Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Equilíbrio
Moradora de Balneário Camboriú completa 100 anos esbanjando vitalidade

Silvia participa de grupos de ginástica e lazer

Sexta, 22/6/2018 17:25.
Fotos Leticia Felix/ Insta vou_de foto
Silvia participa de grupos da terceira idade e tem rotina agitada

Publicidade

Por Daniele Sisnandes

Silvia da Silva Moura, moradora do Bairro das Nações há mais de três décadas, completa 100 anos de vida neste domingo (24). Cheia de vitalidade, com a rotina agitada, ela conta que o segredo é olhar em frente.

“O segredo é ter ânimo na vida, gostar das coisas que você faz, procurar amizades, não pensar no passado, viver no presente. O ruim você esquece e o bom você procura não esquecer. Tratar as pessoas com carinho, com alegria. Toda vida sou aberta, falo com todo mundo”, destaca.

Nascida em Rio Branco do Sul, no Paraná, Silvia se criou em Curitiba. “Fui para a escola quando eu quis, com 10 anos”. Ela conta que no 3º ano achou que estava moça e não precisava mais estudar e abandonou os estudos.

Foi então trabalhar e passou por algumas fábricas e outros empregos. Teve uma filha solteira, depois casou teve mais uma filha e ainda criou dois filhos do esposo, já falecido.

“Tenho uma família pequena mas muito querida”, pontua.

A família chegou em Balneário Camboriú em 1984 e se estabeleceu na Rua Uruguai, no Bairro das Nações, sua casa até hoje. Quando chegou aqui, foram os grupos da terceira idade que ajudaram dona Silvia a fazer amigos e ter uma vida bem ativa.

“Minha vida foi rolando sem pensar muito na idade e quando eu vi acabei chegando nos 100. Tudo que eu consegui de bom eu consegui aqui, grandes amizades. Aonde eu vou tenho um amigo, se for atravessar a rua agora tem um amigo que me ajuda”, contou.

Esbanjando saúde, ela revela que nunca teve doença grave. Mas “ultimamente andou caindo” e machucou a coluna, o que a deixou seis meses sem andar muito. A condição causou uma depressão grande e ela não queria ver ninguém. Disse que quando a neta Sarah saía para o trabalho fechava a casa e só reabria antes dela voltar. As coisas mudaram depois que a neta ajudou a buscar tratamento.

Mesmo quando fica gripada Silvia não se deixa abater. “Não me derruba, eu não deixo, não vou pra cama. Tento todo o possível pra não ir pra cama, só pra dormir mesmo”.

Hoje em dia ela tem ginástica com os grupos da terceira idade duas vezes por semana. A professora a busca na porta de casa porque não quer que Silvia deixe de participar. Nas terças costura com um grupo de senhoras na Igreja São Sebastião e às quintas participa de um grupo de lazer que se reúne para jogar bingo.

“Daqui pra frente vamos ver como vai correr, acho que não vou ter doença nenhuma que me prive”, compartilha.

O centenário já está sendo comemorado pelos amigos e familiares. Nesta sexta ela ganhou uma festa dos grupos de ginástica e no sábado (23) terá mais celebração na AABB do Bairro das Nações.

Para finalizar, Silvia deixa mais uma lição, de uma frase que gosta muito: “você não conta os anos com as folhas que caem, conta com as flores que brotam”.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Fotos Leticia Felix/ Insta vou_de foto
Silvia participa de grupos da terceira idade e tem rotina agitada
Silvia participa de grupos da terceira idade e tem rotina agitada

Moradora de Balneário Camboriú completa 100 anos esbanjando vitalidade

Silvia participa de grupos de ginástica e lazer

Publicidade

Sexta, 22/6/2018 17:25.

Por Daniele Sisnandes

Silvia da Silva Moura, moradora do Bairro das Nações há mais de três décadas, completa 100 anos de vida neste domingo (24). Cheia de vitalidade, com a rotina agitada, ela conta que o segredo é olhar em frente.

“O segredo é ter ânimo na vida, gostar das coisas que você faz, procurar amizades, não pensar no passado, viver no presente. O ruim você esquece e o bom você procura não esquecer. Tratar as pessoas com carinho, com alegria. Toda vida sou aberta, falo com todo mundo”, destaca.

Nascida em Rio Branco do Sul, no Paraná, Silvia se criou em Curitiba. “Fui para a escola quando eu quis, com 10 anos”. Ela conta que no 3º ano achou que estava moça e não precisava mais estudar e abandonou os estudos.

Foi então trabalhar e passou por algumas fábricas e outros empregos. Teve uma filha solteira, depois casou teve mais uma filha e ainda criou dois filhos do esposo, já falecido.

“Tenho uma família pequena mas muito querida”, pontua.

A família chegou em Balneário Camboriú em 1984 e se estabeleceu na Rua Uruguai, no Bairro das Nações, sua casa até hoje. Quando chegou aqui, foram os grupos da terceira idade que ajudaram dona Silvia a fazer amigos e ter uma vida bem ativa.

“Minha vida foi rolando sem pensar muito na idade e quando eu vi acabei chegando nos 100. Tudo que eu consegui de bom eu consegui aqui, grandes amizades. Aonde eu vou tenho um amigo, se for atravessar a rua agora tem um amigo que me ajuda”, contou.

Esbanjando saúde, ela revela que nunca teve doença grave. Mas “ultimamente andou caindo” e machucou a coluna, o que a deixou seis meses sem andar muito. A condição causou uma depressão grande e ela não queria ver ninguém. Disse que quando a neta Sarah saía para o trabalho fechava a casa e só reabria antes dela voltar. As coisas mudaram depois que a neta ajudou a buscar tratamento.

Mesmo quando fica gripada Silvia não se deixa abater. “Não me derruba, eu não deixo, não vou pra cama. Tento todo o possível pra não ir pra cama, só pra dormir mesmo”.

Hoje em dia ela tem ginástica com os grupos da terceira idade duas vezes por semana. A professora a busca na porta de casa porque não quer que Silvia deixe de participar. Nas terças costura com um grupo de senhoras na Igreja São Sebastião e às quintas participa de um grupo de lazer que se reúne para jogar bingo.

“Daqui pra frente vamos ver como vai correr, acho que não vou ter doença nenhuma que me prive”, compartilha.

O centenário já está sendo comemorado pelos amigos e familiares. Nesta sexta ela ganhou uma festa dos grupos de ginástica e no sábado (23) terá mais celebração na AABB do Bairro das Nações.

Para finalizar, Silvia deixa mais uma lição, de uma frase que gosta muito: “você não conta os anos com as folhas que caem, conta com as flores que brotam”.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade