Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Em 10 anos, Brasil registrou 322 mortes de intoxicação por gás

Terça, 16/7/2019 8:33.
Divulgação
Aquecedor instalado ar ar livre, não oferece riscos.

Publicidade

Fabiana Cambricoli/AE
Nos últimos dez anos, 322 brasileiros morreram vítimas de intoxicação acidental por gases e vapores, segundo levantamento feito pela reportagem no Datasus, portal do Ministério da Saúde que traz dados sobre mortalidade. Os números são referentes ao período de 2008 a 2017, o mais recente disponível.

Segundo o balanço, a faixa etária com o maior número de mortes é de 20 a 29 anos, com 64 óbitos. Entre os mortos, 34 eram crianças ou adolescentes com menos de 14 anos, dos quais oito eram bebês menores de 1 ano.

A maioria das vítimas (75%) era homem. Foram 243 mortos do sexo masculino e 79 do sexo feminino. O Estado com o maior número de ocorrências foi São Paulo, com 88 mortes no período analisado, seguido por Rio Grande do Sul (38) e Rio de Janeiro (33).

No grupo de mortes acidentais por gases e vapores, de acordo com a base de dados do ministério, inclui-se a intoxicação por substâncias como monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, dióxido de enxofre, entre outras.

Na sexta-feira passada, dia 12, quatro pessoas de uma mesma família foram encontradas mortas em Santo André, cidade do ABC paulista. A principal suspeita é de que as mortes tenham sido causadas por intoxicação após vazamento de gás.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Aquecedor instalado ar ar livre, não oferece riscos.
Aquecedor instalado ar ar livre, não oferece riscos.

Em 10 anos, Brasil registrou 322 mortes de intoxicação por gás

Publicidade

Terça, 16/7/2019 8:33.

Fabiana Cambricoli/AE
Nos últimos dez anos, 322 brasileiros morreram vítimas de intoxicação acidental por gases e vapores, segundo levantamento feito pela reportagem no Datasus, portal do Ministério da Saúde que traz dados sobre mortalidade. Os números são referentes ao período de 2008 a 2017, o mais recente disponível.

Segundo o balanço, a faixa etária com o maior número de mortes é de 20 a 29 anos, com 64 óbitos. Entre os mortos, 34 eram crianças ou adolescentes com menos de 14 anos, dos quais oito eram bebês menores de 1 ano.

A maioria das vítimas (75%) era homem. Foram 243 mortos do sexo masculino e 79 do sexo feminino. O Estado com o maior número de ocorrências foi São Paulo, com 88 mortes no período analisado, seguido por Rio Grande do Sul (38) e Rio de Janeiro (33).

No grupo de mortes acidentais por gases e vapores, de acordo com a base de dados do ministério, inclui-se a intoxicação por substâncias como monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, dióxido de enxofre, entre outras.

Na sexta-feira passada, dia 12, quatro pessoas de uma mesma família foram encontradas mortas em Santo André, cidade do ABC paulista. A principal suspeita é de que as mortes tenham sido causadas por intoxicação após vazamento de gás.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade