo produzido um documentário. A equipe de Tom Veiga entrevistou alguns pescadores da Barra, como o Seu Favinho, 86 anos, nascido na Praia do Estaleirinho e um dos pescadores mais antigos de Balneário Camboriú, e Seu Oscar, de 79 anos, nascido na Barra.

“Não importa só pintar a Passarela e sim inserir na pintura o contexto, a obra precisa dialogar com a cultura local. Não é só um artista pintando uma parede, estamos procurando caracterizar, retratando e mergulhando na cultura da cidade e do bairro, por isso ‘Janelas da Memória’”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/FCBC

Está nascendo uma obra de arte na Passarela da Barra em Balneário Camboriú

O novo equipamento turístico e cultural ficará pronto em quatro meses

Publicidade

Sexta, 10/1/2020 17:41.

O artista Tom Veiga começou a pintar a Passarela da Barra e os primeiros sinais da sua arte já estão chamando muita atenção de quem passa pelo local. O projeto é pintar as quatro colunas, formando um ‘painel de arte a céu aberto’ retratando Balneário Camboriú e o cotidiano do Bairro da Barra. A previsão é de que o trabalho seja finalizado em quatro meses. Tom e mais quatro pessoas trabalham no local, e farão ainda um documentário com moradores da localidade retratando as suas histórias. O investimento total foi de R$ 200 mil.

“Vamos pintar os quatro lados e a lateral dela. Na arte estamos trabalhando em cima do projeto ‘Janelas da Memória’, com o objetivo de restaurar a memória e a lembrança do Bairro da Barra, com a sua cultura da pesca e de praia. Fizemos uma pesquisa bem legal e a gente refletiu isso em artes que estamos criando para a pintura das torres”, diz o artista.

Ele explica que o projeto vai muito além do muralismo e o embelezamento do equipamento turístico e cultural. Diz que a experiência tem sido ótima e que o objetivo principal é revitalizar a Passarela por meio da arte.

Segundo Tom, a pintura em si ‘vai durar algumas semanas’, porque é um projeto grande. Ele conta que tem vivido ‘dias incríveis’, principalmente pela interação com as pessoas, que param, tiram fotos e elogiam.

“As pessoas falam o quanto a Passarela precisava de uma revitalização. A gente está no início da pintura ainda, quando estivermos com ela concretizada vai ser um presente para Balneário Camboriú, que merece o melhor. Estamos nos dedicando para entregarmos uma obra de arte linda para a cidade”, afirma.

Degustação do processo artístico

A presidente da Fundação Cultural de Balneário Camboriú, Bia Mattar, conta que a parceria com Tom já é antiga: foi ele que pintou o Teatro Municipal Bruno Nitz, quando a Fundação ainda era comandada por George Varela.

“O Varela teve a ideia de não só pintar o Teatro de branco e sim fazer uma arte nele. A parceria foi fértil e o Tom também pintou a sala da direção no Bruno Nitz. A nossa expectativa com a Passarela agora é a melhor, ela precisa ganhar cor; as pessoas falavam muito que o tempo a desgastou, que a pintura estava corroída, e partimos da ideia da Passarela retratar a identidade de Balneário Camboriú e do Bairro da Barra”, salienta.

Em duas das quatro colunas serão representados pescadores e nas outras duas detalhes da cidade, a exemplo da primeira que está sendo pintada, onde aparecem palmeiras, sol e mar. “Tudo custará R$ 200 mil. Para finalizarmos depende do tempo, os dias chuvosos atrasam muito. A previsão para que todos os acabamentos sejam finalizados é de quatro meses. Ontem (9) foi um dia de sol e o Tom já conseguiu adiantar bastante. Nesse primeiro mês será possível ver toda a ação dele, acaba sendo uma atração turística. As pessoas podem ver o processo do artista, que está utilizando andaimes. Temos que aproveitar esse momento também, é a degustação do processo artístico, é uma parte muito bacana”, diz.

Arte com a cultura local

Em paralelo à pintura, está sendo produzido um documentário. A equipe de Tom Veiga entrevistou alguns pescadores da Barra, como o Seu Favinho, 86 anos, nascido na Praia do Estaleirinho e um dos pescadores mais antigos de Balneário Camboriú, e Seu Oscar, de 79 anos, nascido na Barra.

“Não importa só pintar a Passarela e sim inserir na pintura o contexto, a obra precisa dialogar com a cultura local. Não é só um artista pintando uma parede, estamos procurando caracterizar, retratando e mergulhando na cultura da cidade e do bairro, por isso ‘Janelas da Memória’”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade