Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Entrevista
Fabi Loos entrevista Marco Aurélio Girardi, guitarrista da Syn TZ

Entrevista publicada na coluna Fabulando por Fabiana Longaro Loos

Sexta, 30/6/2017 14:58.
Reprodução

Publicidade

Por Fabiana Loos

Marco A. Girardi foi um dos fundadores de uma das pioneiras bandas de Heavy Metal de Santa Catarina, a Syndrome. Guitarrista de mão cheia, conversou com a Fabulando sobre a sua nova empreitada, a banda Syn TZ, que lança seu primeiro disco, intitulado. Heavy Load.

Fabulando: Você já tem uma grande história na música, mais especificamente no Heavy Metal, mas sabemos que o mercado não é tão propício para esse tipo de som, como pular esses obstáculos?

Marco: Com amor e dedicação, quem entra para fazer música autoral sabe que é muito difícil, mas a gente faz porque ama e isso faz tudo valer a pena. É bastante normal o público se interessar pelas bandas grandes e deixar as pequenas de lado, mas isso não pode ser motivo para desistirmos. Acredito que precisamos dar o nosso melhor para criarmos uma música boa e, dessa forma, deixarmos nossa marca no metal.

Fabulando: A Syndrome foi uma das pioneiras e maiores bandas do estilo em SC, sua inspiração para a Syn TZ segue a mesma tendência? Quais as inspirações para as composições da banda?

Marco: Eu acho que a Syn TZ acaba sendo uma evolução natural minha, procuro sempre estar atualizado, mas sem nunca perder as raízes que moldaram a minha personalidade musical. As composições saem naturalmente e, hoje, tocando com outros músicos, outras inspirações aparecem e agregam valor ao som da banda. A intenção não é revolucionar nada com a Syn TZ, apenasfazer o bom e velho metal com uma leitura atual.

Fabulando: Como foi gravar mais um disco? Atualmente, com novas plataformas, a maneira de ouvir música mudou bastante, nem todas as pessoas compram discos. Como vocês esperam alcançar o público?

Marco: Eu amo entrar no estúdio e gravar, é uma experiência única ver o som tomando forma. A gente lançou o cd físico, mas sem esquecer as mídias digitais atuais, afinal, hoje é necessário estar presente em todas elas. Após o show de lançamento do cd, nesse sábado, no Open Rock Bar, iremos lançar o cd nas mídias digitais, entre elas, spotfy, itunes, deezer, vevo, soundclound e, dessa forma, alcançar o máximo possível de pessoas.

Fabulando: Todos os membros da Syn TZ têm experiências com participações em outras bandas, como isso ajuda na hora da composição e em shows ao vivo?

Marco: Todos trazem uma contribuição, a experiência nos ajuda a não cometermos alguns erros, principalmente no palco. Anos de shows ajudam o aperfeiçoamento do som e da performance. No momento da composição, todos colaboram e o legal é que geralmente cada um está ouvindo algo diferente e, aí, a junção disso tudo traz multiplicidade para o som da banda.

Fabulando: Sabemos que os espaços para música autoral estão cada vez menores, como reverter ou minimizar esse quadro?

Marco: É difícil para as bandas fazerem isso porque depende muito dos donos das casas noturnas acreditarem no potencial de cada banda. Eu sugeri para as casas colocarem uma banda cover e uma autoral na mesma noite, assim, o público também se acostumaria a ouvir bandas novas. Seria interessante todos se unirem a fim de organizar alguns festivais e shows.

Fabulando: Os objetivos para Syn Tz em um futuro próximo e como alguém consegue adquirir o cd de vocês?

Marco: Com o lançamento do cd, a prioridade é sair para tocar o máximo possível, levar a banda pra todos os cantos. A estrada é muito importante para uma banda porque a gente tem um contato mais direto com quem gosta do som e com o público em geral. As pessoas podem adquirir o cd através do contato 47 99999-2112, no Facebook da banda ou Instagram @syn_tz.


Publicado na Coluna Fabulando, na edição impressa de maio. Para saber de tudo BEM antes, assine o Página 3 aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução

Fabi Loos entrevista Marco Aurélio Girardi, guitarrista da Syn TZ

Entrevista publicada na coluna Fabulando por Fabiana Longaro Loos

Publicidade

Sexta, 30/6/2017 14:58.

Por Fabiana Loos

Marco A. Girardi foi um dos fundadores de uma das pioneiras bandas de Heavy Metal de Santa Catarina, a Syndrome. Guitarrista de mão cheia, conversou com a Fabulando sobre a sua nova empreitada, a banda Syn TZ, que lança seu primeiro disco, intitulado. Heavy Load.

Fabulando: Você já tem uma grande história na música, mais especificamente no Heavy Metal, mas sabemos que o mercado não é tão propício para esse tipo de som, como pular esses obstáculos?

Marco: Com amor e dedicação, quem entra para fazer música autoral sabe que é muito difícil, mas a gente faz porque ama e isso faz tudo valer a pena. É bastante normal o público se interessar pelas bandas grandes e deixar as pequenas de lado, mas isso não pode ser motivo para desistirmos. Acredito que precisamos dar o nosso melhor para criarmos uma música boa e, dessa forma, deixarmos nossa marca no metal.

Fabulando: A Syndrome foi uma das pioneiras e maiores bandas do estilo em SC, sua inspiração para a Syn TZ segue a mesma tendência? Quais as inspirações para as composições da banda?

Marco: Eu acho que a Syn TZ acaba sendo uma evolução natural minha, procuro sempre estar atualizado, mas sem nunca perder as raízes que moldaram a minha personalidade musical. As composições saem naturalmente e, hoje, tocando com outros músicos, outras inspirações aparecem e agregam valor ao som da banda. A intenção não é revolucionar nada com a Syn TZ, apenasfazer o bom e velho metal com uma leitura atual.

Fabulando: Como foi gravar mais um disco? Atualmente, com novas plataformas, a maneira de ouvir música mudou bastante, nem todas as pessoas compram discos. Como vocês esperam alcançar o público?

Marco: Eu amo entrar no estúdio e gravar, é uma experiência única ver o som tomando forma. A gente lançou o cd físico, mas sem esquecer as mídias digitais atuais, afinal, hoje é necessário estar presente em todas elas. Após o show de lançamento do cd, nesse sábado, no Open Rock Bar, iremos lançar o cd nas mídias digitais, entre elas, spotfy, itunes, deezer, vevo, soundclound e, dessa forma, alcançar o máximo possível de pessoas.

Fabulando: Todos os membros da Syn TZ têm experiências com participações em outras bandas, como isso ajuda na hora da composição e em shows ao vivo?

Marco: Todos trazem uma contribuição, a experiência nos ajuda a não cometermos alguns erros, principalmente no palco. Anos de shows ajudam o aperfeiçoamento do som e da performance. No momento da composição, todos colaboram e o legal é que geralmente cada um está ouvindo algo diferente e, aí, a junção disso tudo traz multiplicidade para o som da banda.

Fabulando: Sabemos que os espaços para música autoral estão cada vez menores, como reverter ou minimizar esse quadro?

Marco: É difícil para as bandas fazerem isso porque depende muito dos donos das casas noturnas acreditarem no potencial de cada banda. Eu sugeri para as casas colocarem uma banda cover e uma autoral na mesma noite, assim, o público também se acostumaria a ouvir bandas novas. Seria interessante todos se unirem a fim de organizar alguns festivais e shows.

Fabulando: Os objetivos para Syn Tz em um futuro próximo e como alguém consegue adquirir o cd de vocês?

Marco: Com o lançamento do cd, a prioridade é sair para tocar o máximo possível, levar a banda pra todos os cantos. A estrada é muito importante para uma banda porque a gente tem um contato mais direto com quem gosta do som e com o público em geral. As pessoas podem adquirir o cd através do contato 47 99999-2112, no Facebook da banda ou Instagram @syn_tz.


Publicado na Coluna Fabulando, na edição impressa de maio. Para saber de tudo BEM antes, assine o Página 3 aqui.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade