Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Economia
Prazo final de entrega da declaração anual do MEI é prorrogado para 30 de junho

Terça, 31/3/2020 16:55.
Divulgação

Publicidade

Por causa dos impactos da pandemia do Coronavírus (Covid-19), o prazo final para entrega da Declaração Anual Simplificada, referente a 2019, para o microempreendedor individual (MEI) foi prorrogado para 30 de junho. A medida, aprovada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (26). Além disso, também foi prorrogado, para a mesma data, o prazo para apresentação da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis) referente ao ano passado.

Segundo o Gerente Regional do Sebrae da Foz, Alcides Sgrott Filho, a declaração anual é uma obrigação do MEI para comprovar as prestações de serviços que ele realizou no último ano.

“O adiamento desta medida é fundamental para os nossos microempreendedores individuais da Foz terem tempo e realizarem a entrega da sua declaração com calma neste momento de crise. O Sebrae está à disposição com consultores especializados em diversos canais online para orientá-los a respeito de qualquer informação que seja necessária para ajudar neste processo”, explica.

Setores mais afetados

Santa Catarina tem 785.147 negócios formalizados, entre micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais. Desse número, 583.073 sofrerão diretamente os impactos decorridos do coronavírus, de acordo com um estudo realizado pelo Sebrae/SC. Esse número corresponde a 74% dos negócios. Os setores mais atingidos são: moda, varejo tradicional, alimentação fora do lar, construção civil, beleza, logística e transportes, e peças automotivas, que somam 475.285 empresas.

Preocupado com esse cenário, o Sebrae/SC age para prestar orientações práticas aos empresários e contribuir com a redução do impacto econômico da doença sobre as micro e pequenas empresas.

De acordo com o diretor superintendente do Sebrae/SC, Carlos Henrique Ramos Fonseca, estudar o impacto deste momento para as empresas catarinenses é o primeiro passo para começar a reverter essa crise.

“Precisamos cuidar da sobrevivência dos pequenos negócios, já que são eles quem garantem a geração de emprego e têm maior capacidade de se adaptar e se reinventar para enfrentar este momento”, comenta Carlos Henrique.

Os números

Dos 583.073 pequenos negócios impactados:

*Por porte:

55% são MEI e 39% ME, ou seja, 94% de todos os pequenos negócios. Os segmentos mais afetados:

Moda, Varejo Tradicional, Alimentação fora do Lar, Construção Civil, Beleza, Logística e Transportes, e Peças Automotivas totalizam 475.285 empresas representando 82% do total.

*Por Setor de Atividade Econômica:

434.335 ou 74% são empresas prestadoras de serviços ou comércios. Os serviços mais afetados são:

Alimentação fora do Lar com 67.793 empresas (11% das 583.073); logística e Transporte com 44.077 (7,5%) e, Beleza com 41.555 (7%). Os ramos de comércio mais afetados são:

Varejo Tradicional com 94.325 pequenos negócios (16% das 583 mil), Moda com 58.675 empresas (10%) e, Peças Automotivas com 37.812 (6,5%).


Fonte: Na Mídia Assessoria


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação

Prazo final de entrega da declaração anual do MEI é prorrogado para 30 de junho

Publicidade

Terça, 31/3/2020 16:55.

Por causa dos impactos da pandemia do Coronavírus (Covid-19), o prazo final para entrega da Declaração Anual Simplificada, referente a 2019, para o microempreendedor individual (MEI) foi prorrogado para 30 de junho. A medida, aprovada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (26). Além disso, também foi prorrogado, para a mesma data, o prazo para apresentação da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis) referente ao ano passado.

Segundo o Gerente Regional do Sebrae da Foz, Alcides Sgrott Filho, a declaração anual é uma obrigação do MEI para comprovar as prestações de serviços que ele realizou no último ano.

“O adiamento desta medida é fundamental para os nossos microempreendedores individuais da Foz terem tempo e realizarem a entrega da sua declaração com calma neste momento de crise. O Sebrae está à disposição com consultores especializados em diversos canais online para orientá-los a respeito de qualquer informação que seja necessária para ajudar neste processo”, explica.

Setores mais afetados

Santa Catarina tem 785.147 negócios formalizados, entre micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais. Desse número, 583.073 sofrerão diretamente os impactos decorridos do coronavírus, de acordo com um estudo realizado pelo Sebrae/SC. Esse número corresponde a 74% dos negócios. Os setores mais atingidos são: moda, varejo tradicional, alimentação fora do lar, construção civil, beleza, logística e transportes, e peças automotivas, que somam 475.285 empresas.

Preocupado com esse cenário, o Sebrae/SC age para prestar orientações práticas aos empresários e contribuir com a redução do impacto econômico da doença sobre as micro e pequenas empresas.

De acordo com o diretor superintendente do Sebrae/SC, Carlos Henrique Ramos Fonseca, estudar o impacto deste momento para as empresas catarinenses é o primeiro passo para começar a reverter essa crise.

“Precisamos cuidar da sobrevivência dos pequenos negócios, já que são eles quem garantem a geração de emprego e têm maior capacidade de se adaptar e se reinventar para enfrentar este momento”, comenta Carlos Henrique.

Os números

Dos 583.073 pequenos negócios impactados:

*Por porte:

55% são MEI e 39% ME, ou seja, 94% de todos os pequenos negócios. Os segmentos mais afetados:

Moda, Varejo Tradicional, Alimentação fora do Lar, Construção Civil, Beleza, Logística e Transportes, e Peças Automotivas totalizam 475.285 empresas representando 82% do total.

*Por Setor de Atividade Econômica:

434.335 ou 74% são empresas prestadoras de serviços ou comércios. Os serviços mais afetados são:

Alimentação fora do Lar com 67.793 empresas (11% das 583.073); logística e Transporte com 44.077 (7,5%) e, Beleza com 41.555 (7%). Os ramos de comércio mais afetados são:

Varejo Tradicional com 94.325 pequenos negócios (16% das 583 mil), Moda com 58.675 empresas (10%) e, Peças Automotivas com 37.812 (6,5%).


Fonte: Na Mídia Assessoria


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade