Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após quinto dia de buscas, mortos em Brumadinho (MG) chegam a 84
Sgt Johnson Barros/Força Arerea Brasileira

Terça, 29/1/2019 22:31.

(FOLHAPRESS)

Cindo dias após o acidente com uma barragem da Vale em Brumadinho (MG), as equipes de resgate não acharam nenhum sobrevivente e o número de mortos subiu para 84, nesta terça-feira (29). Dos corpos localizados, 42 foram identificados.

Até o momento, foram localizadas 391 pessoas. Mas há ainda 276 desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Na sexta-feira (25), o rompimento da barragem liberou cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba, que passa pela região da Grande Belo Horizonte. A lama se estende por uma área de 3,6 km² e por 10 km.

Na manhã desta terça, uma operação do Ministério Público de Minas Gerais, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal prendeu cinco engenheiros -três da Vale, em Minas Gerais e dois prestadores de serviço, em São Paulo- relacionados à segurança da barragem. Os profissionais da Vale eram os responsáveis diretos pela estrutura que se rompeu, e os dois demais, os que atestaram a segurança da barragem em laudo recente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após quinto dia de buscas, mortos em Brumadinho (MG) chegam a 84

Sgt Johnson Barros/Força Arerea Brasileira
Terça, 29/1/2019 22:31.

(FOLHAPRESS)

Cindo dias após o acidente com uma barragem da Vale em Brumadinho (MG), as equipes de resgate não acharam nenhum sobrevivente e o número de mortos subiu para 84, nesta terça-feira (29). Dos corpos localizados, 42 foram identificados.

Até o momento, foram localizadas 391 pessoas. Mas há ainda 276 desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Na sexta-feira (25), o rompimento da barragem liberou cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba, que passa pela região da Grande Belo Horizonte. A lama se estende por uma área de 3,6 km² e por 10 km.

Na manhã desta terça, uma operação do Ministério Público de Minas Gerais, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal prendeu cinco engenheiros -três da Vale, em Minas Gerais e dois prestadores de serviço, em São Paulo- relacionados à segurança da barragem. Os profissionais da Vale eram os responsáveis diretos pela estrutura que se rompeu, e os dois demais, os que atestaram a segurança da barragem em laudo recente.

Publicidade

Publicidade