Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Seminário sobre Mobilidade Urbana e Meio Ambiente

Quatro especialistas falaram sobre suas experiências

Segunda, 14/10/2019 17:54.
Divulgação/CVBC
Os palestrantes Gil, Nayara, Goura e Alan.

Publicidade

A Escola do Legislativo da Câmara de Vereadores ofereceu a oportunidade das pessoas ouvir e se informar sobre questões cada vez mais presentes no cotidiano de cada um, através do Seminário sobre Mobilidade Urbana e Meio Ambiente, com quatro palestrantes, na noite de sexta-feira (11), na sede do Legislativo Municipal. O público não correspondeu à expectativa e um dos motivos pode ter sido o dia e a hora da palestra, já que o trânsito estava conturbado, em virtude do início das oktoberfestas na região. Um dos convidados, o deputado estadual do Paraná, Jorge Brand (Goura), que veio falar sobre uma das suas especialidades, Mobilidade Urbana, ficou horas engarrafado no trânsito na tarde de sexta-feira. Os outros palestrantes foram Alan Schroeder, Gil Koeddermann e Nayara Hirsch Mioto.

Acompanhe os temas apresentados:

Mobilidade e Inclusão Urbana

O deputado Goura além de cicloativista ‘de carreira’, é mestre em filosofia e professor de ioga. Ele desenvolveu o tema sobre Cicloativismo e Micromobilidade, assuntos que ele vem trabalhando desde 2004 e que o conduziram para a vida política. Na palestra apresentou a evolução de seu trabalho, dizendo que até os 18 anos descobriu a cidade através do transporte público (a família não tinha carro). Com esta experiência ele está convencido de que ‘a pé ou de bike é realmente o melhor jeito de conhecer uma cidade’.

Ao longo dos anos foi criando movimentos para chamar atenção, entre eles, a Bicicletada, uma crítica para falar sobre a falta de políticas públicas; a pintura de uma ciclofaixa que acabou em uma delegacia de polícia, mas chamou bastante atenção, que era o propósito; a fundação da Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu, um braço importante para falar com o poder público; a sensibilização dos atores políticos em campanhas eleitorais; a realização do Fórum Mundial da Bicicleta; a construção da Praça de Bolso do Ciclista em espaço concedido pelo poder público no centro histórico de Curitiba até radicalizar em 2014, quando decidiu partir para uma carreira política.

Concorreu a deputado federal, mas não elegeu. No ano seguinte foi convidado para trabalhar na prefeitura, na equipe de mobilidade e com esta experiência viu que realmente é possível fazer muita coisa ‘dentro’ do poder público.

Em 2016 elegeu-se vereador e o motivo principal dessa ‘entrada na política’ foi para sensibilizar os políticos. Um dos projetos mais importantes que criou foi o Estatuto do Pedestre.

No ano passado elegeu-se deputado estadual com 27 mil votos só em Curitiba, dos 37 mil total, o que ele credita à sua atuação com temas relevantes e o credencia a anunciar sua pré-candidatura à prefeitura no próximo ano.

“A continuidade é um problema muito sério no Brasil. Por isso temos que exigir em novas campanhas políticas o espaço da mobilidade urbana e levar sugestões, porque a segunda maior causa de morte no país é no trânsito. Nós precisamos pensar a cidade para pessoas dos 8 aos 80 anos”, disse.

Goura conhece Balneário Camboriú ‘desde bebê’ e destacou a vantagem de ser uma cidade plana, apropriada para uso de bicicleta.

“É necessária uma integração cicloviária, porque Balneário Camboriú é hoje todo esse entorno. Ali devem ser implantadas ciclovias nas rodovias, bicicletários, paraciclos nos terminais, tudo que favorece o uso da bicicleta com segurança”, recomendou.

Por fim, Goura disse que considerou positivo o encontro realizado pela Escola do Legislativo.

“Fiquei bem contente em poder contribuir, participar desse debate na Câmara Municipal de Balneário Camboriú. Acho que para uma sexta-feira à noite conseguimos um grande êxito, juntar pessoas preocupadas com as políticas ambientais. Espero que a gente possa ter uma aproximação cada vez maior entre a cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina e as políticas e discussões que estamos levando à frente na Assembleia Legislativa do Paraná. Que a gente possa se inspirar, aprender uns com os outros e desenvolver políticas públicas para o bem de todos”.


Transporte coletivo

O mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental, Alan Schroeder baseou sua palestra na pesquisa de Mestrado que fez na Udesc, expondo algumas situações do transporte coletivo como principal saída para a mobilidade urbana.

“Balneário Camboriú tem algumas peculiaridades, como um crescimento populacional vertiginoso, adensamento predial da cidade, 2300 habitantes por quilômetro quadrado, relação frota e número de habitantes, nosso índice de passageiros por quilômetros que é abaixo da média nacional, o que encarece a tarifa, os dados trazidos pelo Plano Municipal de Mobilidade Urbana, que é a subutilização do transporte entrando em um ciclo vicioso de menos pessoas utilizando mais caro fica, piora a qualidade. Nós precisamos romper com esse ciclo vicioso, investindo através da participação do estado no transporte coletivo e as diretrizes estão colocadas no Plano Municipal de Mobilidade Urbana, aprovado esse ano. Ele traz alguns números de aumentar a participação do transporte coletivo no modal da cidade que hoje é de 7 para 13% até 2030, reduzindo a participação do transporte individual porque isso tudo influi na questão ambiental e de saúde pública e por último, de como o investimento público pode gerar um caso de sucesso que pode divulgar positivamente a cidade mais do que já acontece, quando relacionado com a questão de qualidade de vida, que é um grande produto de atração de investimentos e de turismo”, resumiu.


Consciência Ambiental Global

Este foi o tema apresentado pelo consultor, auditor, perito e especialista em Direito Ambiental, Gil Koeddermann

“A palestra versou sobre uma relação da linha de tempo da evolução do ser humano, da evolução tecnológica e também da evolução da população mundial. Fiz uma linha a partir de 1900, com todas as questões positivas da revolução tecnológica e no final deste último século, os efeitos disso, do uso excessivo dessa tecnologia, sem o devido cuidado com o meio ambiente. Fiz a relação do tempo e do modus operandis, no final através de vídeos, porque entendo que uma apresentação desse nível não capta tanto a atenção das pessoas através de um monólogo. O interesse é justamente captar a atenção das pessoas para que cada um trabalhe a sua consciência ambientaL. É um chamamento para que possamos garantir aos atuais moradores desse planeta e os futuros uma vida sustentável e regrada. Isso é possível, não é demagogia, desde que cada um faça a sua parte. Minha palestra foi uma apresentação visual da realidade atual com a conjuntura real dos desastres ecológicos que têm consequências econômicas também na nossa sociedade, se não tomarmos uma decisão a curto prazo”, enfatizou.


Política pública de resíduos sólidos

A palestra da mestra em Gestão de Políticas Públicas em ênfase em políticas socioambientais e culturais, Nayara Mioto Hirsch tratou sobre o protagonismo do município no tocante a política pública de resíduos sólidos.

“Protagonismo no sentido de que, desde a vigência da política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305/10, os municípios passaram a ser os verdadeiros responsáveis pela gestão integrada dos resíduos, especialmente os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). Enfatizou-se o fato do Brasil ter uma legislação bastante progressista e completa sobre o tema que, inclusive, elevou o país a patamar de igualdade aos países desenvolvidos, mas questionou-se qual a real capacidade dos municípios brasileiros cumprirem esta legislação? E qual o desempenho do Município de Balneário Camboriú no que tange a implementação da legislação federal? Qual o comportamento do município diante disso e quais são os principais desafios e gargalos encontrados? A palestra teve como principal objetivo, apresentar o desempenho de Balneário Camboriú no que se refere a implementação de alguns dos principais objetivos e metas da legislação federal”, destacou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/CVBC
Os palestrantes Gil, Nayara, Goura e Alan.
Os palestrantes Gil, Nayara, Goura e Alan.

Seminário sobre Mobilidade Urbana e Meio Ambiente

Quatro especialistas falaram sobre suas experiências

Publicidade

Segunda, 14/10/2019 17:54.

A Escola do Legislativo da Câmara de Vereadores ofereceu a oportunidade das pessoas ouvir e se informar sobre questões cada vez mais presentes no cotidiano de cada um, através do Seminário sobre Mobilidade Urbana e Meio Ambiente, com quatro palestrantes, na noite de sexta-feira (11), na sede do Legislativo Municipal. O público não correspondeu à expectativa e um dos motivos pode ter sido o dia e a hora da palestra, já que o trânsito estava conturbado, em virtude do início das oktoberfestas na região. Um dos convidados, o deputado estadual do Paraná, Jorge Brand (Goura), que veio falar sobre uma das suas especialidades, Mobilidade Urbana, ficou horas engarrafado no trânsito na tarde de sexta-feira. Os outros palestrantes foram Alan Schroeder, Gil Koeddermann e Nayara Hirsch Mioto.

Acompanhe os temas apresentados:

Mobilidade e Inclusão Urbana

O deputado Goura além de cicloativista ‘de carreira’, é mestre em filosofia e professor de ioga. Ele desenvolveu o tema sobre Cicloativismo e Micromobilidade, assuntos que ele vem trabalhando desde 2004 e que o conduziram para a vida política. Na palestra apresentou a evolução de seu trabalho, dizendo que até os 18 anos descobriu a cidade através do transporte público (a família não tinha carro). Com esta experiência ele está convencido de que ‘a pé ou de bike é realmente o melhor jeito de conhecer uma cidade’.

Ao longo dos anos foi criando movimentos para chamar atenção, entre eles, a Bicicletada, uma crítica para falar sobre a falta de políticas públicas; a pintura de uma ciclofaixa que acabou em uma delegacia de polícia, mas chamou bastante atenção, que era o propósito; a fundação da Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu, um braço importante para falar com o poder público; a sensibilização dos atores políticos em campanhas eleitorais; a realização do Fórum Mundial da Bicicleta; a construção da Praça de Bolso do Ciclista em espaço concedido pelo poder público no centro histórico de Curitiba até radicalizar em 2014, quando decidiu partir para uma carreira política.

Concorreu a deputado federal, mas não elegeu. No ano seguinte foi convidado para trabalhar na prefeitura, na equipe de mobilidade e com esta experiência viu que realmente é possível fazer muita coisa ‘dentro’ do poder público.

Em 2016 elegeu-se vereador e o motivo principal dessa ‘entrada na política’ foi para sensibilizar os políticos. Um dos projetos mais importantes que criou foi o Estatuto do Pedestre.

No ano passado elegeu-se deputado estadual com 27 mil votos só em Curitiba, dos 37 mil total, o que ele credita à sua atuação com temas relevantes e o credencia a anunciar sua pré-candidatura à prefeitura no próximo ano.

“A continuidade é um problema muito sério no Brasil. Por isso temos que exigir em novas campanhas políticas o espaço da mobilidade urbana e levar sugestões, porque a segunda maior causa de morte no país é no trânsito. Nós precisamos pensar a cidade para pessoas dos 8 aos 80 anos”, disse.

Goura conhece Balneário Camboriú ‘desde bebê’ e destacou a vantagem de ser uma cidade plana, apropriada para uso de bicicleta.

“É necessária uma integração cicloviária, porque Balneário Camboriú é hoje todo esse entorno. Ali devem ser implantadas ciclovias nas rodovias, bicicletários, paraciclos nos terminais, tudo que favorece o uso da bicicleta com segurança”, recomendou.

Por fim, Goura disse que considerou positivo o encontro realizado pela Escola do Legislativo.

“Fiquei bem contente em poder contribuir, participar desse debate na Câmara Municipal de Balneário Camboriú. Acho que para uma sexta-feira à noite conseguimos um grande êxito, juntar pessoas preocupadas com as políticas ambientais. Espero que a gente possa ter uma aproximação cada vez maior entre a cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina e as políticas e discussões que estamos levando à frente na Assembleia Legislativa do Paraná. Que a gente possa se inspirar, aprender uns com os outros e desenvolver políticas públicas para o bem de todos”.


Transporte coletivo

O mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental, Alan Schroeder baseou sua palestra na pesquisa de Mestrado que fez na Udesc, expondo algumas situações do transporte coletivo como principal saída para a mobilidade urbana.

“Balneário Camboriú tem algumas peculiaridades, como um crescimento populacional vertiginoso, adensamento predial da cidade, 2300 habitantes por quilômetro quadrado, relação frota e número de habitantes, nosso índice de passageiros por quilômetros que é abaixo da média nacional, o que encarece a tarifa, os dados trazidos pelo Plano Municipal de Mobilidade Urbana, que é a subutilização do transporte entrando em um ciclo vicioso de menos pessoas utilizando mais caro fica, piora a qualidade. Nós precisamos romper com esse ciclo vicioso, investindo através da participação do estado no transporte coletivo e as diretrizes estão colocadas no Plano Municipal de Mobilidade Urbana, aprovado esse ano. Ele traz alguns números de aumentar a participação do transporte coletivo no modal da cidade que hoje é de 7 para 13% até 2030, reduzindo a participação do transporte individual porque isso tudo influi na questão ambiental e de saúde pública e por último, de como o investimento público pode gerar um caso de sucesso que pode divulgar positivamente a cidade mais do que já acontece, quando relacionado com a questão de qualidade de vida, que é um grande produto de atração de investimentos e de turismo”, resumiu.


Consciência Ambiental Global

Este foi o tema apresentado pelo consultor, auditor, perito e especialista em Direito Ambiental, Gil Koeddermann

“A palestra versou sobre uma relação da linha de tempo da evolução do ser humano, da evolução tecnológica e também da evolução da população mundial. Fiz uma linha a partir de 1900, com todas as questões positivas da revolução tecnológica e no final deste último século, os efeitos disso, do uso excessivo dessa tecnologia, sem o devido cuidado com o meio ambiente. Fiz a relação do tempo e do modus operandis, no final através de vídeos, porque entendo que uma apresentação desse nível não capta tanto a atenção das pessoas através de um monólogo. O interesse é justamente captar a atenção das pessoas para que cada um trabalhe a sua consciência ambientaL. É um chamamento para que possamos garantir aos atuais moradores desse planeta e os futuros uma vida sustentável e regrada. Isso é possível, não é demagogia, desde que cada um faça a sua parte. Minha palestra foi uma apresentação visual da realidade atual com a conjuntura real dos desastres ecológicos que têm consequências econômicas também na nossa sociedade, se não tomarmos uma decisão a curto prazo”, enfatizou.


Política pública de resíduos sólidos

A palestra da mestra em Gestão de Políticas Públicas em ênfase em políticas socioambientais e culturais, Nayara Mioto Hirsch tratou sobre o protagonismo do município no tocante a política pública de resíduos sólidos.

“Protagonismo no sentido de que, desde a vigência da política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305/10, os municípios passaram a ser os verdadeiros responsáveis pela gestão integrada dos resíduos, especialmente os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). Enfatizou-se o fato do Brasil ter uma legislação bastante progressista e completa sobre o tema que, inclusive, elevou o país a patamar de igualdade aos países desenvolvidos, mas questionou-se qual a real capacidade dos municípios brasileiros cumprirem esta legislação? E qual o desempenho do Município de Balneário Camboriú no que tange a implementação da legislação federal? Qual o comportamento do município diante disso e quais são os principais desafios e gargalos encontrados? A palestra teve como principal objetivo, apresentar o desempenho de Balneário Camboriú no que se refere a implementação de alguns dos principais objetivos e metas da legislação federal”, destacou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade