Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Modelo trans agredida no Rio de Janeiro terá assistência de médico catarinense

Ela está em Blumenau para exames e cirurgia será na quarta-feira

Sexta, 21/8/2020 12:10.
Redes sociais.

Publicidade

A modelo trans Alice Felis, 25 anos, que virou notícia nacional, por conta da agressão que sofreu domingo (16), em seu apartamento no Rio de Janeiro, chegou a Blumenau nesta quinta-feira (20), para consultar o médico José Carlos Martins Jr, que comanda o Transgender Center Brazil, centro especializado no atendimento a pacientes trans e que, sensibilizado, ofereceu seu conhecimento para ajudar a modelo.

Ela fará duas cirurgias: uma de reconstituição do rosto e outra de feminização facial, que deixará o rosto com aspecto mais feminino. Uma das cirurgias deve acontecer na próxima quarta-feira.

Nas redes

Após ser agredida dentro do próprio apartamento no Rio de Janeiro, na madrugada de domingo (16), o caso ganhou a mídia e as redes sociais e virou assunto entre famosos. Personalidades como Kéfera, Felipe Neto, Pabllo Vittar, Preta Gil e Marília Mendonça (que recentemente se envolveu numa polêmica com a comunidade LGBTQIA+) demonstraram solidariedade à modelo, apoiando Alice e divulgando uma vakinha online criada para ajudar a jovem, de 25 anos. Em pouco tempo a meta de arrecadação foi superada, passando de R$ 160 mil.

“É chocante”, disse o médico

Na véspera da consulta em Blumenau, o médico realizou uma consulta virtual com a modelo e ficou impressionado.

“É um caso chocante! Mais um de agressão a uma transexual, que teve o rosto desfigurado por tamanha covardia”, indignou-se.

“Nossa clínica além da reconstrução dos ossos fraturados irá realizar a cirurgia de feminização facial como forma de aliviar o sofrimento e o trauma que ela sofreu. É o mínimo que podemos fazer depois de todos esses anos atuando em cirurgias de pacientes transgêneros”.

O caso

A modelo trans Alice Felis e o agressor se conheceram em um bar na noite de sábado (15). Conversaram e decidiram ir para a casa de Alice, onde ela contou que eles beberam e as agressões começaram.

O agressor já tinha passagem pela polícia por furto e por roubos, sendo conhecido em Copacabana por aplicar golpes em travestis e transsexuais.

Como ele tentou esfaqueá-la e fugiu com cerca de R$ 3 mil irá responder por tentativa de latrocínio.

A transexual Alice Felis, de 25 anos, usou seu perfil no Instagram (@aalicefelisooficial) para relatar a agressão que sofreu dentro do seu apartamento em Copacabana.

“Veio, me bateu, tentou me esfaquear. Pedi para que ele não me esfaqueasse”, disse Alice. A modelo teve mandíbula, nariz e dentes quebrados. Ela mostrou ainda o apartamento completamente revirado e com muito sangue espalhado pelos cômodos.

A Polícia Civil investiga o caso e já ouviu o depoimento de Alice Felis. A modelo também fez exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML).

O Dr.José Carlos Martins Jr.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Redes sociais.

Modelo trans agredida no Rio de Janeiro terá assistência de médico catarinense

Ela está em Blumenau para exames e cirurgia será na quarta-feira

Publicidade

Sexta, 21/8/2020 12:10.

A modelo trans Alice Felis, 25 anos, que virou notícia nacional, por conta da agressão que sofreu domingo (16), em seu apartamento no Rio de Janeiro, chegou a Blumenau nesta quinta-feira (20), para consultar o médico José Carlos Martins Jr, que comanda o Transgender Center Brazil, centro especializado no atendimento a pacientes trans e que, sensibilizado, ofereceu seu conhecimento para ajudar a modelo.

Ela fará duas cirurgias: uma de reconstituição do rosto e outra de feminização facial, que deixará o rosto com aspecto mais feminino. Uma das cirurgias deve acontecer na próxima quarta-feira.

Nas redes

Após ser agredida dentro do próprio apartamento no Rio de Janeiro, na madrugada de domingo (16), o caso ganhou a mídia e as redes sociais e virou assunto entre famosos. Personalidades como Kéfera, Felipe Neto, Pabllo Vittar, Preta Gil e Marília Mendonça (que recentemente se envolveu numa polêmica com a comunidade LGBTQIA+) demonstraram solidariedade à modelo, apoiando Alice e divulgando uma vakinha online criada para ajudar a jovem, de 25 anos. Em pouco tempo a meta de arrecadação foi superada, passando de R$ 160 mil.

“É chocante”, disse o médico

Na véspera da consulta em Blumenau, o médico realizou uma consulta virtual com a modelo e ficou impressionado.

“É um caso chocante! Mais um de agressão a uma transexual, que teve o rosto desfigurado por tamanha covardia”, indignou-se.

“Nossa clínica além da reconstrução dos ossos fraturados irá realizar a cirurgia de feminização facial como forma de aliviar o sofrimento e o trauma que ela sofreu. É o mínimo que podemos fazer depois de todos esses anos atuando em cirurgias de pacientes transgêneros”.

O caso

A modelo trans Alice Felis e o agressor se conheceram em um bar na noite de sábado (15). Conversaram e decidiram ir para a casa de Alice, onde ela contou que eles beberam e as agressões começaram.

O agressor já tinha passagem pela polícia por furto e por roubos, sendo conhecido em Copacabana por aplicar golpes em travestis e transsexuais.

Como ele tentou esfaqueá-la e fugiu com cerca de R$ 3 mil irá responder por tentativa de latrocínio.

A transexual Alice Felis, de 25 anos, usou seu perfil no Instagram (@aalicefelisooficial) para relatar a agressão que sofreu dentro do seu apartamento em Copacabana.

“Veio, me bateu, tentou me esfaquear. Pedi para que ele não me esfaqueasse”, disse Alice. A modelo teve mandíbula, nariz e dentes quebrados. Ela mostrou ainda o apartamento completamente revirado e com muito sangue espalhado pelos cômodos.

A Polícia Civil investiga o caso e já ouviu o depoimento de Alice Felis. A modelo também fez exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML).

O Dr.José Carlos Martins Jr.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade