Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
São Paulo se desgasta na altitude e leva virada do Binacional na Libertadores

Sexta, 6/3/2020 6:34.

Publicidade

Guilherme Amaro
O São Paulo desperdiçou chances, cansou na altitude de 3 825 metros acima do mar da cidade de Juliaca e levou a virada do Binacional pela estreia da Copa Libertadores da América. A equipe tricolor saiu na frente, com Alexandre Pato, e desperdiçou duas chances claras. Porém, foi dominada na etapa final e sofreu dois gols.

O São Paulo surpreendeu no primeiro tempo. Com uma postura ofensiva, nem parecia que o time era o visitante no acanhado Estádio Guillermo Briceño. O ataque tricolor envolveu o Binacional com facilidade. Alexandre Pato marcou aos 20 minutos, após boa jogada envolvendo Daniel Alves e Pablo. Na sequência, Antony e Pablo perderam oportunidades claras para ampliar.

O Binacional praticamente não atacou no primeiro tempo, mas chegou ao empate logo aos quatro minutos da etapa final. Rodríguez recebeu pelo lado esquerdo da área e chutou cruzado, entre as pernas de Tiago Volpi. Como costuma dizer Muricy Ramalho, ex-técnico do São Paulo e hoje comentarista, a bola pune.

Com o passar do tempo, os jogadores do São Paulo começaram a demonstrar cansaço provavelmente por causa da altitude de Juliaca. A equipe ficou recuada e não mostrou forças para contra-atacar. E a punição ficou ainda pior aos 32, com o gol da virada marcado por Arango.

O segundo gol do Binacional, aliás, resume bem a péssima etapa complementar do São Paulo. Arango recebeu na entrada da área e teve tempo suficiente para ajeitar até chutar no canto de Tiago Volpi. Os jogadores brasileiros apenas observaram o adversário, trotando em campo.

Antes do gol, o Binacional ficava com a bola, mas não mostrava qualidade técnica para criar boas chances. Pela atuação nesta quinta-feira, é improvável pensar que o time peruano vai se classificar no grupo que ainda conta com a equatoriana LDU e o argentino River Plate. Teoricamente favoritos, São Paulo e River perderam na estreia e já ligam o sinal de alerta.

FICHA TÉCNICA

BINACIONAL 2 X 1 SÃO PAULO

BINACIONAL - Raúl Fernández, Ángel Pérez, John Fajardo, Eder Fernández e Reyes; ello e Ojeda (Guachire); Leudo, Arango e Manco (Polar); Rodríguez (Zeta). Técnico: Flabio Torres.

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Igor Vinícius, Bruno Alves (Hernanes), Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony, Alexandre Pato (Toró) e Pablo (Liziero). Técnico: Márcio Araújo (auxiliar).

GOLS - Alexandre Pato, aos 20 minutos do primeiro tempo; Rodríguez, aos 4 minutos do segundo tempo; Arango, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - José Méndez (PAR).

CARTÕES AMARELOS - Daniel Alves e Igor Vinícius; Guachire

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Guillermo Briceño.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

São Paulo se desgasta na altitude e leva virada do Binacional na Libertadores

Publicidade

Sexta, 6/3/2020 6:34.

Guilherme Amaro
O São Paulo desperdiçou chances, cansou na altitude de 3 825 metros acima do mar da cidade de Juliaca e levou a virada do Binacional pela estreia da Copa Libertadores da América. A equipe tricolor saiu na frente, com Alexandre Pato, e desperdiçou duas chances claras. Porém, foi dominada na etapa final e sofreu dois gols.

O São Paulo surpreendeu no primeiro tempo. Com uma postura ofensiva, nem parecia que o time era o visitante no acanhado Estádio Guillermo Briceño. O ataque tricolor envolveu o Binacional com facilidade. Alexandre Pato marcou aos 20 minutos, após boa jogada envolvendo Daniel Alves e Pablo. Na sequência, Antony e Pablo perderam oportunidades claras para ampliar.

O Binacional praticamente não atacou no primeiro tempo, mas chegou ao empate logo aos quatro minutos da etapa final. Rodríguez recebeu pelo lado esquerdo da área e chutou cruzado, entre as pernas de Tiago Volpi. Como costuma dizer Muricy Ramalho, ex-técnico do São Paulo e hoje comentarista, a bola pune.

Com o passar do tempo, os jogadores do São Paulo começaram a demonstrar cansaço provavelmente por causa da altitude de Juliaca. A equipe ficou recuada e não mostrou forças para contra-atacar. E a punição ficou ainda pior aos 32, com o gol da virada marcado por Arango.

O segundo gol do Binacional, aliás, resume bem a péssima etapa complementar do São Paulo. Arango recebeu na entrada da área e teve tempo suficiente para ajeitar até chutar no canto de Tiago Volpi. Os jogadores brasileiros apenas observaram o adversário, trotando em campo.

Antes do gol, o Binacional ficava com a bola, mas não mostrava qualidade técnica para criar boas chances. Pela atuação nesta quinta-feira, é improvável pensar que o time peruano vai se classificar no grupo que ainda conta com a equatoriana LDU e o argentino River Plate. Teoricamente favoritos, São Paulo e River perderam na estreia e já ligam o sinal de alerta.

FICHA TÉCNICA

BINACIONAL 2 X 1 SÃO PAULO

BINACIONAL - Raúl Fernández, Ángel Pérez, John Fajardo, Eder Fernández e Reyes; ello e Ojeda (Guachire); Leudo, Arango e Manco (Polar); Rodríguez (Zeta). Técnico: Flabio Torres.

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Igor Vinícius, Bruno Alves (Hernanes), Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony, Alexandre Pato (Toró) e Pablo (Liziero). Técnico: Márcio Araújo (auxiliar).

GOLS - Alexandre Pato, aos 20 minutos do primeiro tempo; Rodríguez, aos 4 minutos do segundo tempo; Arango, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - José Méndez (PAR).

CARTÕES AMARELOS - Daniel Alves e Igor Vinícius; Guachire

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Guillermo Briceño.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade