Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Figue fala sobre suas conquistas no Mundial de Surf

Quarta, 19/12/2018 9:26.

“Foi uma experiência incrível essa terceira participação no Mundial, representando minha cidade Balneário Camboriú e o país que amo tanto, apesar de todas as dificuldades”.

A declaração é do surfista Elias Figue Diel, de Balneário Camboriú, sobre suas conquistas no Mundial de Surf Adaptado, que terminou domingo (16), em San Diego: vice-campeão por equipes com a seleção brasileira e medalha de bronze na categoria para deficientes visuais,

Figue disse ao Página 3, antes de retornar a Balneário Camboriú, que está muito feliz com as conquistas, mas principalmente pela experiência que já se repete há três anos.

“Muito feliz por estar aqui compartilhando com gente do mundo inteiro, cada um com seus obstáculos, suas dificuldades, todo mundo se superando e pegando onda e se divertindo...a felicidade de todo mundo pegando onda com todas as dificuldades que tem, isso nos motiva a viver cada dia melhor, para dar mais valor à nossa vida e a tudo aquilo que a gente conquistou na vida. Esse lugar aqui também é muito lindo, San Diego é uma cidade privilegiada, tem muito equilibrio, muita educação, respeito pelo outro e estar aqui vivendo nesse Mundial é uma experêencia linda que levamos para toda vida. Agora volto feliz para casa, começar o ano, dando muita aula, cuidando da minha escola, pegando muita onda, familia, amigos, e já motivado para voltar ano que vem para buscar o primeiro lugar”, declarou o surfista.

Ele é bicampeão mundial por equipes com a seleção brasileira e conquistou duas pratas nos anos anteriores.

“Esse ano perdemos para os EUA, porque eles estavam com sua equipe completa e nós acabamos em segundo porque houveram faltas na equipe feminina, mesmo assim foi bem parelho, bem disputado, chegamos quase juntos”, disse.

Ele viajou com apoio da FMEBC, Santa Costa, Lora Surfboards, Hortelã Pimenta, Chiclete Trunk, Le Monde Turismo, Mormaii e Ashvatta Yoga. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Especial

Festival de música eletrônica reuniu milhares de pessoas na virada do ano, em Rio Negrinho


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Figue fala sobre suas conquistas no Mundial de Surf

Quarta, 19/12/2018 9:26.

“Foi uma experiência incrível essa terceira participação no Mundial, representando minha cidade Balneário Camboriú e o país que amo tanto, apesar de todas as dificuldades”.

A declaração é do surfista Elias Figue Diel, de Balneário Camboriú, sobre suas conquistas no Mundial de Surf Adaptado, que terminou domingo (16), em San Diego: vice-campeão por equipes com a seleção brasileira e medalha de bronze na categoria para deficientes visuais,

Figue disse ao Página 3, antes de retornar a Balneário Camboriú, que está muito feliz com as conquistas, mas principalmente pela experiência que já se repete há três anos.

“Muito feliz por estar aqui compartilhando com gente do mundo inteiro, cada um com seus obstáculos, suas dificuldades, todo mundo se superando e pegando onda e se divertindo...a felicidade de todo mundo pegando onda com todas as dificuldades que tem, isso nos motiva a viver cada dia melhor, para dar mais valor à nossa vida e a tudo aquilo que a gente conquistou na vida. Esse lugar aqui também é muito lindo, San Diego é uma cidade privilegiada, tem muito equilibrio, muita educação, respeito pelo outro e estar aqui vivendo nesse Mundial é uma experêencia linda que levamos para toda vida. Agora volto feliz para casa, começar o ano, dando muita aula, cuidando da minha escola, pegando muita onda, familia, amigos, e já motivado para voltar ano que vem para buscar o primeiro lugar”, declarou o surfista.

Ele é bicampeão mundial por equipes com a seleção brasileira e conquistou duas pratas nos anos anteriores.

“Esse ano perdemos para os EUA, porque eles estavam com sua equipe completa e nós acabamos em segundo porque houveram faltas na equipe feminina, mesmo assim foi bem parelho, bem disputado, chegamos quase juntos”, disse.

Ele viajou com apoio da FMEBC, Santa Costa, Lora Surfboards, Hortelã Pimenta, Chiclete Trunk, Le Monde Turismo, Mormaii e Ashvatta Yoga. 

Publicidade

Publicidade