Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Esporte
Paratleta Carlão representa Balneário Camboriú na Travessia de Bombinhas

Sexta, 25/9/2020 18:37.

Publicidade

O paratleta Carlos Eugênio bastos Ramos (Carlão), 52 anos, representará Balneário Camboriú, na Travessia de Bombinhas, neste sábado (26). Ele é integrante do Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED) e compete com apoio da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC).

Carlão é amputado dos membros inferiores. A amputação da perna direita aos 15 anos, quando sofreu um acidente de moto e em 2011, por problemas de circulação, teve que amputar a perna esquerda.

Há 10 anos, amputado da perna direita, ele disputou pela primeira vez a Travessia de Bombinhas. mas por problemas de saúde ficou afastado dos esportes até final de 2019.

“Este ano voltei para disputar o Circuito Capixaba de Travessias, onde teria que nadar pelo menos quatro das cinco etapas. Nadei a primeira etapa, e infelizmente por causa da pandemia, não teve as outras”, disse Carlão.

A oportunidade de voltar a competir em Bombinhas trouxe expectativa e uma mistura de alegria e tristeza para Carlão.

Neste Circuito de desafios, cada nadador escolhe um percurso (2.000m., 4.000m., 5.000m., 6.000m., 8.000m. e 21.000m). Carlão agendou as provas de 4.000, 5.000 e 6.000m. Faz a prova e a comissão registra os tempos, que definirão quem serão os vencedores de cada desafio.

“É um desafio que vai valer. Eu gosto do circuito pela beleza das praias de Zimbros, Bombinhas, Sepultura, que atraem muita gente. Pelo agendamento já tem gente do Rio, Rio Grande do Sul, Paraná, além dos catarinenses, é portanto um circuito nacional. Para mim, é um sentimento de tristeza por tudo que está acontecendo no mundo por causa da pandemia e misturado com uma sensação de muita alegria por ainda nesse ano tão confuso e triste poder fazer uma prova como esta, depois de 10 anos volto ao circuito de Bombinhas e agora sem as duas pernas. Muito feliz também por representar pela primeira vez a cidade de Balneário Camboriú, o ICED e a FMEBC”, disse Carlão.

A técnica Gevelyn de Almeida, do ICED e da Fundação, disse que Carlão vem treinando diariamente em piscina para esta prova, mas logo vai começar a treinar no mar também.

“Ele contará com apoio para as próximas travessias da Escola de Surf de Balneário Camboriú e a Fundação vai disponibilizar a cadeira anfíbia para ele treinar no mar, na praia central, o que será bem importante no seu ritmo de preparativos”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Paratleta Carlão representa Balneário Camboriú na Travessia de Bombinhas

Publicidade

Sexta, 25/9/2020 18:37.

O paratleta Carlos Eugênio bastos Ramos (Carlão), 52 anos, representará Balneário Camboriú, na Travessia de Bombinhas, neste sábado (26). Ele é integrante do Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED) e compete com apoio da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC).

Carlão é amputado dos membros inferiores. A amputação da perna direita aos 15 anos, quando sofreu um acidente de moto e em 2011, por problemas de circulação, teve que amputar a perna esquerda.

Há 10 anos, amputado da perna direita, ele disputou pela primeira vez a Travessia de Bombinhas. mas por problemas de saúde ficou afastado dos esportes até final de 2019.

“Este ano voltei para disputar o Circuito Capixaba de Travessias, onde teria que nadar pelo menos quatro das cinco etapas. Nadei a primeira etapa, e infelizmente por causa da pandemia, não teve as outras”, disse Carlão.

A oportunidade de voltar a competir em Bombinhas trouxe expectativa e uma mistura de alegria e tristeza para Carlão.

Neste Circuito de desafios, cada nadador escolhe um percurso (2.000m., 4.000m., 5.000m., 6.000m., 8.000m. e 21.000m). Carlão agendou as provas de 4.000, 5.000 e 6.000m. Faz a prova e a comissão registra os tempos, que definirão quem serão os vencedores de cada desafio.

“É um desafio que vai valer. Eu gosto do circuito pela beleza das praias de Zimbros, Bombinhas, Sepultura, que atraem muita gente. Pelo agendamento já tem gente do Rio, Rio Grande do Sul, Paraná, além dos catarinenses, é portanto um circuito nacional. Para mim, é um sentimento de tristeza por tudo que está acontecendo no mundo por causa da pandemia e misturado com uma sensação de muita alegria por ainda nesse ano tão confuso e triste poder fazer uma prova como esta, depois de 10 anos volto ao circuito de Bombinhas e agora sem as duas pernas. Muito feliz também por representar pela primeira vez a cidade de Balneário Camboriú, o ICED e a FMEBC”, disse Carlão.

A técnica Gevelyn de Almeida, do ICED e da Fundação, disse que Carlão vem treinando diariamente em piscina para esta prova, mas logo vai começar a treinar no mar também.

“Ele contará com apoio para as próximas travessias da Escola de Surf de Balneário Camboriú e a Fundação vai disponibilizar a cadeira anfíbia para ele treinar no mar, na praia central, o que será bem importante no seu ritmo de preparativos”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade