Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Com três gols de Gabriel, time misto do Flamengo goleia a Cabofriense

Domingo, 1/3/2020 5:33.

Publicidade

O Flamengo escalou apenas dois titulares para enfrentar a Cabofriense, no Maracanã, neste sábado. E foi o suficiente, até porque um deles, Gabriel, decidiu o jogo. O artilheiro marcou três gols na vitória por 4 a 1 dos rubro-negros sobre a equipe de Cabo Frio, na rodada de abertura da Taça Rio - segundo turno do Campeonato Carioca.

Vencedor da Taça Guanabara (primeiro turno), o Flamengo será campeão estadual sem a necessidade de uma decisão caso também conquiste a Taça Rio - a menos que um outro clube tenha mais pontos na soma dos dois turnos, o que é bem pouco provável.

Mesmo diante de um Flamengo que tinha Gabriel e Willian Arão como seus únicos titulares em campo, a Cabofriense pisou no gramado do Maracanã para se defender. A ideia era fazer o ataque rubro-negro se chocar contra um muro, mas não demorou para aparecer um buraco nele. O time de Cabo Frio (que foi mandante no Maracanã) perdeu a bola no meio do campo, aos 12 minutos, e o ataque flamenguista avançou em alta velocidade. Pedro Rocha lançou Gabriel e o goleador deixou Michael com o gol aberto, bastando empurrar a bola para a rede. Foi o primeiro tento do ex-jogador do Goiás em seu novo clube.

A Cabofriense foi valente e não desmoronou após levar o gol. Tanto que empatou a partida ainda na primeira etapa, aos 23 minutos, com um chute de fora da área de Gama.

O Flamengo, porém, era o dono do jogo e foi só por detalhes que não marcou mais gols no primeiro tempo. Mas a Cabofriense sabia que seria difícil suportar a pressão até o fim da partida, até porque Gabriel estava com fome de gol. E foram três na etapa final: aos 18, após receber um bom passe de Michael; aos 31, depois de uma ótima trama que envolveu Michael e Diego; e aos 43, com um belíssimo chute de fora da área.

O atacante revelado pelo Santos assumiu a artilharia do Carioca, com sete gols, um a mais do que João Carlos, do Volta Redonda. Nada mal para quem não participou das primeiras rodadas da competição porque ainda estava de férias. Gabriel foi o principal goleador das duas últimas edições do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores do ano passado.

Para sorte da Cabofriense, havia pouco tempo para o atacante buscar mais gols e o jogo terminou "apenas" 4 a 1. A equipe de Cabo Frio chegou a sonhar com um bom resultado no Maracanã, já que estava diante de um time praticamente reserva, mas acabou se tornando mais uma vítima da máquina de ganhar em que se transformou o Flamengo.

FICHA TÉCNICA

CABOFRIENSE 1 X 4 FLAMENGO

CABOFRIENSE - George; Victor Souza (Magno), Lucas Cunha, Gerson Galdino e Guilherme; Victor Feitosa, Gama, Léo Aquino (Marcus Índio) e Pedrinho Menezes (Rafael Pernão); Rincón e Felipe Adão. Técnico: Luciano Quadros.

FLAMENGO - César; João Lucas (Berrío), Thuler, Matheus Dantas (Thiago Maia) e Renê; Willian Arão, Diego e Vitinho; Pedro Rocha (Pedro), Gabriel e Michael. Técnico: Jorge Jesus.

GOLS - Michael, aos 12, e Gama, aos 23 minutos do primeiro tempo; Gabriel, aos 18, aos 31 e aos 43 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO - Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

CARTÕES AMARELOS - Victor Souza e Victor Feitosa (Cabofriense); Thuler, Renê e Pedro (Flamengo).

RENDA - R$ 721.609,50.

PÚBLICO - 28.464 presentes (26.238 pagantes).

LOCAL - Estádio Maracanã, no Rio (RJ).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Com três gols de Gabriel, time misto do Flamengo goleia a Cabofriense

Publicidade

Domingo, 1/3/2020 5:33.

O Flamengo escalou apenas dois titulares para enfrentar a Cabofriense, no Maracanã, neste sábado. E foi o suficiente, até porque um deles, Gabriel, decidiu o jogo. O artilheiro marcou três gols na vitória por 4 a 1 dos rubro-negros sobre a equipe de Cabo Frio, na rodada de abertura da Taça Rio - segundo turno do Campeonato Carioca.

Vencedor da Taça Guanabara (primeiro turno), o Flamengo será campeão estadual sem a necessidade de uma decisão caso também conquiste a Taça Rio - a menos que um outro clube tenha mais pontos na soma dos dois turnos, o que é bem pouco provável.

Mesmo diante de um Flamengo que tinha Gabriel e Willian Arão como seus únicos titulares em campo, a Cabofriense pisou no gramado do Maracanã para se defender. A ideia era fazer o ataque rubro-negro se chocar contra um muro, mas não demorou para aparecer um buraco nele. O time de Cabo Frio (que foi mandante no Maracanã) perdeu a bola no meio do campo, aos 12 minutos, e o ataque flamenguista avançou em alta velocidade. Pedro Rocha lançou Gabriel e o goleador deixou Michael com o gol aberto, bastando empurrar a bola para a rede. Foi o primeiro tento do ex-jogador do Goiás em seu novo clube.

A Cabofriense foi valente e não desmoronou após levar o gol. Tanto que empatou a partida ainda na primeira etapa, aos 23 minutos, com um chute de fora da área de Gama.

O Flamengo, porém, era o dono do jogo e foi só por detalhes que não marcou mais gols no primeiro tempo. Mas a Cabofriense sabia que seria difícil suportar a pressão até o fim da partida, até porque Gabriel estava com fome de gol. E foram três na etapa final: aos 18, após receber um bom passe de Michael; aos 31, depois de uma ótima trama que envolveu Michael e Diego; e aos 43, com um belíssimo chute de fora da área.

O atacante revelado pelo Santos assumiu a artilharia do Carioca, com sete gols, um a mais do que João Carlos, do Volta Redonda. Nada mal para quem não participou das primeiras rodadas da competição porque ainda estava de férias. Gabriel foi o principal goleador das duas últimas edições do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores do ano passado.

Para sorte da Cabofriense, havia pouco tempo para o atacante buscar mais gols e o jogo terminou "apenas" 4 a 1. A equipe de Cabo Frio chegou a sonhar com um bom resultado no Maracanã, já que estava diante de um time praticamente reserva, mas acabou se tornando mais uma vítima da máquina de ganhar em que se transformou o Flamengo.

FICHA TÉCNICA

CABOFRIENSE 1 X 4 FLAMENGO

CABOFRIENSE - George; Victor Souza (Magno), Lucas Cunha, Gerson Galdino e Guilherme; Victor Feitosa, Gama, Léo Aquino (Marcus Índio) e Pedrinho Menezes (Rafael Pernão); Rincón e Felipe Adão. Técnico: Luciano Quadros.

FLAMENGO - César; João Lucas (Berrío), Thuler, Matheus Dantas (Thiago Maia) e Renê; Willian Arão, Diego e Vitinho; Pedro Rocha (Pedro), Gabriel e Michael. Técnico: Jorge Jesus.

GOLS - Michael, aos 12, e Gama, aos 23 minutos do primeiro tempo; Gabriel, aos 18, aos 31 e aos 43 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO - Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

CARTÕES AMARELOS - Victor Souza e Victor Feitosa (Cabofriense); Thuler, Renê e Pedro (Flamengo).

RENDA - R$ 721.609,50.

PÚBLICO - 28.464 presentes (26.238 pagantes).

LOCAL - Estádio Maracanã, no Rio (RJ).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade