Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Reunião na Câmara de Vereadores discute equiparação salarial dos profissionais de Educação Física

No fim de outubro alguns professores já haviam se manifestado pedindo a equiparação salarial e o enquadramento na área da Saúde

Quinta, 21/11/2019 16:44.
Renata Rutes
Professores em manifestação

Publicidade

Os profissionais de Educação Física da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú (FMEBC) vão se reunir na Câmara de Vereadores nesta sexta-feira (22), às 19h, pedindo por enquadramento na área da Saúde (atualmente eles pertencem à Fundação) e por equiparação salarial – pedidos que são feitos há mais de dois anos.

A Resolução 218 do Conselho Nacional de Saúde e o pedido de equiparação salarial protocolado pelos efetivos em julho de 2017, continuam sem resposta. Os cerca de 50 profissionais de Educação Física efetivos e ACTs (Admitidos em Caráter Temporário) da FMEBC pedem que a prefeitura os enquadre na área da Saúde (já incorporada pelo Ministério da Saúde a nível nacional) e equiparação salarial (assim eles passarão a receber R$ 3.951,58, ao invés de R$ 2.399,60 que ganham hoje pela Fundação – sem horas extras, mesmo em casos de viagens para disputar campeonatos e trabalhos em finais de semana).

Os professores convidam a comunidade e atletas para participarem da reunião pública e darem força ao movimento. A equiparação salarial e o enquadramento precisam acontecer ainda neste ano, já que 2020 é ano eleitoral e restringe o período de aprovação do Legislativo. O pedido da classe é que a prefeitura faça um projeto e envie o quanto antes para a Câmara de Vereadores.

Os profissionais de Balneário usam como exemplos os profissionais de Educação Física da Fundação Municipal de Esportes de Itajaí, que recebem hoje R$ 3.878,18, não justificando o salário pago ao servidor de Balneário Camboriú. Isso acaba desestimulando a classe, que trabalha em média 40 horas semanais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Renata Rutes
Professores em manifestação
Professores em manifestação

Reunião na Câmara de Vereadores discute equiparação salarial dos profissionais de Educação Física

No fim de outubro alguns professores já haviam se manifestado pedindo a equiparação salarial e o enquadramento na área da Saúde

Publicidade

Quinta, 21/11/2019 16:44.

Os profissionais de Educação Física da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú (FMEBC) vão se reunir na Câmara de Vereadores nesta sexta-feira (22), às 19h, pedindo por enquadramento na área da Saúde (atualmente eles pertencem à Fundação) e por equiparação salarial – pedidos que são feitos há mais de dois anos.

A Resolução 218 do Conselho Nacional de Saúde e o pedido de equiparação salarial protocolado pelos efetivos em julho de 2017, continuam sem resposta. Os cerca de 50 profissionais de Educação Física efetivos e ACTs (Admitidos em Caráter Temporário) da FMEBC pedem que a prefeitura os enquadre na área da Saúde (já incorporada pelo Ministério da Saúde a nível nacional) e equiparação salarial (assim eles passarão a receber R$ 3.951,58, ao invés de R$ 2.399,60 que ganham hoje pela Fundação – sem horas extras, mesmo em casos de viagens para disputar campeonatos e trabalhos em finais de semana).

Os professores convidam a comunidade e atletas para participarem da reunião pública e darem força ao movimento. A equiparação salarial e o enquadramento precisam acontecer ainda neste ano, já que 2020 é ano eleitoral e restringe o período de aprovação do Legislativo. O pedido da classe é que a prefeitura faça um projeto e envie o quanto antes para a Câmara de Vereadores.

Os profissionais de Balneário usam como exemplos os profissionais de Educação Física da Fundação Municipal de Esportes de Itajaí, que recebem hoje R$ 3.878,18, não justificando o salário pago ao servidor de Balneário Camboriú. Isso acaba desestimulando a classe, que trabalha em média 40 horas semanais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade