Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Educação
Praça da Inclusão coloriu o pátio do colégio Tomaz Garcia

Sexta, 28/8/2020 18:01.

Publicidade

Durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, uma atividade diferente que movimentou e coloriu o pátio da escola municipal Tomaz Francisco Garcia, no Bairro dos Municípios, chamou atenção da comunidade escolar, seja de forma presencial (tudo com agendamento prévio) ou de forma remota, através da divulgação de vídeos nas redes.

A Praça da Inclusão, organizada pela diretora da escola, Anelise Escaravaco e pela equipe de professores de educação especial e seus auxiliares, apresentou trabalhos feitos pelos alunos nesse período de pandemia.

“Transformamos o pátio coberto da escola em um espaço para expor todos os trabalhos que estão sendo produzidos pelas professoras de educação especial e pelas auxiliares de educação especial. Foi uma maneira de apresentar para toda a equipe e também para a comunidade, através de fotos e vídeos, as atividades que estão sendo realizadas durante o período em que o nosso trabalho ocorre de maneira remota”, justificou Anelise.

Ela explicou que desde o início da pandemia, a escola procurou inserir todos os alunos no novo modelo e muitos dos alunos com deficiência não precisam de auxílio dos professores de educação especial, os professores regentes conseguem adaptar as atividades que eles vão desenvolver.

“Mas tem outros que mesmo readaptando as atividades eles necessitam de auxílio, então os professores de educação especial e auxiliares trabalham desenvolvendo, criando material para dar suporte ao que é feito pela plataforma, os pais vem retirar esse material na escola para auxiliar o aprendizado das crianças. Percebi que é um material rico de conteúdo pedagógico e por isso decidimos criar essa Praça da Inclusão para expor tudo, para que esse trabalho ficasse como um registro”, comentou a diretora.

Mas além de apresentar os trabalhos, a iniciativa acabou servindo de motivação para funcionários, professores que estão indo até a escola, mediante agendamento, para retirar as atividades destas crianças que não tem plataforma, pegar material impresso, levar para casa, corrigir.

“De maneira organizada, recebemos alguns funcionários nesse período e eles também acabaram se deparando com esse pátio interno vazio, sem criança, sem sorriso e a Praça da Inclusão acabou se transformando em um local colorido, divertido, com todo o material exposto. Já temos as devolutivas das famílias dos alunos fazendo atividades em casa, imprimimos estas fotos, deixamos expostos, isso também deu vida para quem está em casa, do outro lado da tela, porque o professor também sofre como os funcionários da escola também estão sofrendo com esse distanciamento, porque todos acabam tendo um vínculo com as crianças”, contou Anelise, dizendo que objetivo foi alcançado: registrar e mostrar para comunidade escolar para que saibam que esse local existe e como está sendo utilizado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Praça da Inclusão coloriu o pátio do colégio Tomaz Garcia

Publicidade

Sexta, 28/8/2020 18:01.

Durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, uma atividade diferente que movimentou e coloriu o pátio da escola municipal Tomaz Francisco Garcia, no Bairro dos Municípios, chamou atenção da comunidade escolar, seja de forma presencial (tudo com agendamento prévio) ou de forma remota, através da divulgação de vídeos nas redes.

A Praça da Inclusão, organizada pela diretora da escola, Anelise Escaravaco e pela equipe de professores de educação especial e seus auxiliares, apresentou trabalhos feitos pelos alunos nesse período de pandemia.

“Transformamos o pátio coberto da escola em um espaço para expor todos os trabalhos que estão sendo produzidos pelas professoras de educação especial e pelas auxiliares de educação especial. Foi uma maneira de apresentar para toda a equipe e também para a comunidade, através de fotos e vídeos, as atividades que estão sendo realizadas durante o período em que o nosso trabalho ocorre de maneira remota”, justificou Anelise.

Ela explicou que desde o início da pandemia, a escola procurou inserir todos os alunos no novo modelo e muitos dos alunos com deficiência não precisam de auxílio dos professores de educação especial, os professores regentes conseguem adaptar as atividades que eles vão desenvolver.

“Mas tem outros que mesmo readaptando as atividades eles necessitam de auxílio, então os professores de educação especial e auxiliares trabalham desenvolvendo, criando material para dar suporte ao que é feito pela plataforma, os pais vem retirar esse material na escola para auxiliar o aprendizado das crianças. Percebi que é um material rico de conteúdo pedagógico e por isso decidimos criar essa Praça da Inclusão para expor tudo, para que esse trabalho ficasse como um registro”, comentou a diretora.

Mas além de apresentar os trabalhos, a iniciativa acabou servindo de motivação para funcionários, professores que estão indo até a escola, mediante agendamento, para retirar as atividades destas crianças que não tem plataforma, pegar material impresso, levar para casa, corrigir.

“De maneira organizada, recebemos alguns funcionários nesse período e eles também acabaram se deparando com esse pátio interno vazio, sem criança, sem sorriso e a Praça da Inclusão acabou se transformando em um local colorido, divertido, com todo o material exposto. Já temos as devolutivas das famílias dos alunos fazendo atividades em casa, imprimimos estas fotos, deixamos expostos, isso também deu vida para quem está em casa, do outro lado da tela, porque o professor também sofre como os funcionários da escola também estão sofrendo com esse distanciamento, porque todos acabam tendo um vínculo com as crianças”, contou Anelise, dizendo que objetivo foi alcançado: registrar e mostrar para comunidade escolar para que saibam que esse local existe e como está sendo utilizado.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade