Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Eleições
Juiz manda apurar suposto crime eleitoral na campanha de Fabricio Oliveira

Domingo, 4/10/2020 6:33.

Publicidade

O juiz Cláudio Barbosa Fontes Filho, da 103ª Zona Eleitoral de Balneário Camboriú, determinou que a Polícia Federal investigue a suposta cobertura, por uma rádio comercial, do lançamento da campanha a prefeito de Fabrício Oliveira, o que é proibido, mas aparentemente a acusação não se sustenta porque isso não teria ocorrido.

Em verdade, a empresa que forneceu o sistema de som usou a mesma frequência modulada da rádio Belos Vales, de Ibirama, que não alcança Balneário Camboriú.

O responsável pela sonorização explicou que isso é feito em ocasiões onde, devido à pandemia, é preciso distribuir som para os veículos estacionados na área do evento e que o sinal é fraco, limitado à área do estacionamento.

Adversários da coligação acusada alegam que o som cobria área muito maior e o uso da frequência de uma rádio comercial configura crime eleitoral.

Os fatos serão apurados pela Polícia Federal, como é praxe em acusações de crime eleitoral.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Juiz manda apurar suposto crime eleitoral na campanha de Fabricio Oliveira

Publicidade

Domingo, 4/10/2020 6:33.

O juiz Cláudio Barbosa Fontes Filho, da 103ª Zona Eleitoral de Balneário Camboriú, determinou que a Polícia Federal investigue a suposta cobertura, por uma rádio comercial, do lançamento da campanha a prefeito de Fabrício Oliveira, o que é proibido, mas aparentemente a acusação não se sustenta porque isso não teria ocorrido.

Em verdade, a empresa que forneceu o sistema de som usou a mesma frequência modulada da rádio Belos Vales, de Ibirama, que não alcança Balneário Camboriú.

O responsável pela sonorização explicou que isso é feito em ocasiões onde, devido à pandemia, é preciso distribuir som para os veículos estacionados na área do evento e que o sinal é fraco, limitado à área do estacionamento.

Adversários da coligação acusada alegam que o som cobria área muito maior e o uso da frequência de uma rádio comercial configura crime eleitoral.

Os fatos serão apurados pela Polícia Federal, como é praxe em acusações de crime eleitoral.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade