Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Atlético-MG decepciona de novo, tem noite apagada e é derrotado no Uruguai

Quarta, 13/3/2019 5:12.

(UOL/FOLHAPRESS) - Pressionado por causa da derrota na estreia, o Atlético-MG foi ao Uruguai pela terceira vez nessa Libertadores, mas não voltou com um resultado positivo e amargou sua segunda derrota na chave, nesta terça (12), novamente por 1 a 0. Jogando contra o Nacional em Montevidéu, o Galo foi refém de um esquema defensivo e atacou pouquíssimas vezes. Mesmo tecnicamente inferior, o time adversário ganhou confiança e abriu o placar no segundo tempo, garantindo uma vitória importante e que deixa os mineiros ainda mais preocupados na competição.

Com o resultado, o clube mineiro segue zerado no Grupo E nos primeiros seis pontos disputados. O Nacional, por sua vez, vai aos seis pontos e permanece com 100% de aproveitamento. No outro jogo da chave, o Cerro Porteño, que tem três pontos, vai receber o Zamora às 19h15 de quinta-feira e pode complicar ainda mais a situação alvinegra se triunfar.

O MELHOR

Bergessio não teve tantas oportunidades, mas levou a melhor diante de Igor Rabello e fez o gol da vitória que colocou o Nacional com seis pontos e na liderança do grupo.

QUEM FOI MAL

Levir Culpi viu seu time perder em criatividade dentro de campo, com um ataque pouquíssimo eficiente. No segundo tempo, o time praticamente não atacou, e o treinador resolveu mexer apenas após Victor sofrer o gol.

ESQUEMA DEIXA ATLÉTICO AMARRADO

Não foi a primeira vez que o Atlético sofreu com a falta de repertório. Ao adotar o esquema com três volantes, Levir deixou o time mais seguro, mas perdeu no setor criativo. Cazares ficou sobrecarregado no meio, já que Luan e Elias demoravam demais para dar apoio a Ricardo Oliveira, deixando um espaço muito grande entre o meio e o ataque. O Galo ainda carimbou a trave em chute de Zé Welison, que fez boa partida. Porém, o time alvinegro fez pouco pela qualidade técnica que a equipe pode apresentar.

CLIMA ESQUENTA

Apesar de algumas chegadas mais fortes, a partida estava controlada pelo árbitro em campo. Até que Arzura deu um carrinho em Igor Rabello quando a bola já havia saído pela lateral. O zagueiro acabou deixando o pé no adversário antes de cair, dando início a um empurra empurra imediato entre vários jogadores. O árbitro precisou de alguns segundos para acalmar os ânimos e amarelou o defensor alvinegro.

ELIAS DISCUTE COM RICARDO OLIVEIRA

O lado esquerdo do Atlético praticamente não funcionou no primeiro tempo. Enquanto Luan chamou mais a responsabilidade na direita, Elias pouco apareceu no flanco oposto, o que ajuda a explicar a pouca eficiência do Galo. Sem conseguir se "conectar" com Ricardo Oliveira, o volante chegou a ter uma discussão de jogo com o atacante em um dos poucos momentos que os dois se aproximaram no gramado.

NACIONAL MUDA POSTURA, E ATLÉTICO SOFRE

Aproveitando que o Atlético não estava saindo bem para o jogo, o Nacional adiantou sua marcação e buscou ser mais intenso na partida, passando a incomodar mais a meta de Victor. Apesar de não conseguir criar chances muito perigosas, o time anfitrião foi ganhando confiança e só não marcava por incompetência técnica dos seus atletas. Por mais de 20 minutos, o Galo praticamente não atacou, e quando o fez, subiu desorganizado o com jogadores isolados. Aos 26 minutos do segundo tempo, o Nacional tanto martelou que acabou abrindo o placar. Patric deu espaço na direita, Viña cruzou na medida, e Bergessio subiu bem para marcar.

LEVIR DEMORA E SÓ MEXE APÓS GOL

Bastou o Atlético tomar o gol para Levir trocar a equipe. Para dar mais opções ofensivas, ele recorreu ao colombiano Chará. Na lateral, sacou Patric para a entrada do garoto Guga. Minutos depois, já era perceptível a melhora em campo, com o Galo levando perigo nos chutes de Ricardo Oliveira e Luan. Levir ainda foi para o tudo ou nada, tirou seu segundo volante e promoveu a entrada do jovem Alerrandro. Mas a melhora aconteceu tarde demais, o tempo já estava curto, e o Atlético amargou outra derrota na fase de grupos.

NACIONAL
Conde; Matías Zunino, Marcos Angeleri, Rafael García e Matías Viña; Joaquín Arzura, Gabriel Neves, Carballo e Santiago Rodríguez (Felipe Carvalho); Gonzalo Castro (Kevin Ramírez) e Bergessio (Sebastián Fernández). Técnico: Eduardo Domínguez

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric (Guga), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Alerrandro) e Jair (Chará); Luan, Cazares e Elias; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi...

Estádio: Gran Parque Central, em Montevidéu (URU)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Alejandro Molina (CHI)
Gol: Bergessio, aos 26min do 2º tempo
Cartões amarelos: Matías Viña e Marcos Angeleri (NAC); Igor Rabello, Zé Welison e Ricardo Oliveira (CAM). 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Cultura

 Programação inicia no dia 22 de maio com concerto de piano à quatro mãos


Cidade

Agora o município tem duas datas para festejar: 26 de abril e 20 de julho


Política

"Indesejáveis" como a Parada da Diversidade seriam mandados para a Quarta Avenida


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Atlético-MG decepciona de novo, tem noite apagada e é derrotado no Uruguai

Publicidade

Quarta, 13/3/2019 5:12.

(UOL/FOLHAPRESS) - Pressionado por causa da derrota na estreia, o Atlético-MG foi ao Uruguai pela terceira vez nessa Libertadores, mas não voltou com um resultado positivo e amargou sua segunda derrota na chave, nesta terça (12), novamente por 1 a 0. Jogando contra o Nacional em Montevidéu, o Galo foi refém de um esquema defensivo e atacou pouquíssimas vezes. Mesmo tecnicamente inferior, o time adversário ganhou confiança e abriu o placar no segundo tempo, garantindo uma vitória importante e que deixa os mineiros ainda mais preocupados na competição.

Com o resultado, o clube mineiro segue zerado no Grupo E nos primeiros seis pontos disputados. O Nacional, por sua vez, vai aos seis pontos e permanece com 100% de aproveitamento. No outro jogo da chave, o Cerro Porteño, que tem três pontos, vai receber o Zamora às 19h15 de quinta-feira e pode complicar ainda mais a situação alvinegra se triunfar.

O MELHOR

Bergessio não teve tantas oportunidades, mas levou a melhor diante de Igor Rabello e fez o gol da vitória que colocou o Nacional com seis pontos e na liderança do grupo.

QUEM FOI MAL

Levir Culpi viu seu time perder em criatividade dentro de campo, com um ataque pouquíssimo eficiente. No segundo tempo, o time praticamente não atacou, e o treinador resolveu mexer apenas após Victor sofrer o gol.

ESQUEMA DEIXA ATLÉTICO AMARRADO

Não foi a primeira vez que o Atlético sofreu com a falta de repertório. Ao adotar o esquema com três volantes, Levir deixou o time mais seguro, mas perdeu no setor criativo. Cazares ficou sobrecarregado no meio, já que Luan e Elias demoravam demais para dar apoio a Ricardo Oliveira, deixando um espaço muito grande entre o meio e o ataque. O Galo ainda carimbou a trave em chute de Zé Welison, que fez boa partida. Porém, o time alvinegro fez pouco pela qualidade técnica que a equipe pode apresentar.

CLIMA ESQUENTA

Apesar de algumas chegadas mais fortes, a partida estava controlada pelo árbitro em campo. Até que Arzura deu um carrinho em Igor Rabello quando a bola já havia saído pela lateral. O zagueiro acabou deixando o pé no adversário antes de cair, dando início a um empurra empurra imediato entre vários jogadores. O árbitro precisou de alguns segundos para acalmar os ânimos e amarelou o defensor alvinegro.

ELIAS DISCUTE COM RICARDO OLIVEIRA

O lado esquerdo do Atlético praticamente não funcionou no primeiro tempo. Enquanto Luan chamou mais a responsabilidade na direita, Elias pouco apareceu no flanco oposto, o que ajuda a explicar a pouca eficiência do Galo. Sem conseguir se "conectar" com Ricardo Oliveira, o volante chegou a ter uma discussão de jogo com o atacante em um dos poucos momentos que os dois se aproximaram no gramado.

NACIONAL MUDA POSTURA, E ATLÉTICO SOFRE

Aproveitando que o Atlético não estava saindo bem para o jogo, o Nacional adiantou sua marcação e buscou ser mais intenso na partida, passando a incomodar mais a meta de Victor. Apesar de não conseguir criar chances muito perigosas, o time anfitrião foi ganhando confiança e só não marcava por incompetência técnica dos seus atletas. Por mais de 20 minutos, o Galo praticamente não atacou, e quando o fez, subiu desorganizado o com jogadores isolados. Aos 26 minutos do segundo tempo, o Nacional tanto martelou que acabou abrindo o placar. Patric deu espaço na direita, Viña cruzou na medida, e Bergessio subiu bem para marcar.

LEVIR DEMORA E SÓ MEXE APÓS GOL

Bastou o Atlético tomar o gol para Levir trocar a equipe. Para dar mais opções ofensivas, ele recorreu ao colombiano Chará. Na lateral, sacou Patric para a entrada do garoto Guga. Minutos depois, já era perceptível a melhora em campo, com o Galo levando perigo nos chutes de Ricardo Oliveira e Luan. Levir ainda foi para o tudo ou nada, tirou seu segundo volante e promoveu a entrada do jovem Alerrandro. Mas a melhora aconteceu tarde demais, o tempo já estava curto, e o Atlético amargou outra derrota na fase de grupos.

NACIONAL
Conde; Matías Zunino, Marcos Angeleri, Rafael García e Matías Viña; Joaquín Arzura, Gabriel Neves, Carballo e Santiago Rodríguez (Felipe Carvalho); Gonzalo Castro (Kevin Ramírez) e Bergessio (Sebastián Fernández). Técnico: Eduardo Domínguez

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric (Guga), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Alerrandro) e Jair (Chará); Luan, Cazares e Elias; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi...

Estádio: Gran Parque Central, em Montevidéu (URU)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Alejandro Molina (CHI)
Gol: Bergessio, aos 26min do 2º tempo
Cartões amarelos: Matías Viña e Marcos Angeleri (NAC); Igor Rabello, Zé Welison e Ricardo Oliveira (CAM). 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade