Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Economia brasileira recuou no primeiro trimestre de 2018, diz BC
Reprodução

Quarta, 16/5/2018 10:29.

MAELI PRADO / BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

A economia brasileira teve queda de 0,74% em março na comparação com fevereiro, o que levou a atividade do primeiro trimestre a cair em relação aos três últimos meses do ano passado, mostram dados divulgados nesta quarta-feira (16) pelo Banco Central.

Dessa forma, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do BC), indicador projetado para tentar replicar o comportamento do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,13% em relação ao último trimestre de 2017.

O BC também revisou para baixo o indicador de fevereiro, que antes mostrava uma alta de 0,09% ante janeiro e agora apresenta uma queda de 0,1% na mesma comparação.

Com a recuperação irregular da economia, os analistas de mercado consultados pelo Banco Central no boletim Focus vêm reduzindo suas projeções para o PIB deste ano semana a semana. 

Na última pesquisa, a média das expectativas para 2018 se reduziu para 2,51% de alta, ante um crescimento de 2,76% há quatro semanas. 

O comportamento errático da economia também pode ser observado nos dados do IBGE para indústria, serviços e comércio.

Em março, a indústria teve queda de 0,1%, frustrando expectativas do mercado, que esperava aumento de 0,5%. A queda foi provocada por retração no setor de bens intermediários, que correspondem a 60% da indústria nacional.

No primeiro trimestre, a indústria brasileira teve crescimento de 3,1%, na comparação com o mesmo período do ano anterior, um ritmo menor do que no trimestre anterior, quando a taxa foi de 4,9%.

No caso de serviços, houve retração de 0,2% em relação a fevereiro, contra expectativa de recuo de 0,5% de analistas consultados pela agência Reuters.

Com isso, o setor de serviços encolheu 0,9% no trimestre passado sobre o período imediatamente anterior. No quarto trimestre de 2017, a atividade havia crescido 0,5%.

No caso do varejo, as vendas cresceram 0,3% em março na comparação com o mês anterior.

Dessa forma, as vendas varejistas terminaram o primeiro trimestre deste ano com aumento de 0,7 % nas vendas sobre o quarto trimestre do ano passado, quando houve estabilidade.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Especial

Festival de música eletrônica reuniu milhares de pessoas na virada do ano, em Rio Negrinho


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Economia brasileira recuou no primeiro trimestre de 2018, diz BC

Reprodução
Quarta, 16/5/2018 10:29.

MAELI PRADO / BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

A economia brasileira teve queda de 0,74% em março na comparação com fevereiro, o que levou a atividade do primeiro trimestre a cair em relação aos três últimos meses do ano passado, mostram dados divulgados nesta quarta-feira (16) pelo Banco Central.

Dessa forma, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do BC), indicador projetado para tentar replicar o comportamento do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,13% em relação ao último trimestre de 2017.

O BC também revisou para baixo o indicador de fevereiro, que antes mostrava uma alta de 0,09% ante janeiro e agora apresenta uma queda de 0,1% na mesma comparação.

Com a recuperação irregular da economia, os analistas de mercado consultados pelo Banco Central no boletim Focus vêm reduzindo suas projeções para o PIB deste ano semana a semana. 

Na última pesquisa, a média das expectativas para 2018 se reduziu para 2,51% de alta, ante um crescimento de 2,76% há quatro semanas. 

O comportamento errático da economia também pode ser observado nos dados do IBGE para indústria, serviços e comércio.

Em março, a indústria teve queda de 0,1%, frustrando expectativas do mercado, que esperava aumento de 0,5%. A queda foi provocada por retração no setor de bens intermediários, que correspondem a 60% da indústria nacional.

No primeiro trimestre, a indústria brasileira teve crescimento de 3,1%, na comparação com o mesmo período do ano anterior, um ritmo menor do que no trimestre anterior, quando a taxa foi de 4,9%.

No caso de serviços, houve retração de 0,2% em relação a fevereiro, contra expectativa de recuo de 0,5% de analistas consultados pela agência Reuters.

Com isso, o setor de serviços encolheu 0,9% no trimestre passado sobre o período imediatamente anterior. No quarto trimestre de 2017, a atividade havia crescido 0,5%.

No caso do varejo, as vendas cresceram 0,3% em março na comparação com o mês anterior.

Dessa forma, as vendas varejistas terminaram o primeiro trimestre deste ano com aumento de 0,7 % nas vendas sobre o quarto trimestre do ano passado, quando houve estabilidade.

Publicidade

Publicidade