Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arata Isozaki vence o Pritzker, principal prêmio da arquitetura

Terça, 5/3/2019 15:55.

(FOLHAPRESS) - Aos 87 anos, o japonês Arata Isozaki foi laureado com o prêmio Pritzker, considerada a distinção mais importante da arquitetura. A própria organização anunciou a honraria em seu Twitter nesta terça-feira (5).

Nascido em Oita, em 1931, e formado pela Universidade de Tóquio, Isozaki é reconhecido por vários trabalhos notáveis, entre eles, o Palau Sant Jordi, construído para os Jogos Olímpicos de 1982, em Barcelona, o Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, a Allianz Tower, em Milão, a Sala de Concertos de Kioto, no Japão, e o Centro de Arte e Tecnologia Japonesa, na Polônia.

Curiosamente, Ikozaki fez um projeto para o edifício do MAC (Museu de Arte Contemporânea) de São Paulo, mas o concurso, feito em 2001, preferiu o trabalho do suíço Bernard Tschumi.

Ikozaki é o sexto japonês agraciado com o Pritzker, que também concede um prêmio em dinheiro de US$ 100 mil. Antes dele, Kenzo Tange (1987), Fumihiko Maki (1993), Tadao Ando (1995) e a dupla Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa (2010) ganharam o prêmio, criado em 1979.

Outros premiados também participaram do júri desta edição, como os renomados arquitetos Richard Rogers (Pritzker de 2007), Wang Shu (vencedor em 2012) e o conterrâneo Sejima.  

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Arata Isozaki vence o Pritzker, principal prêmio da arquitetura

Publicidade

Terça, 5/3/2019 15:55.

(FOLHAPRESS) - Aos 87 anos, o japonês Arata Isozaki foi laureado com o prêmio Pritzker, considerada a distinção mais importante da arquitetura. A própria organização anunciou a honraria em seu Twitter nesta terça-feira (5).

Nascido em Oita, em 1931, e formado pela Universidade de Tóquio, Isozaki é reconhecido por vários trabalhos notáveis, entre eles, o Palau Sant Jordi, construído para os Jogos Olímpicos de 1982, em Barcelona, o Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, a Allianz Tower, em Milão, a Sala de Concertos de Kioto, no Japão, e o Centro de Arte e Tecnologia Japonesa, na Polônia.

Curiosamente, Ikozaki fez um projeto para o edifício do MAC (Museu de Arte Contemporânea) de São Paulo, mas o concurso, feito em 2001, preferiu o trabalho do suíço Bernard Tschumi.

Ikozaki é o sexto japonês agraciado com o Pritzker, que também concede um prêmio em dinheiro de US$ 100 mil. Antes dele, Kenzo Tange (1987), Fumihiko Maki (1993), Tadao Ando (1995) e a dupla Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa (2010) ganharam o prêmio, criado em 1979.

Outros premiados também participaram do júri desta edição, como os renomados arquitetos Richard Rogers (Pritzker de 2007), Wang Shu (vencedor em 2012) e o conterrâneo Sejima.  

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade