Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Entrevista
Entrevista: secretária fala sobre a Saúde, em Balneário Camboriú

Entre as principais realizações, a redução de filas para exames e consultas

Quarta, 1/8/2018 13:42.
Divulgação PMBC
A secretária Andressa Hadad

Publicidade

Por Marlise Schneider Cezar

Mais de 50 mil atendimentos, entre consultas e exames, realizados no primeiro semestre deste ano, comprovam que a secretaria da Saúde está conseguindo reduzir as filas de espera que se formaram ao longo dos últimos anos. Por exemplo, no sábado (28) o posto da Barra abriu para mais uma redução de filas e realizou em apenas um dia 76 consultas, 44 preventivos de câncer de útero, 43 exames de mamas, 12 testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites, além de 18 consultas odontológicas.

A secretária de Saúde Andressa Hadad disse que várias ações de melhorias e projetos estão em andamento e outros sendo trabalhados pretendem acabar de vez com as filas de espera, além de qualificar e humanizar a saúde pública municipal.

“O prefeito Fabrício Oliveira prioriza a saúde e isso pode ser visto na ponta do lápis. Se você comparar o investimento feito pelo município em saúde com municípios vizinhos, como Itajaí por exemplo, isso se comprova facilmente. Enquanto Itajaí investiu R$ 152 milhões na saúde em 2017, Balneário Camboriú investiu R$ 150 milhões, no mesmo período, o que significa que o investimento por habitante em Itajaí é de cerca de R$ 525, enquanto que em Balneário Camboriú, é de mais de R$ 1,200,00”, enfatizou a secretária.

Esta semana a secretária Andressa Hadad conversou com a reportagem sobre as mudanças, as melhorias da saúde e os projetos que ainda estão no forno. Acompanhe:

JP3 - Esses números de atendimentos também reduzem rapidamente as filas de espera.

Andressa - No primeiro semestre deste ano mais de 24 mil consultas e mais de 36 mil exames foram realizados, lembrando que temos uma cobertura de mais de 105 mil pessoas pela Estratégia da Família, onde incrementamos colocando mais quatro equipes nas ruas. A redução das filasé um processo diário, porque enquanto realiza 10 consultas em um dia, temos entrada de outras 20 solicitações de consulta, mesma coisa de exames. Então esse é um trabalho diário, para que o paciente não fique esperando muito tempo para consultar ou fazer seu exame. Neste primeiro semestre tivemos uma redução bem significativa nas áreas de dermatologia, proctologia, otorrino e nos exames de ressonância magnética e tomografias. Nestes áreas conseguimos atingir uma resolução muito boa.

JP3 - É um conjunto de ações para que essas filas reprimidas comecem a andar?

Andressa - Fazemos a contratação de credenciados seja de consultas ou de exames, para aumentar a oferta para os usuários. Além desses credenciamentos também estamos trabalhando com as equipes os protocolos de saúde, tanto as equipes de enfermagem, todas as equipes multiprofissionais e equipe médica para que eles consigam realizar os devidos encaminhamentos. Estamos trabalhando muito com a Estratégia da Saúde da Família para que o paciente seja atendido como um todo, que é isso que o Ministério da Saúde preconiza e desta forma dando segurança ao paciente, fácil acesso e a confiança daquele médico que trata a sua região, a sua família, que conhece todo seu histórico e a patologia do paciente. Este é o caminho que estamos seguindo para redução da parte especializada e também nas consultas e exames. O que perfaz o Estado estamos tendo uma grande dificuldade infelizmente como todos os municípios, porém estamos buscando alternativas através dos nossos credenciamentos, mesmo estas consultas não estando dentro do nosso escopo de trabalho, nós buscamos conforme a necessidade e a urgência de cada paciente, e também através de reuniões tentando com que o Estado acolha e absorva estas demandas, até mesmo com apoio do Ministério Público quando necessário, porque quando envolve a questão do Estado nós temos uma grande dificuldade, devido a situação econômica do Estado.

JP3 - As facilidades no atendimento para marcar consultas também contribuem muito nessa redução?

Andressa - Desde novembro de 2017, quando assumi a secretaria, estamos desenvolvendo um trabalho onde as equipes sofreram várias mudanças, principalmente de mentalidade quanto ao acolhimento dos pacientes e foi elaborado capacitações com pessoas de fora para falar sobre acolhimento, para falar sobre essa bandeira que o governo Fabricio Oliveira levantou, de acolhimento, de aproximar o paciente das unidades básicas, de aproximar a comunidade dos profissionais para que tenhamos uma melhor resolutividade. Iniciamos esse processo em todas as unidades através de capacitação e depois colocamos em prática toda esse aprendizado. O exemplo é a unidade Central onde hoje não temos mais distribuição de fichas, lembrando que nossa unidade da 1500 atende quase 60% da população. Esses pacientes chegam na unidade no horário que for, das 7h às 19h, onde são acolhidos pela equipe multiprofissional e já recebem seu encaminhamento. Com esse processo estamos colocando em prática o que o Ministério da Saúde preconiza, não estamos inventando a máquina de moer milho, estamos colocando em prática o processo que foi estudado, comprovado que é a melhor prática para a saúde de um municipio. Então o paciente não precisa mais chegar 3, 4h da manhã com aquela dúvida se vai conseguir uma ficha ou não. Este processo estamos levando para todas as nossas unidades de atendimento, inclusive as unidades especializadas.

JP3 - Equipes do Estratégia da Família agora também no centro é mais um fator de apoio na tentativa de acabar com a demanda reprimida na saúde...

Andressa - São duas novas equipes na região central, onde estamos implantando a Estratégia da Saúde da Família, o que nos traz muita felicidade, porque era um processo esperado e a população aqui do centro tem essa necessidade. A Estratégia fará a cobertura da Quarta Avenida para trás, as equipes já estão trabalhando, definindo as casas, quais ruas ficarão responsáveis por equipes, estão trabalhando nesta estratificação para logo em seguida iniciar os atendimentos da população. É um grande ato que temos em nossa unidade central.

JP3 - Os horários ampliados nas unidades de saúde do Nações e Vila Real tiveram boa aceitação. As outras unidades também receberão?

Andressa - Os horários ampliados vieram através do nosso projeto que é o ‘BC Mais Saúde para Você’. Este projeto vem para trazer acessibilidade aos pacientes para trabalhar muito a saúde do trabalhador, que está o dia todo no seu trabalho, que está com uma dor de cabeça persistente, uma dor nas costas, algum processo alérgico, que precisa passar pelo médico, então ele vai poder procurar a unidade básica após seu trabalho. A mesma coisa com os pais que vão pegar seus filhos na creche e eles estão febris, ou com algum desconforto respiratório, eles não precisam levar para pronto socorro e sim na unidade básica. Então esse horário ampliado veio para atender essa demanda e com isso realizar todo o processo de trabalho eliminando aquele período de espera no pronto socorro, onde o paciente se sente tranquilo sabendo que vai receber o atendimento.

Esse projeto já foi implantado no Nações e na Vila Real para que seus pacientes possam ser atendidos ali, ao invés de procurar unidade de urgência e emergência que ficam livres para receber aqueles pacientes graves, diminuindo as filas ali. Estas duas unidades já trabalham em formato de acolhimento, onde também não temos mais distribuição de fichas e ninguém precisa chegar de madrugada para conseguir atendimento.

Esse horário estendido e esse formato de atendimento estaremos levando para todas as unidades em breve. Vale salientar que entre os dias 4 de junho quando iniciamos o horário estendido a 5 de julho nas duas unidades tivemos em média 700 atendimentos médicos e 800 atendimentos de enfermagem. É um número muito grande, que mostra a necessidade que a população tem. Na unidade das praias também foi colocada uma equipe da Estratégia da Saúde da Família à disposição da Interpraias e em julho ela registrou 137 atendimentos de moradores de Taquaras, Estaleiro e Estaleirinho. A comunidade precisava muito.

JP3 - O que por sua vez, diminuirá bastante as filas no PA da Barra por exemplo.

Andressa - Não só no PA da Barra, mas também no Pronto Socorro. Temos que lembrar muito que o horário estendido não é um pronto atendimento, ele é uma unidade básica de saúde com horário estendido. Podemos atender aqueles casos não agudos, nem crônicos. Se houver necessidade de investigação, o paciente será encaminhado, porque ali não temos laboratório nem raio-x, o que é necessário para um atendimento mais grave. Bom lembrar sempre que as unidades que já possuem horário estendido atendem pacientes daqueles bairros, não conseguimos expandir isso para as outras unidades.

JP3 - A secretaria itinerante é uma novidade para humanizar mais essas questões relacionadas à saúde, como melhorar o atendimento e o contato entre profissionais e usuários, por exemplo…

Andressa - Sim, já percorreu todas as unidades básicas e todas as especializadas, tem mais de três meses de atuação, já estamos passando pela segunda vez nas unidades, já retomamos o início desse processo na semana passada, na Unidade Básica do Ariribá. É um projeto que nos coloca muito próximos da comunidade e também dos nossos funcionários, onde nossa frase principal é como falarmos e pedirmos para que nossas equipes acolham nossos usuários se eles não se sentem acolhidos. O projeto Gabinete Itinerante veio para acolher os nossos efetivos que estão na ponta e que realizam um trabalho incrível de assistência à saúde e para valorizar esse trabalho e atender as necessidades, ver com os próprios olhos o que cada unidade precisa, conversar com a comunidade, sentir como está o trabalho da secretaria da Saúde, ouvindo ideias, críticas e nada melhor que os profissionais e usuários nos transmitirem isso.

JP3 - Como está a situação do Ruth Cardoso?

Andressa - Referente à terceirização estamos na fase de verificação do processo do edital, que foi finalizado, foi entregue para a secretaria de Compras, Gabinete do prefeito, Controladoria, Procuradoria e Ministério Público, para que todos eles façam sua leitura e emitam as considerações finais. Depois disso finalizamos o edital para publicar e assim as empresas que já estão qualificados no processo anterior, possam fazer a concorrência no concurso de projetos. Lembrando que esse concurso de projetos vai avaliar a técnica e o preço. Estamos então aguardando estas avaliações para tão logo publicarmos e assim termos a avaliação toda através de uma equipe de todo esse processo e assim realizar a terceirização do hospital, lembrando que o governo Fabricio Oliveira prima muito pela qualidade e pela segurança de todo esse processo.

JP3 - O que vem por aí até o final do ano?

Vários projetos em andamento:

*Reforma - Nossas unidades já começaram a receber as visitas da equipe que ganhou a licitação e que está fazendo um levantamento de todas as necessidades estruturais das nossas unidades desde parte elétrica, hidráulica, etc. Nove destas unidades já foram visitadas e brevemente entregarão o relatório delas. A empresa tem 30, 60 e 90 dias para entregar o relatório das 29 unidades de saúde. Com estes relatórios, iremos realizar a licitação para reforma de todas essas unidades;

*Reavivação do PA 24 Horas - esta foi uma solicitação do prefeito em Brasília, ele conseguiu repasse de verba, estamos aguardando a informação pelo Ministério da Saúde desse repasse e assim iniciar a construção de um novo pronto atendimento da Barra para a região e também uma unidade de saúde para São Judas, um Caps infantil e uma unidade de atenção básica porte 4 para a região do centro. São cinco unidades que o prefeito conseguiu o repasse;

*A transferência do Pronto Socorro do Ruth Cardoso, que hoje estamos em uma área inadequada e vamos transferir para o espaço que já está pronto e isso está em andamento e em breve será entregue à comunidade;

*A implantação dos protocolos de saúde que são muito importantes para o direcionamento e padronização dos atendimentos aqui, estamos realizando um trabalho bem grande em conjunto com outras secretarias para que esse protocolo fale uma única língua, tanto nas equipes de enfermagem, médicas e equipe multiprofissional da secretaria da Saúde;

*Informatização de toda rede de saúde;

*Ambulância - mais uma será adquirida;

*Mutirões de cirurgia - Serão realizados através de credenciamento da nossa regulação para assim acabar com estas filas reprimidas de cirurgias de longos anos. É um trabalho que estamos desenvolvendo desde o ano passado;

*Samu na Rede 192 - Foi implantado, já fez a capacitação da secretaria de Segurança em atendimentos de urgência e emergência, também com a PM, Corpo de Bombeiros, estamos realizando essa capacitação nas unidades básicas e também no hospital;

*Novas equipes - Estamos implementando a equipe de Núcleo de Apoio à Saúde da Família, onde iremos implantar duas unidades e que fará um melhor atendimento à comunidade, com relação a atendimento especializado, psicólogo, assistente social; e também o Núcleo de Educação Permanente em Saúde, estamos realizando várias capacitações para nossos profissionais, com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados à usuários.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação PMBC
A secretária Andressa Hadad
A secretária Andressa Hadad

Entrevista: secretária fala sobre a Saúde, em Balneário Camboriú

Entre as principais realizações, a redução de filas para exames e consultas

Publicidade

Quarta, 1/8/2018 13:42.

Por Marlise Schneider Cezar

Mais de 50 mil atendimentos, entre consultas e exames, realizados no primeiro semestre deste ano, comprovam que a secretaria da Saúde está conseguindo reduzir as filas de espera que se formaram ao longo dos últimos anos. Por exemplo, no sábado (28) o posto da Barra abriu para mais uma redução de filas e realizou em apenas um dia 76 consultas, 44 preventivos de câncer de útero, 43 exames de mamas, 12 testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites, além de 18 consultas odontológicas.

A secretária de Saúde Andressa Hadad disse que várias ações de melhorias e projetos estão em andamento e outros sendo trabalhados pretendem acabar de vez com as filas de espera, além de qualificar e humanizar a saúde pública municipal.

“O prefeito Fabrício Oliveira prioriza a saúde e isso pode ser visto na ponta do lápis. Se você comparar o investimento feito pelo município em saúde com municípios vizinhos, como Itajaí por exemplo, isso se comprova facilmente. Enquanto Itajaí investiu R$ 152 milhões na saúde em 2017, Balneário Camboriú investiu R$ 150 milhões, no mesmo período, o que significa que o investimento por habitante em Itajaí é de cerca de R$ 525, enquanto que em Balneário Camboriú, é de mais de R$ 1,200,00”, enfatizou a secretária.

Esta semana a secretária Andressa Hadad conversou com a reportagem sobre as mudanças, as melhorias da saúde e os projetos que ainda estão no forno. Acompanhe:

JP3 - Esses números de atendimentos também reduzem rapidamente as filas de espera.

Andressa - No primeiro semestre deste ano mais de 24 mil consultas e mais de 36 mil exames foram realizados, lembrando que temos uma cobertura de mais de 105 mil pessoas pela Estratégia da Família, onde incrementamos colocando mais quatro equipes nas ruas. A redução das filasé um processo diário, porque enquanto realiza 10 consultas em um dia, temos entrada de outras 20 solicitações de consulta, mesma coisa de exames. Então esse é um trabalho diário, para que o paciente não fique esperando muito tempo para consultar ou fazer seu exame. Neste primeiro semestre tivemos uma redução bem significativa nas áreas de dermatologia, proctologia, otorrino e nos exames de ressonância magnética e tomografias. Nestes áreas conseguimos atingir uma resolução muito boa.

JP3 - É um conjunto de ações para que essas filas reprimidas comecem a andar?

Andressa - Fazemos a contratação de credenciados seja de consultas ou de exames, para aumentar a oferta para os usuários. Além desses credenciamentos também estamos trabalhando com as equipes os protocolos de saúde, tanto as equipes de enfermagem, todas as equipes multiprofissionais e equipe médica para que eles consigam realizar os devidos encaminhamentos. Estamos trabalhando muito com a Estratégia da Saúde da Família para que o paciente seja atendido como um todo, que é isso que o Ministério da Saúde preconiza e desta forma dando segurança ao paciente, fácil acesso e a confiança daquele médico que trata a sua região, a sua família, que conhece todo seu histórico e a patologia do paciente. Este é o caminho que estamos seguindo para redução da parte especializada e também nas consultas e exames. O que perfaz o Estado estamos tendo uma grande dificuldade infelizmente como todos os municípios, porém estamos buscando alternativas através dos nossos credenciamentos, mesmo estas consultas não estando dentro do nosso escopo de trabalho, nós buscamos conforme a necessidade e a urgência de cada paciente, e também através de reuniões tentando com que o Estado acolha e absorva estas demandas, até mesmo com apoio do Ministério Público quando necessário, porque quando envolve a questão do Estado nós temos uma grande dificuldade, devido a situação econômica do Estado.

JP3 - As facilidades no atendimento para marcar consultas também contribuem muito nessa redução?

Andressa - Desde novembro de 2017, quando assumi a secretaria, estamos desenvolvendo um trabalho onde as equipes sofreram várias mudanças, principalmente de mentalidade quanto ao acolhimento dos pacientes e foi elaborado capacitações com pessoas de fora para falar sobre acolhimento, para falar sobre essa bandeira que o governo Fabricio Oliveira levantou, de acolhimento, de aproximar o paciente das unidades básicas, de aproximar a comunidade dos profissionais para que tenhamos uma melhor resolutividade. Iniciamos esse processo em todas as unidades através de capacitação e depois colocamos em prática toda esse aprendizado. O exemplo é a unidade Central onde hoje não temos mais distribuição de fichas, lembrando que nossa unidade da 1500 atende quase 60% da população. Esses pacientes chegam na unidade no horário que for, das 7h às 19h, onde são acolhidos pela equipe multiprofissional e já recebem seu encaminhamento. Com esse processo estamos colocando em prática o que o Ministério da Saúde preconiza, não estamos inventando a máquina de moer milho, estamos colocando em prática o processo que foi estudado, comprovado que é a melhor prática para a saúde de um municipio. Então o paciente não precisa mais chegar 3, 4h da manhã com aquela dúvida se vai conseguir uma ficha ou não. Este processo estamos levando para todas as nossas unidades de atendimento, inclusive as unidades especializadas.

JP3 - Equipes do Estratégia da Família agora também no centro é mais um fator de apoio na tentativa de acabar com a demanda reprimida na saúde...

Andressa - São duas novas equipes na região central, onde estamos implantando a Estratégia da Saúde da Família, o que nos traz muita felicidade, porque era um processo esperado e a população aqui do centro tem essa necessidade. A Estratégia fará a cobertura da Quarta Avenida para trás, as equipes já estão trabalhando, definindo as casas, quais ruas ficarão responsáveis por equipes, estão trabalhando nesta estratificação para logo em seguida iniciar os atendimentos da população. É um grande ato que temos em nossa unidade central.

JP3 - Os horários ampliados nas unidades de saúde do Nações e Vila Real tiveram boa aceitação. As outras unidades também receberão?

Andressa - Os horários ampliados vieram através do nosso projeto que é o ‘BC Mais Saúde para Você’. Este projeto vem para trazer acessibilidade aos pacientes para trabalhar muito a saúde do trabalhador, que está o dia todo no seu trabalho, que está com uma dor de cabeça persistente, uma dor nas costas, algum processo alérgico, que precisa passar pelo médico, então ele vai poder procurar a unidade básica após seu trabalho. A mesma coisa com os pais que vão pegar seus filhos na creche e eles estão febris, ou com algum desconforto respiratório, eles não precisam levar para pronto socorro e sim na unidade básica. Então esse horário ampliado veio para atender essa demanda e com isso realizar todo o processo de trabalho eliminando aquele período de espera no pronto socorro, onde o paciente se sente tranquilo sabendo que vai receber o atendimento.

Esse projeto já foi implantado no Nações e na Vila Real para que seus pacientes possam ser atendidos ali, ao invés de procurar unidade de urgência e emergência que ficam livres para receber aqueles pacientes graves, diminuindo as filas ali. Estas duas unidades já trabalham em formato de acolhimento, onde também não temos mais distribuição de fichas e ninguém precisa chegar de madrugada para conseguir atendimento.

Esse horário estendido e esse formato de atendimento estaremos levando para todas as unidades em breve. Vale salientar que entre os dias 4 de junho quando iniciamos o horário estendido a 5 de julho nas duas unidades tivemos em média 700 atendimentos médicos e 800 atendimentos de enfermagem. É um número muito grande, que mostra a necessidade que a população tem. Na unidade das praias também foi colocada uma equipe da Estratégia da Saúde da Família à disposição da Interpraias e em julho ela registrou 137 atendimentos de moradores de Taquaras, Estaleiro e Estaleirinho. A comunidade precisava muito.

JP3 - O que por sua vez, diminuirá bastante as filas no PA da Barra por exemplo.

Andressa - Não só no PA da Barra, mas também no Pronto Socorro. Temos que lembrar muito que o horário estendido não é um pronto atendimento, ele é uma unidade básica de saúde com horário estendido. Podemos atender aqueles casos não agudos, nem crônicos. Se houver necessidade de investigação, o paciente será encaminhado, porque ali não temos laboratório nem raio-x, o que é necessário para um atendimento mais grave. Bom lembrar sempre que as unidades que já possuem horário estendido atendem pacientes daqueles bairros, não conseguimos expandir isso para as outras unidades.

JP3 - A secretaria itinerante é uma novidade para humanizar mais essas questões relacionadas à saúde, como melhorar o atendimento e o contato entre profissionais e usuários, por exemplo…

Andressa - Sim, já percorreu todas as unidades básicas e todas as especializadas, tem mais de três meses de atuação, já estamos passando pela segunda vez nas unidades, já retomamos o início desse processo na semana passada, na Unidade Básica do Ariribá. É um projeto que nos coloca muito próximos da comunidade e também dos nossos funcionários, onde nossa frase principal é como falarmos e pedirmos para que nossas equipes acolham nossos usuários se eles não se sentem acolhidos. O projeto Gabinete Itinerante veio para acolher os nossos efetivos que estão na ponta e que realizam um trabalho incrível de assistência à saúde e para valorizar esse trabalho e atender as necessidades, ver com os próprios olhos o que cada unidade precisa, conversar com a comunidade, sentir como está o trabalho da secretaria da Saúde, ouvindo ideias, críticas e nada melhor que os profissionais e usuários nos transmitirem isso.

JP3 - Como está a situação do Ruth Cardoso?

Andressa - Referente à terceirização estamos na fase de verificação do processo do edital, que foi finalizado, foi entregue para a secretaria de Compras, Gabinete do prefeito, Controladoria, Procuradoria e Ministério Público, para que todos eles façam sua leitura e emitam as considerações finais. Depois disso finalizamos o edital para publicar e assim as empresas que já estão qualificados no processo anterior, possam fazer a concorrência no concurso de projetos. Lembrando que esse concurso de projetos vai avaliar a técnica e o preço. Estamos então aguardando estas avaliações para tão logo publicarmos e assim termos a avaliação toda através de uma equipe de todo esse processo e assim realizar a terceirização do hospital, lembrando que o governo Fabricio Oliveira prima muito pela qualidade e pela segurança de todo esse processo.

JP3 - O que vem por aí até o final do ano?

Vários projetos em andamento:

*Reforma - Nossas unidades já começaram a receber as visitas da equipe que ganhou a licitação e que está fazendo um levantamento de todas as necessidades estruturais das nossas unidades desde parte elétrica, hidráulica, etc. Nove destas unidades já foram visitadas e brevemente entregarão o relatório delas. A empresa tem 30, 60 e 90 dias para entregar o relatório das 29 unidades de saúde. Com estes relatórios, iremos realizar a licitação para reforma de todas essas unidades;

*Reavivação do PA 24 Horas - esta foi uma solicitação do prefeito em Brasília, ele conseguiu repasse de verba, estamos aguardando a informação pelo Ministério da Saúde desse repasse e assim iniciar a construção de um novo pronto atendimento da Barra para a região e também uma unidade de saúde para São Judas, um Caps infantil e uma unidade de atenção básica porte 4 para a região do centro. São cinco unidades que o prefeito conseguiu o repasse;

*A transferência do Pronto Socorro do Ruth Cardoso, que hoje estamos em uma área inadequada e vamos transferir para o espaço que já está pronto e isso está em andamento e em breve será entregue à comunidade;

*A implantação dos protocolos de saúde que são muito importantes para o direcionamento e padronização dos atendimentos aqui, estamos realizando um trabalho bem grande em conjunto com outras secretarias para que esse protocolo fale uma única língua, tanto nas equipes de enfermagem, médicas e equipe multiprofissional da secretaria da Saúde;

*Informatização de toda rede de saúde;

*Ambulância - mais uma será adquirida;

*Mutirões de cirurgia - Serão realizados através de credenciamento da nossa regulação para assim acabar com estas filas reprimidas de cirurgias de longos anos. É um trabalho que estamos desenvolvendo desde o ano passado;

*Samu na Rede 192 - Foi implantado, já fez a capacitação da secretaria de Segurança em atendimentos de urgência e emergência, também com a PM, Corpo de Bombeiros, estamos realizando essa capacitação nas unidades básicas e também no hospital;

*Novas equipes - Estamos implementando a equipe de Núcleo de Apoio à Saúde da Família, onde iremos implantar duas unidades e que fará um melhor atendimento à comunidade, com relação a atendimento especializado, psicólogo, assistente social; e também o Núcleo de Educação Permanente em Saúde, estamos realizando várias capacitações para nossos profissionais, com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados à usuários.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade