- Publicidade -
- Publicidade -
19.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Federação Catarinense de Kung Fu realiza festival em Balneário Camboriú no sábado

Um festival de Kung Fu com competições, apresentações e seminários, concentrará cerca de 80 praticantes e lideranças, no ginásio Irineu Bornhausen neste sábado (2).

O evento promovido pela Federação de Kung Fu Wushu de Santa Catarina em parceria com a Team Sorin e apoio da FME BC, inicia às 8h30.

O lutador Lucas Sorín, da Team Sorín, disse que Balneário Camboriú, estará representado com 10 lutadores no Festival.

“Este será o penúltimo evento deste ano. O último será no dia 17 de dezembro, quando participaremos da  última edição do ano do Kung Fu Fight, em São Paulo”, disse.

- Publicidade -

Sonho adiado

(Divulgação)

Sorín que integrou a seleção brasileira de Sanda, no maior campeonato mundial de Kung Fu, realizado este mês, no Texas (EUA), disse que não conseguiu alcançar seu objetivo, mas a experiência foi importante para sua carreira e o sonho foi adiado até 2025, quando o Mundial será no Brasil. 

Este foi o 4º Campeonato Mundial que Lucas disputou e segundo ele, ‘o mais leve’.  

“Há três anos meu foco principal da carreira não é o Sanda e sim o MMA. O fato é que essa modalidade é a que mais amo e me sinto em casa competindo. Me mantive entre os cinco melhores do ranking e conquistei o direito de estar nesse Mundial e graças a FME BC pude ir aos EUA representar Balneário Camboriú e o Brasil no evento”, disse o lutador.

Os adversários foram escolhidos por sorteio e Lucas na primeira rodada,  enfrentou o chinês Wei Guo, que foi o campeão da modalidade.

“Infelizmente, o sorteio me colocou à frente da maior potência do esporte já na primeira rodada. Fiz um grande combate, talvez minha melhor luta em mundiais, porém, não foi o suficiente para vencer Wei Guo”, disse.

Lucas retornou dizendo que está feliz pelo seu desempenho, mas, insatisfeito pelo resultado. 

“Afinal, eu queria o pódio e sei que poderia chegar com um sorteio mais favorável, mas vou seguir me preparando porque em 2025 o Mundial será no Brasil, e está nos meus planos encerrar meu ciclo como atleta na Seleção Brasileira e disputar meu 5º Campeonato Mundial em casa e quem sabe enfim, realizar o sonho de estar no pódio mais importante do mundo no Sanda”, afirmou.

A seleção do Brasil foi desfalcada, alguns lutadores convocados não conseguiram o visto, como aconteceu com a atleta de Balneário Camboriú, Cláudia Kloh.

Os outros três integrantes do Sanda foram Edneia Prado (MS), eliminada pelo Líbano nas quartas de final; Gabriel Almeida (MT),  eliminado pelo Azerbaijão nas oitavas de final e Beatriz Silva (SP), vice campeã mundial na categoria 

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -