Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Univali inaugura Horto Medicinal em Itajaí

Segunda, 16/9/2019 16:11.
Divulgação

Publicidade

Um ambiente pensado para estudar a flora utilizada em pesquisas científicas na área de saúde e de projetos de extensão, para aproximar o conhecimento da comunidade, valorizar o conhecimento popular e validá-lo por meio de pesquisas. É com esta proposta que a Univali inaugura, em parceria com o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), nesta quarta-feira (18), o Horto Medicinal, no Campus Itajaí.

O novo espaço está organizado em oito setores: plantas medicinais, plantas alimentícias não convencionais (PANCs), plantas tóxicas, viveiro, albergue de abelhas sem ferrão, compostagem, jardim comestível e um galinheiro móvel. O local abriga aproximadamente 80 espécies e contemplará uma série de atividades relacionadas à pesquisa, ensino e extensão, desde a análise de espécies com estudos já em desenvolvimento na Universidade, até a realização de oficinas, cursos e workshops sobre plantio, poda, jardinagem e áreas relacionadas, envolvendo a comunidade acadêmica e externa.

Além disso, por meio de uma cooperação já consolidada entre o projeto de extensão Farmácia Viva e a Prefeitura de Itajaí, serão feitos testes, análises e seleção de espécies para o compartilhamento de mudas e a implementação da fitoterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, em Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.

A professora e engenheira agrônoma Dalva Sofia Schuch coordenará o espaço junto do professor Gustavo Russo, ambos da Escola de Artes, Comunicação e Hospitalidade. Ela explica que o horto tem seus cultivos baseados nos princípios da agricultura orgânica, com a compostagem dos resíduos orgânicos do campus e práticas ecológicas de manejo.

“Tudo aqui é orgânico, desde o preparo do solo até o cultivo das plantas. Essa rede orgânica opera com uma intensa comunicação que estimula a troca de nutrientes, a proteção da natureza e a dinâmica da vida", defende Dalva.

O reitor, professor Valdir Cechinel Filho, docente do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Univali e pesquisador na área de produtos naturais bioativos, é um dos idealizadores do novo projeto, coordenando pesquisas sobre algumas das espécies que integram o horto.

“A inauguração do horto é um presente para toda a comunidade científica e à população do nosso entorno. O uso de plantas medicinais com finalidades terapêuticas é uma prática milenar, consistindo em importantes fontes de novos e efetivos medicamentos. Os produtos naturais, especialmente a flora terrestre, são responsáveis direta ou indiretamente por cerca de 70% dos medicamentos disponíveis no mercado farmacêutico, sendo de muita relevância oportunizar um espaço tão rico em espécies medicinais (e também tóxicas, entre outras) para conhecimento da comunidade", comenta o reitor. “O Horto Medicinal da Univali terá ainda um espaço reservado ao padre Raulino Reitz, fundador do herbário Barbosa Rodrigues, em homenagem aos seus 100 anos de nascimento", ressalta Cechinel.

Vivências e atividades lúdicas do Colégio de Aplicação da Univali (CAU) também ocorrerão no Horto Medicinal da Univali, que é um espaço aberto, com possibilidade de agendamento de visitas guiadas e para a realização de cursos e outras formações, pelo e-mail hortomedicinal@univali.br.

A inauguração compõe a programação comemorativa pelos 55 anos de Ensino Superior em Itajaí, os 30 anos de reconhecimento da Universidade e os 40 anos do CAU.

Fonte: Assessoria/Univali


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Univali inaugura Horto Medicinal em Itajaí

Publicidade

Segunda, 16/9/2019 16:11.

Um ambiente pensado para estudar a flora utilizada em pesquisas científicas na área de saúde e de projetos de extensão, para aproximar o conhecimento da comunidade, valorizar o conhecimento popular e validá-lo por meio de pesquisas. É com esta proposta que a Univali inaugura, em parceria com o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), nesta quarta-feira (18), o Horto Medicinal, no Campus Itajaí.

O novo espaço está organizado em oito setores: plantas medicinais, plantas alimentícias não convencionais (PANCs), plantas tóxicas, viveiro, albergue de abelhas sem ferrão, compostagem, jardim comestível e um galinheiro móvel. O local abriga aproximadamente 80 espécies e contemplará uma série de atividades relacionadas à pesquisa, ensino e extensão, desde a análise de espécies com estudos já em desenvolvimento na Universidade, até a realização de oficinas, cursos e workshops sobre plantio, poda, jardinagem e áreas relacionadas, envolvendo a comunidade acadêmica e externa.

Além disso, por meio de uma cooperação já consolidada entre o projeto de extensão Farmácia Viva e a Prefeitura de Itajaí, serão feitos testes, análises e seleção de espécies para o compartilhamento de mudas e a implementação da fitoterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, em Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.

A professora e engenheira agrônoma Dalva Sofia Schuch coordenará o espaço junto do professor Gustavo Russo, ambos da Escola de Artes, Comunicação e Hospitalidade. Ela explica que o horto tem seus cultivos baseados nos princípios da agricultura orgânica, com a compostagem dos resíduos orgânicos do campus e práticas ecológicas de manejo.

“Tudo aqui é orgânico, desde o preparo do solo até o cultivo das plantas. Essa rede orgânica opera com uma intensa comunicação que estimula a troca de nutrientes, a proteção da natureza e a dinâmica da vida", defende Dalva.

O reitor, professor Valdir Cechinel Filho, docente do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Univali e pesquisador na área de produtos naturais bioativos, é um dos idealizadores do novo projeto, coordenando pesquisas sobre algumas das espécies que integram o horto.

“A inauguração do horto é um presente para toda a comunidade científica e à população do nosso entorno. O uso de plantas medicinais com finalidades terapêuticas é uma prática milenar, consistindo em importantes fontes de novos e efetivos medicamentos. Os produtos naturais, especialmente a flora terrestre, são responsáveis direta ou indiretamente por cerca de 70% dos medicamentos disponíveis no mercado farmacêutico, sendo de muita relevância oportunizar um espaço tão rico em espécies medicinais (e também tóxicas, entre outras) para conhecimento da comunidade", comenta o reitor. “O Horto Medicinal da Univali terá ainda um espaço reservado ao padre Raulino Reitz, fundador do herbário Barbosa Rodrigues, em homenagem aos seus 100 anos de nascimento", ressalta Cechinel.

Vivências e atividades lúdicas do Colégio de Aplicação da Univali (CAU) também ocorrerão no Horto Medicinal da Univali, que é um espaço aberto, com possibilidade de agendamento de visitas guiadas e para a realização de cursos e outras formações, pelo e-mail hortomedicinal@univali.br.

A inauguração compõe a programação comemorativa pelos 55 anos de Ensino Superior em Itajaí, os 30 anos de reconhecimento da Universidade e os 40 anos do CAU.

Fonte: Assessoria/Univali


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade