Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
ATUALIZADA -Melhora previsão de chuva para a bacia do rio Camboriú

Situação recomenda economia. Próximo trimestre terá mais chuvas e chance de El Niño

Segunda, 30/7/2018 7:58.
Waldemar Cezar Neto.

Publicidade

Atualizada às 8h10 do dia 01/08/2018

Melhorou a previsão de chuvas para a Bacia do Rio Camboriú nos próximos dias, com expectativa de chover 10mm ainda nesta semana.

 

No momento um dos quatro pontos de monitoramento da bacia aponta queda de nível, um está estabilizado, o outro subindo e o rio Canoas, um afluente do Camboriú, está em situação de emergência.

Esse rio varia bastante com as chuvas e o fato de estar em emergência não significa desabastecimento, mas a população deve pensar em economia de água.

Balneário Camboriú e Camboriú padecem da falta de armazenamento de água bruta, dependem de chuva para manter o abastecimento.

O Página 3 acompanha os monitoramentos da Epagri e manterá os consumidores informados.

No último dia 26, a Epagri divulgou a previsão para o próximo trimestres que prevê chuvas na média ou acima.

Também prevê a possibilidade de 70% da ocorrência do El Niño fenômeno climático que costuma provocar chuvas muito fortes no Estado.

Por enquanto ainda é cedo para a confirmação ou não do El Niño.

A previsão trimestral segue reproduzida abaixo:

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA
Agosto, Setembro e Outubro de 2018

Precipitação:

No trimestre a previsão é de chuva na média a acima, sendo os valores acima da média esperados com a chegada da primavera.
Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

Climatologia (o que se espera para época do ano):

No mês de agosto a média climatológica de chuva varia de 100 a 120 mm no Planalto Norte e Litoral, e de 120 a 190 mm no Extremo Oeste, Oeste, Meio Oeste e Planalto Sul. Em setembro a média de chuva sobe para 130 a 200 mm no Oeste, Meio Oeste e Planalto e de 130 a 150 mm no Vale do Itajaí e Litoral. Em Outubro a média histórica é de 250 a 260 mm no Extremo Oeste e Oeste, de 190 a 210 mm no Meio Oeste e Planalto, e entre 150 e 160 mm no Litoral e Vale do Itajaí.

A chuva no trimestre é causada principalmente pela influência de frentes frias e sistemas de baixa pressão. Até outubro a atuação de ciclones extratropicais próximos ao Litoral continuam ocorrendo com frequência, trazendo perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, que muitas vezes resultam em ressaca.

Temperatura:

Para o trimestre a previsão é de temperatura na média a acima da média climatológica. Em agosto ainda são esperadas massas de frio, especialmente nas primeiras semanas, com formação de geada ampla e temperaturas negativas. Os meses de setembro e outubro seguem com aquecimento dentro do esperado para a nova estação (primavera).

As primeiras semanas de agosto, com atuação de massas de ar seco, favorecem a ocorrência de dias com maior amplitude térmica diária (diferença de temperatura mínima e máxima). Nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, também são esperados para os próximos meses. Ressalta-se que na primavera em áreas costeiras o nevoeiro marítimo pode estender-se por mais tempo, da noite até parte da tarde do dia seguinte.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM):

No mês de junho as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM entre 0,5°C e 1,0°C, associada à condição de neutralidade.

O vento, em médios e baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu fraco.

No período de 15 a 21/07 foram registrados valores de anomalia acima da média, próximo de 1,0°C na região do El Ninho 3 + 4 e ainda negativa de -1,0 a -0,5°C na região 1 + 2, próximo da costa do Peru (Figura 2).

Os modelos numéricos de previsão indicam neutralidade durante os meses de agosto e setembro (final do inverno) e, com aquecimento durante o mês de outubro, há 70% de probabilidade de configuração de El Ninho a partir da primavera.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

ATUALIZADA -Melhora previsão de chuva para a bacia do rio Camboriú

Waldemar Cezar Neto.

Publicidade

Segunda, 30/7/2018 7:58.

Atualizada às 8h10 do dia 01/08/2018

Melhorou a previsão de chuvas para a Bacia do Rio Camboriú nos próximos dias, com expectativa de chover 10mm ainda nesta semana.

 

No momento um dos quatro pontos de monitoramento da bacia aponta queda de nível, um está estabilizado, o outro subindo e o rio Canoas, um afluente do Camboriú, está em situação de emergência.

Esse rio varia bastante com as chuvas e o fato de estar em emergência não significa desabastecimento, mas a população deve pensar em economia de água.

Balneário Camboriú e Camboriú padecem da falta de armazenamento de água bruta, dependem de chuva para manter o abastecimento.

O Página 3 acompanha os monitoramentos da Epagri e manterá os consumidores informados.

No último dia 26, a Epagri divulgou a previsão para o próximo trimestres que prevê chuvas na média ou acima.

Também prevê a possibilidade de 70% da ocorrência do El Niño fenômeno climático que costuma provocar chuvas muito fortes no Estado.

Por enquanto ainda é cedo para a confirmação ou não do El Niño.

A previsão trimestral segue reproduzida abaixo:

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA
Agosto, Setembro e Outubro de 2018

Precipitação:

No trimestre a previsão é de chuva na média a acima, sendo os valores acima da média esperados com a chegada da primavera.
Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

Climatologia (o que se espera para época do ano):

No mês de agosto a média climatológica de chuva varia de 100 a 120 mm no Planalto Norte e Litoral, e de 120 a 190 mm no Extremo Oeste, Oeste, Meio Oeste e Planalto Sul. Em setembro a média de chuva sobe para 130 a 200 mm no Oeste, Meio Oeste e Planalto e de 130 a 150 mm no Vale do Itajaí e Litoral. Em Outubro a média histórica é de 250 a 260 mm no Extremo Oeste e Oeste, de 190 a 210 mm no Meio Oeste e Planalto, e entre 150 e 160 mm no Litoral e Vale do Itajaí.

A chuva no trimestre é causada principalmente pela influência de frentes frias e sistemas de baixa pressão. Até outubro a atuação de ciclones extratropicais próximos ao Litoral continuam ocorrendo com frequência, trazendo perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, que muitas vezes resultam em ressaca.

Temperatura:

Para o trimestre a previsão é de temperatura na média a acima da média climatológica. Em agosto ainda são esperadas massas de frio, especialmente nas primeiras semanas, com formação de geada ampla e temperaturas negativas. Os meses de setembro e outubro seguem com aquecimento dentro do esperado para a nova estação (primavera).

As primeiras semanas de agosto, com atuação de massas de ar seco, favorecem a ocorrência de dias com maior amplitude térmica diária (diferença de temperatura mínima e máxima). Nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, também são esperados para os próximos meses. Ressalta-se que na primavera em áreas costeiras o nevoeiro marítimo pode estender-se por mais tempo, da noite até parte da tarde do dia seguinte.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM):

No mês de junho as águas no Pacífico equatorial apresentaram valores de anomalia de TSM entre 0,5°C e 1,0°C, associada à condição de neutralidade.

O vento, em médios e baixos níveis da atmosfera (ventos Alísios), permaneceu fraco.

No período de 15 a 21/07 foram registrados valores de anomalia acima da média, próximo de 1,0°C na região do El Ninho 3 + 4 e ainda negativa de -1,0 a -0,5°C na região 1 + 2, próximo da costa do Peru (Figura 2).

Os modelos numéricos de previsão indicam neutralidade durante os meses de agosto e setembro (final do inverno) e, com aquecimento durante o mês de outubro, há 70% de probabilidade de configuração de El Ninho a partir da primavera.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade