Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Servidores efetivos que quiserem concorrer a conselheiro tutelar podem se afastar
Reprodução

Quinta, 18/7/2019 17:28.

Funcionários públicos efetivos que queiram concorrer à eleição do Conselho Tutelar, podem pedir seu afastamento, a partir de segunda-feira (22), com direito a 50% do seu salário.

A licença deve ser protocolada até amanhã (19) na secretaria em que o servidor trabalha.

É o que rege o decreto 9.475, que determina sobre a regulamentação do período de afastamento para o Processo Eleitoral de Conselheiros Tutelares.

Servidores comissionados, empregados públicos e ACT’s que que querem se candidatar a conselheiros terão que pedir exoneração até amanhã (19).

O Conselho Tutelar é formado por um(a) bacharel em direito, um(a) psicólogo(a), um(a) assistente social e dois membros da comunidade.

Para participar do processo eleitoral, a pessoa deve passar por algumas fases, como curso preparatório com duração de 16 horas, realizar prova objetiva, avaliação psicológica e investigação social, além da eleição propriamente dita.

Informações - Secretaria de Gestão Administrativa

(47) 3367- 7003 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Servidores efetivos que quiserem concorrer a conselheiro tutelar podem se afastar

Reprodução

Publicidade

Quinta, 18/7/2019 17:28.

Funcionários públicos efetivos que queiram concorrer à eleição do Conselho Tutelar, podem pedir seu afastamento, a partir de segunda-feira (22), com direito a 50% do seu salário.

A licença deve ser protocolada até amanhã (19) na secretaria em que o servidor trabalha.

É o que rege o decreto 9.475, que determina sobre a regulamentação do período de afastamento para o Processo Eleitoral de Conselheiros Tutelares.

Servidores comissionados, empregados públicos e ACT’s que que querem se candidatar a conselheiros terão que pedir exoneração até amanhã (19).

O Conselho Tutelar é formado por um(a) bacharel em direito, um(a) psicólogo(a), um(a) assistente social e dois membros da comunidade.

Para participar do processo eleitoral, a pessoa deve passar por algumas fases, como curso preparatório com duração de 16 horas, realizar prova objetiva, avaliação psicológica e investigação social, além da eleição propriamente dita.

Informações - Secretaria de Gestão Administrativa

(47) 3367- 7003 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade