Jornal Página 3

TCU determina bloqueio de bens de Dilma por prejuízo à Petrobras
EBC.

Quarta, 11/10/2017 13:26.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O plenário do TCU (Tribunal de Contas da União) determinou nesta quarta (11) o bloqueio de bens da ex-presidente Dilma Rousseff e de outros ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras para ressarcimento de prejuízo causado à estatal no caso da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Além de Dilma, foram bloqueados os bens do ex-ministro Antônio Palocci, Claudio Luis da Silva Haddad, Fábio Colletti Barbosa, Gleuber Vieira e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli.

Segundo o tribunal, o dano causado foi de US$ 580 milhões.

Ainda é possível recorrer da decisão. O bloqueio tem duração de um ano.

Em 2006, quando a compra de Pasadena foi fechada, Dilma era presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

A estatal comprou 50% da refinaria americana por US$ 360 milhões.

PREJUÍZO

Em agosto, o plenário do TCU já havia condenado Gabrielli e o ex-diretor da área Internacional Nestor Cerveró pelo envolvimento de ambos na compra da refinaria.

O tribunal determinou que ele deveriam ressarcir à estatal o valor de US$ 79,9 milhões (cerca de R$ 250 milhões), além de pagar multa de R$ 10 milhões cada um.

O TCU também proibiu que ambos ocupem cargos públicos. 


Publicidade


Colunistas
por Fernando Baumann
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
por Augusto Cesar Diegoli
por Marcos Vinicios Pagelkopf
por Enéas Athanázio
Cultura

Edital vai distribuir R$ 920 mil para projetos culturais


Cidade

Crise econômica impacta negativamente nas contas públicas  


Economia

É o que afirma o econmista-chefe do banco BTG Pactual 


Geral


Política


Cidade

PIB cresceu forte sob Pavan e Spernau e desacelerou entre 2010 e 2015


Guia Legal BC

Festival reunirá sertanejo e música eletrônica no dia 29/12


Guia Legal BC

Banda se apresenta no dia 5 de janeiro


Geral

Consórcio pode ser o fato mais relevante desde que as duas cidades se separaram 53 anos atrás 


Publicidade