Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

45% estão otimistas com eleição, diz Datafolha
Agência Brasil

Terça, 12/6/2018 14:56.

(FOLHAPRESS)

A mais recente pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que grande parte dos brasileiros está otimista com o impacto das próximas eleições para a melhoria da vida e da política.

Para 45% dos entrevistados, o resultado das votações gerais de outubro vai fazer a vida melhorar.

Uma parcela de 35% diz que a vida ficará igual e 7% afirmam que a vida vai piorar.

Quando perguntados sobre o perfil dos políticos eleitos, 45% afirmam que eles serão melhores do que os representantes atuais.

Para 38%, os escolhidos serão iguais aos de hoje e, para 6%, serão piores.

A pesquisa ouviu 2.824 pessoas em 174 municípios nos dias 6 e 7 de junho. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Nestas eleições serão escolhidos o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e os estaduais.

Como a Folha mostrou no último domingo (10), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) mantém a liderança da corrida presidencial nos cenários em que o ex-presidente Lula (PT) está ausente, com 19% das preferências.

Lula está preso em Curitiba há dois meses e provavelmente não será candidato.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece logo depois no levantamento, com até 15% das intenções de voto.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que oscila entre 10 e 11%, e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 7%, estão tecnicamente empatados.

Simulações feitas pelo Datafolha para o segundo turno da eleição reforçam os sinais de que muitos eleitores não encontram uma alternativa sem Lula.

Os dois candidatos apontados como "plano B" do PT, Fernando Haddad e Jaques Wagner, obtêm apenas 1%.

Em cinco dos nove cenários em que o líder petista não aparece, o número de eleitores sem opção, dispostos a votar em branco ou anular o voto supera o de apoiadores do candidato vencedor.

Marina Silva aparece como a que tem melhores chances contra Bolsonaro no segundo turno.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Especial

Festival de música eletrônica reuniu milhares de pessoas na virada do ano, em Rio Negrinho


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

45% estão otimistas com eleição, diz Datafolha

Agência Brasil
Terça, 12/6/2018 14:56.

(FOLHAPRESS)

A mais recente pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que grande parte dos brasileiros está otimista com o impacto das próximas eleições para a melhoria da vida e da política.

Para 45% dos entrevistados, o resultado das votações gerais de outubro vai fazer a vida melhorar.

Uma parcela de 35% diz que a vida ficará igual e 7% afirmam que a vida vai piorar.

Quando perguntados sobre o perfil dos políticos eleitos, 45% afirmam que eles serão melhores do que os representantes atuais.

Para 38%, os escolhidos serão iguais aos de hoje e, para 6%, serão piores.

A pesquisa ouviu 2.824 pessoas em 174 municípios nos dias 6 e 7 de junho. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Nestas eleições serão escolhidos o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e os estaduais.

Como a Folha mostrou no último domingo (10), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) mantém a liderança da corrida presidencial nos cenários em que o ex-presidente Lula (PT) está ausente, com 19% das preferências.

Lula está preso em Curitiba há dois meses e provavelmente não será candidato.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece logo depois no levantamento, com até 15% das intenções de voto.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que oscila entre 10 e 11%, e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 7%, estão tecnicamente empatados.

Simulações feitas pelo Datafolha para o segundo turno da eleição reforçam os sinais de que muitos eleitores não encontram uma alternativa sem Lula.

Os dois candidatos apontados como "plano B" do PT, Fernando Haddad e Jaques Wagner, obtêm apenas 1%.

Em cinco dos nove cenários em que o líder petista não aparece, o número de eleitores sem opção, dispostos a votar em branco ou anular o voto supera o de apoiadores do candidato vencedor.

Marina Silva aparece como a que tem melhores chances contra Bolsonaro no segundo turno.

Publicidade

Publicidade