Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

TJSC rejeita processo sobre atuação da Guarda Municipal de Balneário
Daniele Sisnandes/Página3

Sexta, 4/10/2013 8:20.

Após três anos e quatro meses esperando julgamento, o processo movido pela Associação de Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina - Capitão Osmar Romão da Silva – ACORS, contra artigos da lei que criou a Guarda Municipal de Balneário Camboriú foi extinto ontem pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. 

 

O Órgão entendeu, por maioria de votos, que a Acors não tem legitimidade para promover a ação.

 

O pedido era que fosse declarada inconstitucional a atuação da Guarda no policiamento de ruas e do meio ambiente. Dessa forma, sendo inconstitucional ou não, a Guarda Municipal poderá continuar atuando como polícia porque não há nada que a impeça.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Negócios

Outras três empresas aguardam autorização 


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Conselho Comunitário de Segurança Náutica e Cidadania de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

TJSC rejeita processo sobre atuação da Guarda Municipal de Balneário

Daniele Sisnandes/Página3
Sexta, 4/10/2013 8:20.

Após três anos e quatro meses esperando julgamento, o processo movido pela Associação de Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina - Capitão Osmar Romão da Silva – ACORS, contra artigos da lei que criou a Guarda Municipal de Balneário Camboriú foi extinto ontem pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. 

 

O Órgão entendeu, por maioria de votos, que a Acors não tem legitimidade para promover a ação.

 

O pedido era que fosse declarada inconstitucional a atuação da Guarda no policiamento de ruas e do meio ambiente. Dessa forma, sendo inconstitucional ou não, a Guarda Municipal poderá continuar atuando como polícia porque não há nada que a impeça.

Publicidade

Publicidade