Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Entrevista
Tráfico, furto de bicicletas e área de invasão na mira do novo Comandante do PPT e da Agência de Inteligência

Ele destaca a importância da ‘sensação de segurança’

Sexta, 7/8/2020 9:48.
Divulgação
Tenente Daniel Duering

Publicidade

Vindo de Tijucas, o Tenente Daniel Duering, 33 anos, é o novo Comandante do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) e da Agência de Inteligência do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú. A posse vai acontecer nesta tarde. Ele tem sete anos de experiência na PM, sendo cinco em Santa Catarina e dois no Amazonas, onde morou oito anos. O Tenente também fez curso de Ações Táticas Especiais no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE). Ele conversou com o Página 3 sobre seus planos de combate ao crime na cidade. Confira.

Mudanças em Tijucas

O Tenente Duering comandava o PPT da PM de Tijucas desde 2018. Quando assumiu o cargo na cidade, encontrou um cenário bem diferente do atual. Apesar de pequena, com apenas 40 mil habitantes, Tijucas possuía um grande problema no Bairro Jardim Progresso, conhecido popularmente como ‘Sem Terra’. Lá o crime organizado atuava de forma intensa, inclusive com serviços públicos, como a Celesc, só conseguindo acessar o local com apoio da polícia.

“Várias viaturas foram atingidas com tiros, traficantes revistavam carros de visitas que os moradores iriam receber. Mudamos completamente essa realidade, com um enfrentamento muito forte. Quase 20 confrontos aconteceram lá de 2018 pra cá, conseguimos pacificar o local, a prefeitura também pavimentou as vias e melhorou a iluminação, que são pontos importantes”, conta.

Enfrentamento e trabalho integrado em Balneário

Em Balneário, Daniel analisa que há regiões que precisam de atenção, citando a localidade do Brejo (área da invasão mais conhecida como Vila Fortaleza, no Bairro São Judas Tadeu), que ‘precisa ser preenchida antes que alguém o faça’. Inicialmente, o plano é focar em um crime que incomoda bastante a população: os furtos de bicicleta.

“Há muitos registros em condomínios e precisamos amenizar esse problema. Vamos nos reunir com síndicos para combater”, diz.

O Tenente diz que, apesar da comunidade não sentir os efeitos diretos do tráfico de drogas, é um problema que também precisa ser resolvido, citando que os usuários de crack cometem furtos para sustentar seu vício.

“O crime organizado também será combatido, e sabemos que há ligação entre Balneário e Camboriú, há essa situação intermunicipal. Como tudo é muito perto, é comum acontecer roubo em Balneário com envolvimento de Camboriú. Faremos um trabalho integrado entre as duas cidades”, afirma.

“O efetivo precisa aparecer”, analisa Duering

A importância da ‘sensação de segurança’ foi destacada por Duering. Ele diz que o policial precisa ser visto.

“O efetivo precisa aparecer, isso inibe o crime. Se alguém quer cometer um furto e vê o policial por perto, desiste da ação. Vejo que a demonstração de força, seja da PM, Guarda Municipal, Polícia Civil, são bem importantes”, analisa.

Agência de Inteligência e investigações

Quanto a atuação da Agência de Inteligência, a PM atua na investigação logo após o acontecimento do crime. Daniel cita que, por exemplo, houve uma tentativa de roubo em uma farmácia e os policiais ficaram sabendo que acabou de ocorrer um crime contra um posto de combustíveis e que era o mesmo suspeito.

“Se conseguimos informações que levam até o ladrão, conseguimos fazer o flagrante, precisa ser logo após o crime. É o chamado ‘estado de flagrante’, mas é a Polícia Civil que investiga o caso mais profundamente, principalmente tentativas ou homicídios, e somos grandes parceiros, certamente trabalharemos juntos”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Tenente Daniel Duering
Tenente Daniel Duering

Tráfico, furto de bicicletas e área de invasão na mira do novo Comandante do PPT e da Agência de Inteligência

Ele destaca a importância da ‘sensação de segurança’

Publicidade

Sexta, 7/8/2020 9:48.

Vindo de Tijucas, o Tenente Daniel Duering, 33 anos, é o novo Comandante do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) e da Agência de Inteligência do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú. A posse vai acontecer nesta tarde. Ele tem sete anos de experiência na PM, sendo cinco em Santa Catarina e dois no Amazonas, onde morou oito anos. O Tenente também fez curso de Ações Táticas Especiais no Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE). Ele conversou com o Página 3 sobre seus planos de combate ao crime na cidade. Confira.

Mudanças em Tijucas

O Tenente Duering comandava o PPT da PM de Tijucas desde 2018. Quando assumiu o cargo na cidade, encontrou um cenário bem diferente do atual. Apesar de pequena, com apenas 40 mil habitantes, Tijucas possuía um grande problema no Bairro Jardim Progresso, conhecido popularmente como ‘Sem Terra’. Lá o crime organizado atuava de forma intensa, inclusive com serviços públicos, como a Celesc, só conseguindo acessar o local com apoio da polícia.

“Várias viaturas foram atingidas com tiros, traficantes revistavam carros de visitas que os moradores iriam receber. Mudamos completamente essa realidade, com um enfrentamento muito forte. Quase 20 confrontos aconteceram lá de 2018 pra cá, conseguimos pacificar o local, a prefeitura também pavimentou as vias e melhorou a iluminação, que são pontos importantes”, conta.

Enfrentamento e trabalho integrado em Balneário

Em Balneário, Daniel analisa que há regiões que precisam de atenção, citando a localidade do Brejo (área da invasão mais conhecida como Vila Fortaleza, no Bairro São Judas Tadeu), que ‘precisa ser preenchida antes que alguém o faça’. Inicialmente, o plano é focar em um crime que incomoda bastante a população: os furtos de bicicleta.

“Há muitos registros em condomínios e precisamos amenizar esse problema. Vamos nos reunir com síndicos para combater”, diz.

O Tenente diz que, apesar da comunidade não sentir os efeitos diretos do tráfico de drogas, é um problema que também precisa ser resolvido, citando que os usuários de crack cometem furtos para sustentar seu vício.

“O crime organizado também será combatido, e sabemos que há ligação entre Balneário e Camboriú, há essa situação intermunicipal. Como tudo é muito perto, é comum acontecer roubo em Balneário com envolvimento de Camboriú. Faremos um trabalho integrado entre as duas cidades”, afirma.

“O efetivo precisa aparecer”, analisa Duering

A importância da ‘sensação de segurança’ foi destacada por Duering. Ele diz que o policial precisa ser visto.

“O efetivo precisa aparecer, isso inibe o crime. Se alguém quer cometer um furto e vê o policial por perto, desiste da ação. Vejo que a demonstração de força, seja da PM, Guarda Municipal, Polícia Civil, são bem importantes”, analisa.

Agência de Inteligência e investigações

Quanto a atuação da Agência de Inteligência, a PM atua na investigação logo após o acontecimento do crime. Daniel cita que, por exemplo, houve uma tentativa de roubo em uma farmácia e os policiais ficaram sabendo que acabou de ocorrer um crime contra um posto de combustíveis e que era o mesmo suspeito.

“Se conseguimos informações que levam até o ladrão, conseguimos fazer o flagrante, precisa ser logo após o crime. É o chamado ‘estado de flagrante’, mas é a Polícia Civil que investiga o caso mais profundamente, principalmente tentativas ou homicídios, e somos grandes parceiros, certamente trabalharemos juntos”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade