Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Seu Dinheiro
Preço do tomate despenca cotações nas principais Ceasas do país, segundo Conab

Quinta, 19/9/2019 9:15.
EBC.

Publicidade

(CONAB) - A história do tomate a preço de ouro que inflacionou a feira dos consumidores ficou definitivamente para trás de acordo com as últimas pesquisas do Boletim Prohort, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Na 9ª edição do estudo, divulgado nesta quinta-feira (19), entre as cinco modalidades, o preço da hortaliça foi o que mais chamou a atenção, com redução em todas as Centrais de Abastecimento analisadas no país.

Os percentuais de baixa partiram de 18,58%, em Curitiba/PR, e chegaram a mais de 52% em Vitória/ES. A redução, segundo os técnicos, deve-se à grande oferta do produto que vem se repetindo desde o mês de julho. Em agosto, devido ao efeito do calor que acelera a maturação do fruto, o produtor sentiu-se obrigado a colocar algo próximo a 20% a mais de produto no mercado.

Além do tomate, outras hortaliças também vem baixando de preço no mercado atacadista e voltam a atrair a atenção do consumidor neste mês pela evolução de queda. A batata, por exemplo, teve boa disponibilidade e ficou mais acessível na maioria das praças analisadas, pela intensificação da colheita da safra de inverno que cresceu 12%. O tubérculo apresentou maior queda em São Paulo (11,7%), Fortaleza (9,4%) e Rio de Janeiro (9%).

Quem vai às Ceasas em busca de bons preços pode ainda aproveitar a alface, que ficou mais barata na maioria das centrais, com exceção do Distrito Federal, onde a Ceasa mantém o preço estável. O mesmo ocorre com a cenoura, que teve elevação de preço em Fortaleza, de pouco mais de 2%, mas oferece redução no Rio de Janeiro (30,36%) e São Paulo (26,53%).

Frutas – As exportações brasileiras de frutas deste ano estão melhores do que no ano passado, com aumento de mais de 15% no volume comercializado. Alguns dos frutos envolvidos no movimento de alta são melão, manga, limão, banana, abacate e melancia. Já ao contrário, caíram as exportações de maçã, mamão e laranja.

Com exceção da banana, que sofreu aumento de preços na maioria das centrais, devido sobretudo à menor oferta da variedade nanica, as outras frutas (laranja, maçã e melancia) estiveram com valores bem variados nos entrepostos atacadistas. O mamão é o que está mais a caminho de queda na maior parte das Ceasas, tanto do tipo formosa quanto do papaya. Em São Paulo a redução foi de cerca de 23% e em Belo Horizonte, de 16%.

As Ceasas que ofereceram números para este boletim são as dos estados de SP, MG, RJ, ES, PR, GO, PE, CE e DF.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
EBC.

Preço do tomate despenca cotações nas principais Ceasas do país, segundo Conab

Publicidade

Quinta, 19/9/2019 9:15.

(CONAB) - A história do tomate a preço de ouro que inflacionou a feira dos consumidores ficou definitivamente para trás de acordo com as últimas pesquisas do Boletim Prohort, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Na 9ª edição do estudo, divulgado nesta quinta-feira (19), entre as cinco modalidades, o preço da hortaliça foi o que mais chamou a atenção, com redução em todas as Centrais de Abastecimento analisadas no país.

Os percentuais de baixa partiram de 18,58%, em Curitiba/PR, e chegaram a mais de 52% em Vitória/ES. A redução, segundo os técnicos, deve-se à grande oferta do produto que vem se repetindo desde o mês de julho. Em agosto, devido ao efeito do calor que acelera a maturação do fruto, o produtor sentiu-se obrigado a colocar algo próximo a 20% a mais de produto no mercado.

Além do tomate, outras hortaliças também vem baixando de preço no mercado atacadista e voltam a atrair a atenção do consumidor neste mês pela evolução de queda. A batata, por exemplo, teve boa disponibilidade e ficou mais acessível na maioria das praças analisadas, pela intensificação da colheita da safra de inverno que cresceu 12%. O tubérculo apresentou maior queda em São Paulo (11,7%), Fortaleza (9,4%) e Rio de Janeiro (9%).

Quem vai às Ceasas em busca de bons preços pode ainda aproveitar a alface, que ficou mais barata na maioria das centrais, com exceção do Distrito Federal, onde a Ceasa mantém o preço estável. O mesmo ocorre com a cenoura, que teve elevação de preço em Fortaleza, de pouco mais de 2%, mas oferece redução no Rio de Janeiro (30,36%) e São Paulo (26,53%).

Frutas – As exportações brasileiras de frutas deste ano estão melhores do que no ano passado, com aumento de mais de 15% no volume comercializado. Alguns dos frutos envolvidos no movimento de alta são melão, manga, limão, banana, abacate e melancia. Já ao contrário, caíram as exportações de maçã, mamão e laranja.

Com exceção da banana, que sofreu aumento de preços na maioria das centrais, devido sobretudo à menor oferta da variedade nanica, as outras frutas (laranja, maçã e melancia) estiveram com valores bem variados nos entrepostos atacadistas. O mamão é o que está mais a caminho de queda na maior parte das Ceasas, tanto do tipo formosa quanto do papaya. Em São Paulo a redução foi de cerca de 23% e em Belo Horizonte, de 16%.

As Ceasas que ofereceram números para este boletim são as dos estados de SP, MG, RJ, ES, PR, GO, PE, CE e DF.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade