Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Na era dos memes, conheça os efeitos benéficos do riso para sua saúde

Sábado, 12/10/2019 5:52.
Freepik, Nensuria, Rawpixel.

Publicidade

Somos diariamente bombardeados por informações, pressão e prazos apertados. Para enfrentar essa dura ordem mundial, a sociedade moderna vem se apegando cada dia mais à terapia do riso. Pode ser que isso aconteça de forma inconsciente, mas a verdade é que assim como os hobbies e uma rotina regrada, o bom humor traz efeitos reais sobre nossa saúde e pode ser o aliado ideal para tempos difíceis.

Vivemos uma era de comunicação dinâmica e distribuída facilmente ao alcance de um clique. É como se essa massiva realidade nos colocasse o tempo todo contra a parede e aí fugimos desesperadamente para colinas, digo, para as mídias sociais, buscando refúgio. Lá geralmente está a parte mais leve do dia para a maior parte de nós, onde o conteúdo cômico surge como um oásis entre tantas responsabilidades.

Vídeos engraçados e memes estão constantemente no trending topic, assim como figurinhas hilárias simplesmente brotam no Whatsapp. Mas será que todo essa fuga pelo riso é mera coincidência? A ciência afirma que não.

De onde vem o riso

Antes de tudo é importante reconhecermos a origem do riso. O neurocientista Robert R. Provine, professor de psicologia na universidade de Maryland, Baltimore, nos Estados Unidos, foi um dos primeiros estudiosos sobre o tema, sua origem e efeitos.

“Rir é se relacionar”, afirma em “Laughter: A Scientific Investigation”. Ele notou em seus estudos que seres humanos riem até 30 vezes mais quando estão com outros indivíduos, num sinal claro do poder de conexão do riso.

Além do mais, Provine percebeu que o riso é usado inclusive como uma ferramenta nas relações interpessoais que envolvam interesse entre homens e mulheres.

Para o neurocientista Scott Weems, outro pesquisador da Universidade de Maryland, o riso é fruto do conflito que acontece no cérebro, entre emoções e pensamentos. Quando não chegamos a uma alternativa de solução, o resultado dessa confusão seria a risada.

O corpo dá sinais

Mas sim, o riso também pode ser usado conscientemente para alcançarmos benefícios para nossa própria saúde.

A pesquisadora do Núcleo de Informática Biomédica da Universidade Estadual de Campinas, Silvia Helena Cardoso, aponta que bom humor e a risada são responsáveis por uma série de benefícios ao corpo, como diminuição do estresse, ansiedade, relaxam a tensão muscular, melhoram a imunidade e o mais incrível: diminuem a dor!

Isso acontece porque o riso desencadeia uma série de reações fisiológicas, começando pela ativação do sistema cardiovascular, aumento da frequência cardíaca e pressão arterial. Isso leva à dilatação das artérias, caindo a pressão. As contrações dos músculos, resultantes da risada, aliada à respiração forçada, aumenta o fluxo sanguíneo nos órgãos e de oxigênio no sangue. É como uma explosão de energia fazendo toda a engrenagem se movimentar.

Silvia Helena afirma que pessoas que sofrem de raiva crônica costumam ter problemas nos sistemas fisiológicos, incluindo o sistema imunológico. Por outro lado, o riso ajuda estes sistemas a funcionarem melhor e também pode promover mudanças hormonais benéficas.

Carreira e vida social

E já que esse estado leve de espírito é tão positivo para a saúde, ele também traz consequências poderosas sobre os relacionamentos, tanto no trabalho como na vida social.

Um estudo da professora Sophie Scott, da University College London (UCL), no Reino Unido, apontou que o riso é um sinal que estamos relaxados e em segurança.

Nesta mesma linha pesquisadores da Universidade Northwestern, em Illinois, Estados Unidos, demonstraram que o riso aumentava as chances de solução de testes, ou seja, as pausas para o bom humor podem desencadear em insights, ideias e produtividade.

Agora se o seu objetivo é movimentar a vida social, sorrir pode ser um ato estratégico. “O sorriso une as pessoas”, reforça o médico Eduardo Lambert, autor do livro A Terapia do Riso.

Terapia do riso em hospitais

Graças à geontologia, ou estudo do riso, são muitos os apontamentos para os benefícios diretos do bom humor na saúde. Por isso diversos hospitais vêm abrindo as portas para terapias alternativas que incluem atenção, conexão e boas gargalhadas.

Um desses exemplos é o projeto de extensão “Terapeutas da Alegria”, da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em que voluntários fantasiados percorrem os hospitais da região: Unimed, Marieta Konder Bornhausen e Pequeno Anjo, com apresentações, musicoterapia e teatro clown.

“O amor é cuidado e atenção”, defende o projeto no Instagram, onde acontece a divulgação das ações e a busca constante por novos voluntários.

Crie o cenário propício!

Ok, já entendemos o ponto, mas por onde começar?

Dê chance às comédias, espetáculos de stand up, siga os perfis de memes da rede social, compartilhe coisas alegres, escolha estar na companhia de pessoas com alto astral, aposte em um esporte coletivo ou quem sabe em um jogo em casa.

Mas atenção: mudar a forma como recebemos, reagimos e emitimos as mensagens é o primeiro passo. Em outras palavras, para uma vida com mais sorrisos, antes de tudo, abra a sua mente.

(DANI SISNANDES/JP3)


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Freepik, Nensuria, Rawpixel.

Na era dos memes, conheça os efeitos benéficos do riso para sua saúde

Publicidade

Sábado, 12/10/2019 5:52.

Somos diariamente bombardeados por informações, pressão e prazos apertados. Para enfrentar essa dura ordem mundial, a sociedade moderna vem se apegando cada dia mais à terapia do riso. Pode ser que isso aconteça de forma inconsciente, mas a verdade é que assim como os hobbies e uma rotina regrada, o bom humor traz efeitos reais sobre nossa saúde e pode ser o aliado ideal para tempos difíceis.

Vivemos uma era de comunicação dinâmica e distribuída facilmente ao alcance de um clique. É como se essa massiva realidade nos colocasse o tempo todo contra a parede e aí fugimos desesperadamente para colinas, digo, para as mídias sociais, buscando refúgio. Lá geralmente está a parte mais leve do dia para a maior parte de nós, onde o conteúdo cômico surge como um oásis entre tantas responsabilidades.

Vídeos engraçados e memes estão constantemente no trending topic, assim como figurinhas hilárias simplesmente brotam no Whatsapp. Mas será que todo essa fuga pelo riso é mera coincidência? A ciência afirma que não.

De onde vem o riso

Antes de tudo é importante reconhecermos a origem do riso. O neurocientista Robert R. Provine, professor de psicologia na universidade de Maryland, Baltimore, nos Estados Unidos, foi um dos primeiros estudiosos sobre o tema, sua origem e efeitos.

“Rir é se relacionar”, afirma em “Laughter: A Scientific Investigation”. Ele notou em seus estudos que seres humanos riem até 30 vezes mais quando estão com outros indivíduos, num sinal claro do poder de conexão do riso.

Além do mais, Provine percebeu que o riso é usado inclusive como uma ferramenta nas relações interpessoais que envolvam interesse entre homens e mulheres.

Para o neurocientista Scott Weems, outro pesquisador da Universidade de Maryland, o riso é fruto do conflito que acontece no cérebro, entre emoções e pensamentos. Quando não chegamos a uma alternativa de solução, o resultado dessa confusão seria a risada.

O corpo dá sinais

Mas sim, o riso também pode ser usado conscientemente para alcançarmos benefícios para nossa própria saúde.

A pesquisadora do Núcleo de Informática Biomédica da Universidade Estadual de Campinas, Silvia Helena Cardoso, aponta que bom humor e a risada são responsáveis por uma série de benefícios ao corpo, como diminuição do estresse, ansiedade, relaxam a tensão muscular, melhoram a imunidade e o mais incrível: diminuem a dor!

Isso acontece porque o riso desencadeia uma série de reações fisiológicas, começando pela ativação do sistema cardiovascular, aumento da frequência cardíaca e pressão arterial. Isso leva à dilatação das artérias, caindo a pressão. As contrações dos músculos, resultantes da risada, aliada à respiração forçada, aumenta o fluxo sanguíneo nos órgãos e de oxigênio no sangue. É como uma explosão de energia fazendo toda a engrenagem se movimentar.

Silvia Helena afirma que pessoas que sofrem de raiva crônica costumam ter problemas nos sistemas fisiológicos, incluindo o sistema imunológico. Por outro lado, o riso ajuda estes sistemas a funcionarem melhor e também pode promover mudanças hormonais benéficas.

Carreira e vida social

E já que esse estado leve de espírito é tão positivo para a saúde, ele também traz consequências poderosas sobre os relacionamentos, tanto no trabalho como na vida social.

Um estudo da professora Sophie Scott, da University College London (UCL), no Reino Unido, apontou que o riso é um sinal que estamos relaxados e em segurança.

Nesta mesma linha pesquisadores da Universidade Northwestern, em Illinois, Estados Unidos, demonstraram que o riso aumentava as chances de solução de testes, ou seja, as pausas para o bom humor podem desencadear em insights, ideias e produtividade.

Agora se o seu objetivo é movimentar a vida social, sorrir pode ser um ato estratégico. “O sorriso une as pessoas”, reforça o médico Eduardo Lambert, autor do livro A Terapia do Riso.

Terapia do riso em hospitais

Graças à geontologia, ou estudo do riso, são muitos os apontamentos para os benefícios diretos do bom humor na saúde. Por isso diversos hospitais vêm abrindo as portas para terapias alternativas que incluem atenção, conexão e boas gargalhadas.

Um desses exemplos é o projeto de extensão “Terapeutas da Alegria”, da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em que voluntários fantasiados percorrem os hospitais da região: Unimed, Marieta Konder Bornhausen e Pequeno Anjo, com apresentações, musicoterapia e teatro clown.

“O amor é cuidado e atenção”, defende o projeto no Instagram, onde acontece a divulgação das ações e a busca constante por novos voluntários.

Crie o cenário propício!

Ok, já entendemos o ponto, mas por onde começar?

Dê chance às comédias, espetáculos de stand up, siga os perfis de memes da rede social, compartilhe coisas alegres, escolha estar na companhia de pessoas com alto astral, aposte em um esporte coletivo ou quem sabe em um jogo em casa.

Mas atenção: mudar a forma como recebemos, reagimos e emitimos as mensagens é o primeiro passo. Em outras palavras, para uma vida com mais sorrisos, antes de tudo, abra a sua mente.

(DANI SISNANDES/JP3)


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade