Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Bolsonaro diz que vai tirar sigilo de BNDES na primeira semana de governo

Quarta, 7/11/2018 16:45.

ETÍCIA CASADO (FOLHAPRESS)

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta quarta-feira (7) que vai abrir os dados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na primeira semana de seu governo.

"O BNDES, da minha parte, vamos abrir todos os sigilos para vocês. Todos. Sem exceção", disse ele a jornalistas após almoçar com o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio Noronha.

O objetivo, segundo Bolsonaro, é tirar o sigilo dos dados do banco ainda em janeiro de 2019, logo após tomar posse.

"Na primeira semana, até para dar matéria, para vocês se preocuparem com outras coisas a não ser o presidente", ressaltou.

O juiz Sergio Moro, futuro ministro da Justiça, viajou a Brasília e acompanhou o presidente ao evento no STJ. Ele saiu minutos antes do fim da reunião com Bolsonaro e Noronha e não respondeu a perguntas dos jornalistas.

Servidores do STJ pediram para tirar fotos com Bolsonaro quando ele chegou e saiu para a reunião. Ao término da entrevista coletiva, os funcionários aplaudiram o presidente eleito.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Bolsonaro diz que vai tirar sigilo de BNDES na primeira semana de governo

Quarta, 7/11/2018 16:45.

ETÍCIA CASADO (FOLHAPRESS)

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta quarta-feira (7) que vai abrir os dados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na primeira semana de seu governo.

"O BNDES, da minha parte, vamos abrir todos os sigilos para vocês. Todos. Sem exceção", disse ele a jornalistas após almoçar com o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio Noronha.

O objetivo, segundo Bolsonaro, é tirar o sigilo dos dados do banco ainda em janeiro de 2019, logo após tomar posse.

"Na primeira semana, até para dar matéria, para vocês se preocuparem com outras coisas a não ser o presidente", ressaltou.

O juiz Sergio Moro, futuro ministro da Justiça, viajou a Brasília e acompanhou o presidente ao evento no STJ. Ele saiu minutos antes do fim da reunião com Bolsonaro e Noronha e não respondeu a perguntas dos jornalistas.

Servidores do STJ pediram para tirar fotos com Bolsonaro quando ele chegou e saiu para a reunião. Ao término da entrevista coletiva, os funcionários aplaudiram o presidente eleito.

Publicidade

Publicidade