Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Com golaço de Chará no fim, Atlético-MG derrota Vasco no Rio

Quinta, 2/5/2019 4:53.

Com golaço do atacante colombiano Chará aos 45 minutos do segundo tempo, o Atlético-MG venceu o Vasco por 2 a 1, em São Januário, e conquistou nesta quarta-feira sua segunda vitória em dois jogos no Campeonato Brasileiro. Elias fez o outro gol atleticano, em petardo de longe, enquanto Maxi López marcou para o clube cruzmaltino.

O Vasco chega à sua segunda derrota na competição nacional, intensificando má fase iniciada após duas derrotas por 2 a 0 para o Flamengo na final do Campeonato Carioca, o que custou o cargo do então técnico Alberto Valentim. Com o resultado desta quarta-feira, o time carioca momentaneamente cai para a lanterna do torneio nacional. Já o Atlético-MG assume provisoriamente a vice-liderança, atrás do São Paulo, também com seis pontos.

O triunfo mineiro também foi o primeiro do clube de Belo Horizonte na casa do adversário do Rio de Janeiro em mais de 17 anos. Os visitantes não venciam em São Januário desde 2002. Desde então, 10 confrontos antecederam o embate desta quarta-feira, com seis vitórias cruzmaltinas e quatro empates.

Na rodada anterior, o Atlético-MG venceu o Avaí por 2 a 1, no estádio Independência, na capital mineira, no sábado. Já o Vasco tomou goleada de 4 a 1 para o Athletico-PR, em Curitiba, no domingo. Nesta quarta, as equipes mantiveram o retrospecto da abertura do Brasileirão.

No começo da metade inicial, o Vasco tentou controlar mais a partida, aproveitando o mando de campo. Com Pikachu pela esquerda e Maxi López de volta ao comando de ataque, a equipe comandada por Marcos Valadares apostou nas bolas aéreas. Apesar da estatura do argentino, os mandantes não conseguiram levar perigo à meta defendida por Victor e sofreram com a falta de repertório ofensivo.

A criatividade também fez falta ao Atlético-MG. Com Luan mal pela faixa central do meio-campo, o time mineiro não ameaçou a baliza de Alexander, que substituiu o titular Fernando Miguel, machucado. Ainda assim, os visitantes equilibraram a partida, nivelada por baixo.

Durante todo o primeiro tempo, nenhuma chance clara de gol foi criada, exceto por chute de Yan Sasse de esquerda, em sobra de escanteio, aos 27 minutos. Espelhadas taticamente com a formação 4-2-3-1, os vice-campeões de seus estados se anularam, protagonizando jogo fraquíssimo até o intervalo.

Na volta para a etapa complementar, Rodrigo Santana sacou Luan para a entrada de Maicon Bolt. Valadares não fez substituições, mas criticou o desempenho de sua equipe. "Treinamos uma coisa e fizemos outra", disse o treinador, que comandava o sub-20 antes de receber voto de confiança da diretoria cruzmaltina.

Com as mexidas - e prováveis broncas no vestiário -, os times voltaram um pouco mais dispostos para o segundo tempo. Já no primeiro minuto, o Atlético assustou, ainda que aos trancos e barrancos: após cobrança de escanteio pela esquerda, Igor Rabello dividiu com Alexander e a bola saiu perto da trave direita do arqueiro vascaíno.

Logo após, anfitriões e visitantes arriscaram finalizações de longe, mas sem pontaria. O jogo continuou com baixo nível técnico, mas o ritmo melhorou, com mais velocidade de parte à parte. Principalmente do lado do Atlético, que tinha intensa movimentação no setor ofensivo com o trio formado por Bolt, Chará e Geuvânio logo atrás de Ricardo Oliveira.

Aos 13 minutos, a equipe mineira foi recompensada. Após cruzamento, a defesa vascaína rebateu e a bola sobrou para Elias, que também arriscou chute de longa distância. O volante, porém, foi muito mais competente: de primeira, ele pegou na veia, de direita, e mandou à esquerda de Alexander, que não teve chances.

Após inaugurar o marcador, o Atlético se impôs. O Vasco sentiu o gol e teve ainda mais dificuldades para marcar o rápido e fluido ataque atleticano. Aos 17, outra trama ofensiva perigosa dos visitantes: Geuvânio fez boa jogada individual pela direita e passou para Ricardo Oliveira, que invadiu a área pela direita e bateu cruzado para boa defesa de Alexander.

Nos minutos seguintes, o Vasco se recuperou do golpe e fechou a entrada da área. O custo foi a entrega da posse de bola para o adversário, que passou a controlar o jogo com mais facilidade.

Entretanto, no momento em que o Atlético tinha tudo para encaminhar a vitória com tranquilidade, sua defesa cochilou e permitiu o empate dos donos da casa. Aos 20, Pikachu chutou da entrada da área, a bola foi desviada e sobrou para Maxi López, livre na grande área, igualar o placar, chutando de esquerda, fora do alcance de Victor. O miolo de zaga atleticano cochilou e deixou o argentino desmarcado. Erro crasso.

Com o empate, o Vasco se animou e quase conseguiu a virada. Aos 23, Henrique foi lançado pela esquerda e bateu para grande defesa de Victor. No rebote, Maxi López foi providencialmente interceptado por Igor Rabello, que evitou o 2 a 1 vascaíno.

Após breve interrupção para atendimento ao goleiro atleticano, Valadares promoveu a primeira alteração no Vasco. Marrony saiu para a entrada de Valdivia, recém-contratado por empréstimo junto ao Internacional até o fim da temporada 2019. Segundos após iniciar sua estreia pelo novo clube, o ponta-esquerda já deu seu primeiro chute, para fora, após jogada atrapalhada de Maxi López dentro da grande área adversária.

Na segunda metade da etapa final, o Vasco controlava o jogo. Embalado pelo empate e pelas chances criadas logo após, o time da casa passava a bola com rapidez e dava trabalho à defesa adversária, exigida pela primeira vez na partida em São Januário

Na parte final do confronto, o Atlético-MG equilibrou as ações, arrefecendo a pressão vascaína e voltando a criar oportunidades. Aos 38, Nathan, que entrara três minutos antes na vaga de Geuvânio, chutou da entrada da área para boa defesa de Alexander

A recuperação dos visitantes foi coroada no último minuto do tempo regulamentar, Chará recebeu de Guga pela intermediária direita, driblou Valdivia e bateu colocado de canhota, sem chances para Alexander. Golaço do colombiano, decisivo para a vitória atleticana. Nos acréscimos, o Vasco até tentou ir para o 'abafa' em busca do empate, mas em vão. Placar final, 2 a 1 para o Atlético-MG.

Na próxima rodada, o Vasco joga contra o Corinthians, na Arena Amazônia, em Manaus. O cruzmaltino será o mandante no duelo do próximo sábado, às 19h. No mesmo dia, o Atlético-MG visita o Ceará, no Castelão, às 21h.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 1 x 2 ATLÉTICO-MG

VASCO - Alexander; Claudio Winck, Werley, Ricardo e Henrique; Fellipe Bastos (Andrey), Lucas Mineiro, Yago Pikachu, Lucas Santos, Yago Pikachu (Rossi), Yan Sasse e Marrony (Valdivia); Maxi López. Técnico: Marcos Valadares.

ATLÉTICO-MG - Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Jair), Elias, Geuvânio (Nathan), Luan (Maicon Bolt) e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana.

GOLS - Elias, aos 13, Maxi López, aos 20, e Chará, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO - Não houve.

ÁRBITRO - Raphael Claus (Fifa-SP).

RENDA - R$ 138.302,00.

PÚBLICO - 6.559 pagantes.

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Saúde

As vizinhas Itapema (185) e Camboriú (105) lideram a lista de doentes autóctones


Justiça

MP diz que aluguel de totens de segurança causou prejuízo ao erário


Geral

Evento será nessa sexta (24) e sábado (25)


Cultura

Livro “Camboriú e Balneário e Camboriú – a história das duas cidades” em nova versão


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Com golaço de Chará no fim, Atlético-MG derrota Vasco no Rio

Publicidade

Quinta, 2/5/2019 4:53.

Com golaço do atacante colombiano Chará aos 45 minutos do segundo tempo, o Atlético-MG venceu o Vasco por 2 a 1, em São Januário, e conquistou nesta quarta-feira sua segunda vitória em dois jogos no Campeonato Brasileiro. Elias fez o outro gol atleticano, em petardo de longe, enquanto Maxi López marcou para o clube cruzmaltino.

O Vasco chega à sua segunda derrota na competição nacional, intensificando má fase iniciada após duas derrotas por 2 a 0 para o Flamengo na final do Campeonato Carioca, o que custou o cargo do então técnico Alberto Valentim. Com o resultado desta quarta-feira, o time carioca momentaneamente cai para a lanterna do torneio nacional. Já o Atlético-MG assume provisoriamente a vice-liderança, atrás do São Paulo, também com seis pontos.

O triunfo mineiro também foi o primeiro do clube de Belo Horizonte na casa do adversário do Rio de Janeiro em mais de 17 anos. Os visitantes não venciam em São Januário desde 2002. Desde então, 10 confrontos antecederam o embate desta quarta-feira, com seis vitórias cruzmaltinas e quatro empates.

Na rodada anterior, o Atlético-MG venceu o Avaí por 2 a 1, no estádio Independência, na capital mineira, no sábado. Já o Vasco tomou goleada de 4 a 1 para o Athletico-PR, em Curitiba, no domingo. Nesta quarta, as equipes mantiveram o retrospecto da abertura do Brasileirão.

No começo da metade inicial, o Vasco tentou controlar mais a partida, aproveitando o mando de campo. Com Pikachu pela esquerda e Maxi López de volta ao comando de ataque, a equipe comandada por Marcos Valadares apostou nas bolas aéreas. Apesar da estatura do argentino, os mandantes não conseguiram levar perigo à meta defendida por Victor e sofreram com a falta de repertório ofensivo.

A criatividade também fez falta ao Atlético-MG. Com Luan mal pela faixa central do meio-campo, o time mineiro não ameaçou a baliza de Alexander, que substituiu o titular Fernando Miguel, machucado. Ainda assim, os visitantes equilibraram a partida, nivelada por baixo.

Durante todo o primeiro tempo, nenhuma chance clara de gol foi criada, exceto por chute de Yan Sasse de esquerda, em sobra de escanteio, aos 27 minutos. Espelhadas taticamente com a formação 4-2-3-1, os vice-campeões de seus estados se anularam, protagonizando jogo fraquíssimo até o intervalo.

Na volta para a etapa complementar, Rodrigo Santana sacou Luan para a entrada de Maicon Bolt. Valadares não fez substituições, mas criticou o desempenho de sua equipe. "Treinamos uma coisa e fizemos outra", disse o treinador, que comandava o sub-20 antes de receber voto de confiança da diretoria cruzmaltina.

Com as mexidas - e prováveis broncas no vestiário -, os times voltaram um pouco mais dispostos para o segundo tempo. Já no primeiro minuto, o Atlético assustou, ainda que aos trancos e barrancos: após cobrança de escanteio pela esquerda, Igor Rabello dividiu com Alexander e a bola saiu perto da trave direita do arqueiro vascaíno.

Logo após, anfitriões e visitantes arriscaram finalizações de longe, mas sem pontaria. O jogo continuou com baixo nível técnico, mas o ritmo melhorou, com mais velocidade de parte à parte. Principalmente do lado do Atlético, que tinha intensa movimentação no setor ofensivo com o trio formado por Bolt, Chará e Geuvânio logo atrás de Ricardo Oliveira.

Aos 13 minutos, a equipe mineira foi recompensada. Após cruzamento, a defesa vascaína rebateu e a bola sobrou para Elias, que também arriscou chute de longa distância. O volante, porém, foi muito mais competente: de primeira, ele pegou na veia, de direita, e mandou à esquerda de Alexander, que não teve chances.

Após inaugurar o marcador, o Atlético se impôs. O Vasco sentiu o gol e teve ainda mais dificuldades para marcar o rápido e fluido ataque atleticano. Aos 17, outra trama ofensiva perigosa dos visitantes: Geuvânio fez boa jogada individual pela direita e passou para Ricardo Oliveira, que invadiu a área pela direita e bateu cruzado para boa defesa de Alexander.

Nos minutos seguintes, o Vasco se recuperou do golpe e fechou a entrada da área. O custo foi a entrega da posse de bola para o adversário, que passou a controlar o jogo com mais facilidade.

Entretanto, no momento em que o Atlético tinha tudo para encaminhar a vitória com tranquilidade, sua defesa cochilou e permitiu o empate dos donos da casa. Aos 20, Pikachu chutou da entrada da área, a bola foi desviada e sobrou para Maxi López, livre na grande área, igualar o placar, chutando de esquerda, fora do alcance de Victor. O miolo de zaga atleticano cochilou e deixou o argentino desmarcado. Erro crasso.

Com o empate, o Vasco se animou e quase conseguiu a virada. Aos 23, Henrique foi lançado pela esquerda e bateu para grande defesa de Victor. No rebote, Maxi López foi providencialmente interceptado por Igor Rabello, que evitou o 2 a 1 vascaíno.

Após breve interrupção para atendimento ao goleiro atleticano, Valadares promoveu a primeira alteração no Vasco. Marrony saiu para a entrada de Valdivia, recém-contratado por empréstimo junto ao Internacional até o fim da temporada 2019. Segundos após iniciar sua estreia pelo novo clube, o ponta-esquerda já deu seu primeiro chute, para fora, após jogada atrapalhada de Maxi López dentro da grande área adversária.

Na segunda metade da etapa final, o Vasco controlava o jogo. Embalado pelo empate e pelas chances criadas logo após, o time da casa passava a bola com rapidez e dava trabalho à defesa adversária, exigida pela primeira vez na partida em São Januário

Na parte final do confronto, o Atlético-MG equilibrou as ações, arrefecendo a pressão vascaína e voltando a criar oportunidades. Aos 38, Nathan, que entrara três minutos antes na vaga de Geuvânio, chutou da entrada da área para boa defesa de Alexander

A recuperação dos visitantes foi coroada no último minuto do tempo regulamentar, Chará recebeu de Guga pela intermediária direita, driblou Valdivia e bateu colocado de canhota, sem chances para Alexander. Golaço do colombiano, decisivo para a vitória atleticana. Nos acréscimos, o Vasco até tentou ir para o 'abafa' em busca do empate, mas em vão. Placar final, 2 a 1 para o Atlético-MG.

Na próxima rodada, o Vasco joga contra o Corinthians, na Arena Amazônia, em Manaus. O cruzmaltino será o mandante no duelo do próximo sábado, às 19h. No mesmo dia, o Atlético-MG visita o Ceará, no Castelão, às 21h.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 1 x 2 ATLÉTICO-MG

VASCO - Alexander; Claudio Winck, Werley, Ricardo e Henrique; Fellipe Bastos (Andrey), Lucas Mineiro, Yago Pikachu, Lucas Santos, Yago Pikachu (Rossi), Yan Sasse e Marrony (Valdivia); Maxi López. Técnico: Marcos Valadares.

ATLÉTICO-MG - Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Jair), Elias, Geuvânio (Nathan), Luan (Maicon Bolt) e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana.

GOLS - Elias, aos 13, Maxi López, aos 20, e Chará, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO - Não houve.

ÁRBITRO - Raphael Claus (Fifa-SP).

RENDA - R$ 138.302,00.

PÚBLICO - 6.559 pagantes.

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade