Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Atleta de Balneário Camboriú foi destaque na Ilha da Luta em Abu Dhabi

Sexta, 17/7/2020 14:41.
Arquivo Pessoal
Taila com os treinadores Marcelo Zulu (E) e Marcelo Brigadeiro.

Publicidade

A lutadora Taila dos Santos, 27 anos, da Astra Fight Team, de Balneário Camboriú, conquistou sua primeira vitória no Ultimate Fighting Championship (UFC), nesta quarta-feira (15), ao derrotar Molly McCann na categoria peso-mosca (57kg), na Ilha da Luta, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes. Foi uma vitória por decisão unânime, ela venceu todos os rounds e atribuiu essa conquista ao seu preparo. A equipe da Astra representa oficialmente o município de Balneário Camboriú.

O retorno da atleta ao Brasil está marcado para domingo (19), mas a chegada em Balneário Camboriú está prevista somente para terça-feira (21), em função dos controles nos aeroportos por causa da pandemia.

Para o Página3, Taila disse que assim que retornar, retomará os treinos e ficará aguardando o UFC marcar sua próxima luta, ainda sem data anunciada. Confira a entrevista:

JP3 - Um histórico da sua carreira, quando iniciou, onde treina, principais conquistas.

Taila - Sou natural de Jaraguá do Sul. Há 8 anos me mudei para Balneário Camboriú para treinar na Astra Fight Team do mestre Marcelo Brigadeiro. Comecei a treinar aos 9 anos com meu pai. Iniciei no Muay Thai e hoje sou lutadora do maior evento do mundo com um recorde de 17 vitórias e uma derrota.

P - Esta é a segunda luta no UFC. Como se preparou e o que mudou da primeira participação?

R - A Astra me dá todo suporte que preciso, a única diferença de treinamento de uma luta para outra, é que quando chega próximo da luta, tipo duas, três semanas, a gente foca numa estratégia específica para a adversária em questão.

P - Um comentário sobre a adversária e a sua atuação para ganhar por unanimidade está luta?

R - Ela é uma lutadora muito boa, muito rápido e com grande volume de golpes. Mas eu estava preparada e motivada, consegui impor meu jogo e acabei vencendo bem todos os rounds da luta.

O que representa uma vitória como esta em sua carreira?

Vencer uma atleta ranqueada que vinha de uma bela série de vitórias mostra que não estou aqui como aventureira, vim pra ficar.

Lutar sem público, por conta da pandemia, é uma experiência inédita também.

Lutar sem público não me atrapalhou em nada, parecia um treino na academia hehehe!

O que vem agora?

Estou bem e pronta pra mais uma, vamos aguardar o UFC marcar minha próxima luta.

O esporte sempre tem dificuldade de patrocínios, apoios, como foi para disputar esse UFC?

Infelizmente o apoio ao esporte no Brasil é muito raro. Tenho amigos que me ajudam, parcerias etc, que consegui numa correria para ao menos conseguir cumprir minha grade de treino. Estou em busca de mais patrocínios para poder me dedicar exclusivamente à minha carreira de atleta.

Quando chegou a Abu Dhabi?

Devido à pandemia, essa viagem foi completamente fora dos padrões. Seguimos um protocolo impecável para evitar qualquer chance de contaminação com o Covid. Chegamos aqui no dia 3 e só vamos embora dia 19. Até agora fizemos 6 testes de Covid e ainda faltam mais 2.

Quando retornará a BC?

Saio daqui dia 19, chego no Brasil dia 20 mas faremos teste de Covid em São Paulo, por isso nosso voo de volta pra Santa Catarina está marcado para dia 21.

Opinião dos técnicos sobre esta conquista.

Me elogiaram pelo resultado, mas disseram que dia 22 já tem treino (risos).

Como foram os treinos em tempos de pandemia?

Tivemos que selecionar um pequeno grupo para me ajudar onde todos tomaram todas as precauções possíveis contra o vírus.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Arquivo Pessoal
Taila com os treinadores Marcelo Zulu (E) e  Marcelo Brigadeiro.
Taila com os treinadores Marcelo Zulu (E) e Marcelo Brigadeiro.

Atleta de Balneário Camboriú foi destaque na Ilha da Luta em Abu Dhabi

Publicidade

Sexta, 17/7/2020 14:41.

A lutadora Taila dos Santos, 27 anos, da Astra Fight Team, de Balneário Camboriú, conquistou sua primeira vitória no Ultimate Fighting Championship (UFC), nesta quarta-feira (15), ao derrotar Molly McCann na categoria peso-mosca (57kg), na Ilha da Luta, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes. Foi uma vitória por decisão unânime, ela venceu todos os rounds e atribuiu essa conquista ao seu preparo. A equipe da Astra representa oficialmente o município de Balneário Camboriú.

O retorno da atleta ao Brasil está marcado para domingo (19), mas a chegada em Balneário Camboriú está prevista somente para terça-feira (21), em função dos controles nos aeroportos por causa da pandemia.

Para o Página3, Taila disse que assim que retornar, retomará os treinos e ficará aguardando o UFC marcar sua próxima luta, ainda sem data anunciada. Confira a entrevista:

JP3 - Um histórico da sua carreira, quando iniciou, onde treina, principais conquistas.

Taila - Sou natural de Jaraguá do Sul. Há 8 anos me mudei para Balneário Camboriú para treinar na Astra Fight Team do mestre Marcelo Brigadeiro. Comecei a treinar aos 9 anos com meu pai. Iniciei no Muay Thai e hoje sou lutadora do maior evento do mundo com um recorde de 17 vitórias e uma derrota.

P - Esta é a segunda luta no UFC. Como se preparou e o que mudou da primeira participação?

R - A Astra me dá todo suporte que preciso, a única diferença de treinamento de uma luta para outra, é que quando chega próximo da luta, tipo duas, três semanas, a gente foca numa estratégia específica para a adversária em questão.

P - Um comentário sobre a adversária e a sua atuação para ganhar por unanimidade está luta?

R - Ela é uma lutadora muito boa, muito rápido e com grande volume de golpes. Mas eu estava preparada e motivada, consegui impor meu jogo e acabei vencendo bem todos os rounds da luta.

O que representa uma vitória como esta em sua carreira?

Vencer uma atleta ranqueada que vinha de uma bela série de vitórias mostra que não estou aqui como aventureira, vim pra ficar.

Lutar sem público, por conta da pandemia, é uma experiência inédita também.

Lutar sem público não me atrapalhou em nada, parecia um treino na academia hehehe!

O que vem agora?

Estou bem e pronta pra mais uma, vamos aguardar o UFC marcar minha próxima luta.

O esporte sempre tem dificuldade de patrocínios, apoios, como foi para disputar esse UFC?

Infelizmente o apoio ao esporte no Brasil é muito raro. Tenho amigos que me ajudam, parcerias etc, que consegui numa correria para ao menos conseguir cumprir minha grade de treino. Estou em busca de mais patrocínios para poder me dedicar exclusivamente à minha carreira de atleta.

Quando chegou a Abu Dhabi?

Devido à pandemia, essa viagem foi completamente fora dos padrões. Seguimos um protocolo impecável para evitar qualquer chance de contaminação com o Covid. Chegamos aqui no dia 3 e só vamos embora dia 19. Até agora fizemos 6 testes de Covid e ainda faltam mais 2.

Quando retornará a BC?

Saio daqui dia 19, chego no Brasil dia 20 mas faremos teste de Covid em São Paulo, por isso nosso voo de volta pra Santa Catarina está marcado para dia 21.

Opinião dos técnicos sobre esta conquista.

Me elogiaram pelo resultado, mas disseram que dia 22 já tem treino (risos).

Como foram os treinos em tempos de pandemia?

Tivemos que selecionar um pequeno grupo para me ajudar onde todos tomaram todas as precauções possíveis contra o vírus.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade